BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - Empresa francesa abandona projeto de exploração de petróleo no Amazonas


A Total, empresa de petróleo francesa, anunciou nesta segunda-feira (28) que fechou acordo para transferir para a Petrobras sua participação de 40% em blocos de exploração localizados em áreas de águas profundas na Bacia da Foz do Amazonas.

A empresa está deixando os projetos depois de sete anos sem conseguir a emissão das licenças ambientais para campanhas de perfuração na região. Com a decisão, a Petrobras passa a ter 70% dos projetos exploratórios e a BP, os demais 30% de participação. A decisão ainda precisa de aprovação da Agência Nacional do Petróleo (ANP) e do Cade. Os projetos de exploração na Foz do Amazonas vêm enfrentando forte resistência de ambientalistas e uma demanda grande de dados e informações por parte do Ibama. No começo do mês, a empresa já havia anunciado a renúncia da operação dos ativos.

Jogou a toalha

O anúncio foi feito dias após a empresa reiniciar o licenciamento ambiental dos projetos no Ibama. Em abril do ano passado, o órgão ambiental indeferiu o pedido de reconsideração para desarquivamento do primeiro processo de licenciamento.

Defenda os corais

Os licenciamentos são acompanhados por organizações de preservação ambiental, entre elas o Greenpeace, devido à descoberta de uma área, de ao menos 9,5 km², dominada por um raro recife de corais, capaz de sobreviver nas águas turvas do Amazonas. A ONG realiza uma campanha de mobilização contra a exploração de petróleo na região intitulada Defenda os Corais da Amazônia.

Total deixa o Amazonas

É proibido cortar a luz

Enquanto durar o estado de emergência por conta  da pandemia do novo coronavírus, não poderá haver corte de energia elétrica por inadimplência. Ao menos é o que garante a decisão liminar do  o juiz da 6ª Vara Cível e de Acidentes de Trabalho, Diógenes Vidal Pessoa Neto.

O magistrado  acatou o pedido da Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa e manteve suspensos os cortes.

Pagar como?

A determinação, segundo pedido da Assembleia, obriga a empresa Amazonas Energia a cumprir as leis estaduais 5.143/20 e 5.145/20, de autoria do deputado estadual João Luiz (Republicanos).

— E neste momento de crise, em que muitos amazonenses perderam emprego e renda, a decisão da Justiça assegura a manutenção desse serviço essencial –, apelou JL.

Multa por corte

Ainda conforme a decisão do dia 25 de setembro, em caso de descumprimento, a Amazonas Energia será penalizada com multa de R$ 2 mil, por cada consumidor afetado, a título de danos morais coletivos.O valor deverá ser revertido ao Fundo de Defesa do Consumidor (Fundecon).

Ranking do desemprego

Manaus está no topo do ranking nacional (18,5%), com maior índice de desemprego no primeiro semestre deste ano, de acordo com o IBGE. O alerta foi feito pelo candidato a prefeito de Manaus, Zé Ricardo (PT).

Tem saída

Para o “homem da kombi”, a Prefeitura tem o dever de ajudar a criar mais empregos e renda à população da cidade. E isso só será possível  com o apoio a empreendimentos, micros e pequenas empresas, na organização dos trabalhadores da informalidade, dos autônomos.

Deixa comigo

Para estancar a ferida, Zé está disposto, se eleito, a  criar uma Agência de Desenvolvimento para atrair investimentos e captar recursos, nacionais e internacionais.

— Vamos apoiar quem está empreendendo ou quer montar seu próprio negócio, além de diminuir a burocracia municipal –, disse ele.

Zé Ricardo e a vice Marklize
Zé Ricardo e a vice Marklize

Ramos emplaca mais um

Quarto Projeto de Lei do deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM) foi sancionado e já é lei. Aprovado pela unanimidade dos partidos na Câmara e no Senado, o PL 1581/2020 regulamenta acordos diretos da União para o pagamento com desconto dos precatórios de grande valor.

Fôlego pro governo

A lei terá reflexos diretos no reforço do caixa do governo para o custeio da Saúde e Educação, como o pagamento dos salários dos professores.

— Será um fôlego extra para o governo enfrentar a pandemia e a crise econômica”, disse.

Somente em 2020, o Orçamento destinou R$ 24 bilhões ao pagamento de precatórios, revela Ramos.

Passando a boiada

Conforme prometido na fatídica reunião ministerial do dia 22 de abril, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, segue passando a boiada na regulamentação ambiental brasileira. Na manhã desta 2ª-feira, 28/09, ele revogou resoluções de preservação ambiental na 135ª reunião ordinária do Conselho Nacional do Meio Ambiente (Conama). A decisão atinge manguezais e restingas do litoral. Bem como, permite a queima de produtos tóxicos, como pesticidas e fungicidas.

Conama esvaziado

O Conama, órgão que deveria proteger o Meio Ambiente está esvaziado da participação da sociedade civil e com ampla participação de representantes ministeriais do governo Bolsonaro.

O boi do Salles

Desde que Salles assumiu o Meio Ambiente, a boiada não parou de passar. O desmatamento cresceu 34%, sobretudo depois que ele desmontou os órgãos de fiscalização, como o Ibama.

Risco de savana

Atualmente, 17% da área florestal da Amazônia já está no chão. Segundo o cientista Carlos Nobre, se esse índice chegar a 20% a região vai virar savana e não se recuperará mais. A falta de chuvas no Pantanal já é consequência dessa devastação.

Ministro Ricardo Salles

Reforma sem apoio

O texto da reforma tributária apresentado nesta segunda-feira aos líderes dos partidos enfrentou resistências em várias bancadas e ficou claro que o governo não teria os 308 votos necessários para aprovar a proposta na Casa.

Só precisa de 340 vottos

Agora, nova fase só será apresentada quando governo garantir 340 votos, avisou o  líder na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR).

— Vamos construir alternativas para construir uma maioria que garanta pelos menos 340 votos a fim de ter segurança para pôr a proposta em votação – adiantou Barros.

Morre frei Salvador

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio  lamentou a morte do frei Salvador Moreira Nascimento, aos 53 anos, ocorrida no dia 25/9, vítima do novo coronavírus.

Frade capuchinho

Frei Salvador, como era conhecido, integrava a Ordem dos Frades Menores Capuchinhos e atualmente era vigário paroquial na Paróquia de São Sebastião, no Centro.

— O frei Salvador era a representação do nosso povo, da nossa cultura indígena. Hospitaleiro, cordial, querido e atencioso com todos. Presto homenagem ao frei, sua família e amigos –, disse o prefeito.

Kiito é a maior premiação do cinema no Brasil

E o Kikito vai para Manaus

O cinema amazonense ganhou destaque nacional na noite de sábado, 26/9, ao receber cinco premiações do tradicional Festival de Cinema de Gramado. O vencedor foi curta-metragem “O Barco e o Rio”, dirigido por Bernardo Ale Abinader, e produzido pela Fitacrepe Filmes e Artes Cênicas, com o apoio do Edital Prêmio Manaus de Audiovisual, da Prefeitura de Manaus.

Cinco estatuetas

O “Barco e o Rio” levou para casa o Kikito de Melhor Filme; Melhor Direção; Júri Popular; Melhor Fotografia, por Valentina Ricardo; e Melhor Direção de Arte, por Francisco Ricardo Lima Caetano.

Arthur aplaude

O prefeito Arthur Virgílio parabenizou os artistas que realizaram o documentário que, segundo ele, está levando o nome de Manaus para todo o Brasil e o mundo, conquistando o principal prêmio de cinema do País.

— A cultura local tem espaço de destaque na nossa gestão. Com os editais, estamos democratizando o apoio à cultura para que cada vez mais artistas possam ter acesso aos recursos e mostrem o seu talento – disse o prefeito.

ÚLTIMA HORA

O  Ministério Público do Rio (MP-RJ) denunciou nesta segunda-feira (28) ao Tribunal de Justiça do Rio o senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e Fabrício Queiroz, ex-assessor do parlamentar no período em que foi deputado estadual na Alerj (Assembleia Legislativa do Rio). Flávio Bolsonaro foi apontado como líder da organização criminosa, e Queiroz, como o operador do esquema de corrupção que funcionava no antigo gabinete na Assembleia Legislativa do Rio. Ambos foram acusados pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa. A denúncia possui cerca de 300 páginas.

A partir dos dados das quebras de sigilo bancário e fiscal, os promotores apontam que o senador usou, pelo menos, R$ 2,7 milhões em dinheiro vivo do esquema das “rachadinhas”. Os valores somam os três métodos pelo qual o filho do presidente Jair Bolsonaro “lavou” o dinheiro em espécie.

Esuquema das rachadinhas 

ORGULHO

O primeiro vôo comercial de avião movido a hidrogênio decolou com emissão zero de carbono, ou seja, sem poluentes.  ZeroAvia realizou um marco na história da aviação e a aeronave é financiada parcialmente pelo governo do Reino Unido. O vôo foi na última quinta-feira, 24, e no teste, que durou 20 minutos, um pequeno avião de seis lugares decolou de um campo de aviação, em Bedfordshire, Inglaterra e cruzou alguns condados da região sul do país. Agora, a companhia afirma que pretende oferecer esses voos de curta duração, para o público em geral, em até três anos, e que a tecnologia necessária para realizar voos de longa duração em massa já está pronta, o que deve acontecer até o final desta década.

VERGONHA

Transgênero, Ariadna Arantes usou seu perfil no Instagram, nesta quinta-feira (24), para rebater Sikêra Jr.. O apresentador do programa Alerta Nacional, da RedeTV!, fez uma postagem transfóbica na quarta (23). A participante do BBB pediu mais respeito ao comunicador e disse que o texto dele é uma "vergonha". O apresentador publicou uma frase que ressalta o ódio das pessoas contra os transgêneros. "É uma pessoa que não aceita o próprio nome, o próprio corpo , a própria voz, a própria vida. Mas quer ser aceito por todo mundo", escreveu ele. A ex-BBB ainda afirmou ser um absurdo que "em pleno século 21 um comunicador incentive ao ódio com essa desinformação".

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.