Calendário

novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Dito & Feito – Olho gordo na cadeira de Arthur

Há um ano das eleições municipais do ano que vem, diversos nomes surgem como possíveis candidatos.

Uns já consolidados e outros apenas para testar popularidade. E a lista segue aumentando. Nesta quinta-feira (26), o Partido da Mobilização Nacional (PMN) apresenta o nome do advogado Marcelo Amil, como pré-candidato da sigla.

Agora com Amil, já são oito candidatos a candidato  deitando olho gordo na cadeira de Arthur Virgílio. Senão vejamos: David Almeida (Avante), Chico Preto (Sem partido), Marcos Rotta (DEM), José Ricardo (PT), Amazonino Mendes (Sem partido), Josué Neto (PSD), Romero Reis (PSL).

Novos rumos

O PMN, que até pouco tempo era comandado pelo vereador Chico Preto, passou a ser presidido por Amil.

A saída de Chico se deu por conta das diferenças ideológicas do parlamentar com a sigla. Chico apoio o presidente Jair Bolsonaro, já o PMN faz oposição ao governo federal.

Aras com a bola cheia

Relatada pelo senador Eduardo Braga (MDB-AM),  a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) aprovou por 68 votos a favor e 10 contra e uma abstenção, o nome de Augusto Aras para procurador-geral da República.

— Vi a nossa Comissão de Constituição e Justiça dar a maior votação [para um indicado à PGR] – de todos esses anos que eu aqui estive presente –,  ao doutor Augusto Aras.

Rasgou seda

De acordo com Eduardo, esta é uma demonstração de que Aras cumpriu todas as exigências legais.

— Não apenas cumpriu com seu currículo, mas com a sua história de procurador e de promotor de Justiça para a contribuição da construção do Estado Democrático de Direito no Brasil — constatou Eduardo Braga.

Lava Jato é boa, mas….

Durante a sabatina na CCJ, Augusto Aras defendeu a Operação Lava Jato e sua principal tarefa de combater os crimes de colarinho branco.

Mas admitiu que o modelo da força-tarefa é “passível de correções”.

Tem procurador que é cego

Aliás, durante a sabatina,  Aras admitiu, durante sabatina na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado, que assinou sem ler um manifesto da Associação de Juristas Evangélicos que defendia a “cura gay”.

Ele também não vu que o manifesto  não reconhecia famílias constituídas a partir de relações homoafetivas.

Assinou sem ler

A carta assinada por Aras foi revelada em reportagem da Folha de S.Paulo.

 O documento expõe argumentos contra o aborto e a tributação de igrejas e aborda sexualidade, refugiados e ensino, entre outros temas.

Exija a nota

De autoria do deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD), Projeto de Lei (PL) pretende tornar obrigatório no Amazonas que as empresas fornecedoras contratadas pelo Estado passem a apresentar as notas fiscais de entrada das mercadorias adquiridas para os órgãos públicos.

Transparência

 O objetivo é proporcionar maior controle e transparência aos processos de compras governamentais, diz o presidente da Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) da Assembleia Legislativa,

— O principal é a transparência. Essa medida vai evitar que o fornecedor entregue o material e cobre do Estado valores abusivos, mais altos que os praticados no mercado 0, alerta Nicolau.

Pé atrás

O PL pode ser batizado de projeto “pé atrás”, uma vez que resguarda o governo de “pino” dos empresários.

Pé na África

O Quilombo Urbano da Praça 14 dá mais um passo importante em sua luta wm defesa da cultura negra e da cidadania.

 Com o tema “Tenho um Pé na África” , começa hoje a IV Mostra de Ações Educacionais Integradas.

A cerimônia de abertura acontece às 18h na na sede dos Escoteiros do Brasil, no Quilombo.

Círio de Nazaré

A cantora Fafá de Belém vai transformar a defesa da Amazônia em um grito de guerra dos milhões de fiéis do Círio de Nazaré, uma das maiores festas religiosas do mundo que acontece em outubro na capital paraense.

Vatapá da Fafá

Na segunda-feira, 23, esse foi o tom do tradicional “vatapá da Fafá”, banquete de comidas e bebidas típicas que ela oferece uma vez por ano a convidados em seu apartamento em São Paulo.

Centro do mundo

Entre patas de caranguejo, cumbucas de tacacá e drinks com cupuaçu, a cantora ressaltou que este ano o Círio acontece quando a Amazônia está “no centro do mundo”.

 Há nove anos Fafá se tornou uma espécie de madrinha e garota-propaganda do Círio, quando freta um barco para levar políticos e celebridades na procissão fluvial.

Arranca rabo

Mais uma vez, a visita do ministro da Economia, Paulo Guedes, à Câmara acabou em arranca rabo.

Após bater boca embate com o  deputado Glauber Braga (PSol-RJ), na Comissão Mista de Orçamento (CMO).o posto Ypiranga foi embora soltando fumaça pelo nariz.

Cutucou onça

O fuzuê começou quando Braga enfatizou a diminuição dos recursos públicos em educação, para, segundo ele, priorizar o setor privado.

— Queria que o ministro explicasse ganhos bilionários na área da educação, com seus negócios, antes de entrar para o ministério – perguntou o deputado.

Vamos lá pra fora!

Aí o tempo fechou.

— Eu não estou aqui para conversar sobre minhas finanças pessoais, estou aqui para conversar sobre orçamento público. Se quiser fazer alguma coisa a respeito disso, vou conversar depois, em outro foro –, disse Guedes.

O ministro acusou  o deputado de “estar aqui para fazer política” e disse que, se ele “quer ganhar voto, é com outro jeito, não é aqui”.

Dedo na ferida

A situação piorou quando Braga perguntou se ele não teve nenhuma relação com fundos de pensão.

Referia-se ao processo aberto pelo Tribunal de Contas da União (TCU) para apurar supostas fraudes em negócios feitos por uma empresa do ministro, com fundos de pensão patrocinados por estatais.

Eu te processo!

O ministro ficou irritado com a pergunta e ameaçou processá-lo.

— Faça acusação no foro privado e será processado. Nós apoiamos a Lava Jato. Vamos trazer Lava Jato. Vamos apurar isso profundamente –, replicou.

Me respeita

Glauber tentou repetir a pergunta feita, mas Guedes pediu para completar a resposta e “ser respeitado”.

— Minha vez de falar.  Quando o senhor falou, eu fiquei quieto!

Depois disso não havia mais clima pra continuar a reunião. Guedes e sua equipe tirou  o time de campo.

EM ALTA

Um grafiteiro fez um trabalho incrível neste fim de semana em uma escola pública do interior de São Paulo, que estava com banheiros femininos pichados com mensagens de ódio, ofensas e suicídio. Em vez de simplesmente apagar, ou pintar por cima, Samuel Freiria, de 46 anos, surpreendeu com a ideia de deixar respostas positivas e encorajadoras para as adolescentes, que passam por momentos difíceis, de depressão. O azulejo onde alguém escreveu “Se todo mundo desiste de mim, por que eu não posso?”, ele respondeu: “Porque você é especial para alguém”. Em outro que tinha a mensagem “A conexão humana anda sem sinal”, Samuel completou:  “Reinicie!”.

EM BAIXA

A  Câmara Municipal de São Paulo que assinou  contrato para fornecimento de pão francês no valor de  R$ 43 mil por ano, ao preço de R$ 10,85 o quilo, e de água mineral é de R$ 46 mil. custa aos cofres da cidade mais de meio bilhão anualmente. A despesa diminuiu nos dois últimos anos, mas, mesmo assim, só os vereadores representam um gasto de R$ 180 mil por mês.

Deixe uma resposta