BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Bolsonaro diz a comandante do Exército que não quer punição para Pazuello


Uma nova polêmica envolvendo Bolsonaro e seu fiel escudeiro, Eduardo Pazuello, teria se formado nesse sábado (29). É que o presidente teria comunicado ao comandante do Exército, Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira, que não quer punição do ex-ministro da Saúde, por ter participado de um ato político com ele.

O presidente neste no Amazonas nos últimos dois dias e a conversa com o comandante teria ocorrido durante a viagem. A informação foi divulgada na noite desse sábado (29), pelo jornal Folha de São Paulo.

Nogueira acompanhou Bolsonaro juntamente com o ministro da Defesa, Walter Braga Netto, e o chefe da Casa Civil, Luiz Eduardo Ramos a uma viagem ao município de São Gabriel da Cachoeira, no interior do Amazonas.

Segundo a publicação, mesmo diante do regimento militar que proíbe a participação de militares em eventos políticos, o presidente quer que o comandante ignore a lei e que Eduardo saia impune.

Por outro lado, Nogueira também sofre pressão da instituição para punir o ex-ministro, uma vez que o regimento é inegociável. Dessa forma, Paulo se vê em uma sinuca de bico, pois se atender ao presidente, fica desmoralizado e infringe leis internas descaradamente. Porém, se não atender, pode perder o cargo, uma vez que não é um dos nomes favoritos do presidente.

Enquanto o futuro de Pazuello não é definido e a crise militar se forma, o ex-ministro pretende apelar para o fato de o presidente não ter partido, para fundamentar sua defesa. Ele alega que apoiou o cidadão Bolsonaro e não o presidente, já que atualmente, ele não tem partido.

Mário Adolfo Filho

Mário Adolfo Filho

Jornalista, formado pela Universidade Federal do Amazonas. Com passagem por grandes jornais de Manaus, Prefeitura de Manaus, Câmara Municipal de Manaus e Câmara dos Deputados.