BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Omar cobra ação no STF contra o Governo Bolsonaro


Na noite desta quinta-feira (14), o Governo Federal publicou novo decreto que confirma a redução de 25% na alíquota do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), descumprindo a promessa de que reeditaria a medida para colocar uma exceção às empresas do modelo Zona Franca de Manaus (ZFM). Frente a mais um claro golpe do presidente Jair Bolsonaro ao modelo, o senador Omar Aziz (PSD-AM) afirma que o Supremo Tribunal Federal (STF) deve ser acionado para resguardar a competitividade e os empregos gerados pelo Polo Industrial de Manaus (PIM) no Estado.

“Isso é prejudicial para a Zona Franca de Manaus, pois ela perde a competitividade em relação a outros Estados brasileiros e outros países. Esse ato do presidente Jair Bolsonaro prejudica e tira os empregos dos amazonenses, além de brecar a entrada de novas indústrias no Amazonas. É um ato de traição à população que deu ao presidente votação expressiva na última eleição; Ele trai o povo de maneira vil e sorrateira, no feriado, quando pouco se pode fazer”, declara o senador.

Omar Aziz relembra que, em março deste ano, o governador do Amazonas Wilson Lima e outros representantes da indústria amazonense se reuniram com o presidente Bolsonaro, que na ocasião assegurou que o modelo ZFM não seria prejudicado na publicação de novo decreto. “Tanto a Prefeitura de Manaus quanto o Governo do Amazonas precisam agir como instituições de proteção dos amazonenses, que certamente não irão esquecer de mais essa traição contra a Zona Franca de Manaus”, completa o parlamentar, líder da Bancada do Amazonas no Senado Federal.

O ex-titular da Superintendência da Zona Franca de Manaus (Suframa) e consultor tributário, Thomaz Nogueira, também se pronunciou publicamente sobre o tema, afirmando que Bolsonaro age de forma unilateral e tapa os ouvidos aos argumentos técnicos vindos tanto do governo (Estadual) que o apoia quanto da bancada que o crítica. “Com este Governo (Federal) não há dados, evidências, racionalidade que construa um diálogo”, pontuou Nogueira em um post feito nas suas redes sociais.

Redação

Redação

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.

Manaus