Calendário

novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Dito & Feito – O recado de Wilson no Vaticano

Em esforço para se distanciar da má imagem do presidente Jair Bolsonaro (PSL) na Europa, cinco governadores da Amazônia participam nesta segunda-feira (28) de um encontro no Vaticano com religiosos e cientistas para discutir formas de preservar a floresta.

A reunião ocorre um dia após o encerramento do Sínodo para a Amazônia, cujo documento final propõe o respeito aos povos indígenas e a busca por modelos econômicos alinhados à “ecologia integral”.

— Não tem como as pessoas estarem aqui tratando da Amazônia sem a nossa presença –, afirmou o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), após a missa de encerramento do sínodo, conduzida pelo papa Francisco na Basílica de São Pedro. 

Dedo apontado para nós

De acordo com o governador do Amazonas, todas as vezes em que há uma ameaça contra a Amazônia, é ruim para o Brasil.

—  Quando saem as manchetes negativas, é pior ainda para os estados da Amazônia. Somos os primeiros a receber a fatura. Somos nós os que começamos a sofrer embargo de nossos produtos, o dedo primeiro aponta para a gente, como se fôssemos os destruidores da Amazônia –, disse Wilson.

Alfinetada em de Bolsonaro

O governador amazonense, que apoiou Bolsonaro na eleição do ano passado, disse que discorda da avaliação do Palácio do Planalto segundo a qual o sínodo católico representa uma questão de segurança nacional.

— Eu não vejo dessa forma. O amadurecimento do processo democrático avançou, não permite mais esse tipo de insinuação –, disse Lima.

Rosto desfigurado

A violência e o saque “continuam machucando a maior floresta tropical do mundo”.

O alerta foi feito pela homilia do Papa Francisco, divulgada no encerramento do Sínodo da Amazônia.

— Os erros do passado não foram suficientes para deixarmos de saquear os outros e causar ferimentos aos nossos irmãos e a nossa irmã terra: vimos isso no rosto desfigurado da Amazônia –, advertiu Francisco.

Levantando muros

Em trecho improvisado, o papa ainda criticou a pretensa superioridade com que os governantes tratam os povos nativos da Amazônia.

— Quantas vezes quem está à frente, como o fariseu relativamente ao publicano, levanta muros para aumentar as distâncias, tornando os outros ainda mais descartados.

Crítica ao presidente

Disse Francisco que essa forma de poder trata os nativos comoatrasados e de pouco valor, “despreza as suas tradições, cancela suas histórias, ocupa os seus territórios e usurpa os seus bens”.

Foi crítica direta às políticas de Bolsonaro que têm a pretensão de incluir indígenas na chamada “cultura judaíco-cristã”.

BR-319, agora vai!

Presidente da Comissão de Integração Nacional, Desenvolvimento Regional e Amazônia, o deputado Átila Lins (PP-AM) acaba de assinar  a emenda – aprovada na Câmara dos deputados –, que destina R$ 400 milhões para a pavimentação do trecho da BR-319.

O pedido será incluído na Lei orçamentária de  Anual de 2020 a ser discutido  na Câmara  dos Deputados.

Fim do isolamento

Outro parlamentar  do Amazonas teve papel fundamental na aprovação da emenda:  Sidney Leite (PSD-AM).

Ao defender a proposta, Leite disse que a rodovia é estratégica do ponto de vista nacional. E não apenas para tirar do isolamento os estados da Amazônia Ocidental – Leia-se Amazonas, Acre, Roraima e Rondônia.

— Mas também para conectar o Brasil ao Pacífico e ao Atlântico numa única estrada –, justificar o parlamentar.

Rica e sustentável

Ao registrar os 350 anos de Manaus na tribuna do senado, Eduardo Braga (MDB-AM) destacou que a cidade soube unir desenvolvimento e preservação ambiental.

— Manaus é, sobretudo, uma terra de gente guerreira e batalhadora, que soube driblar as dificuldades impostas pelo ambiente selvagem, e construiu uma sociedade progressista, cultural e economicamente rica e ambientalmente sustentável no meio da Floresta Amazônica.

Zona Franca

O senador, que também já foi prefeito de Manaus,  disse que  a Zona Franca de Manaus, um distrito industrial de mais de 600 indústrias,  tem sido responsável por permitir o desenvolvimento econômico e social, de forma sustentável, respeitando a floresta e o meio ambiente.

Santo de fora

Ao saber da notícia sobre a verba para a BR-319, o jornalista Cícero Moura, de Rondônia, comparou a ação de Lins e Leite como o jargão “santo de fora faz milagre”, numa crítica aos “santos de casa”.

— Cadê os representantes da bancada federal de Rondônia para engordar esse caixa e viabilizar a pavimentação? –, cutucou.

Otimismo de esquerda

As eleições municipais estão batendo à porta. E esquerda já vê com otimismo o próximo ciclo eleitoral.

Com o desemprego nas alturas e as constantes crises do governo Bolsonaro, que minam sua popularidade, lideranças da oposição apostam em vitórias em 2020.

“Mito” desmorona

O  presidente do PDT, Carlos Lupi é um dos que acredita na guinada da esquerda com o desgaste do bolsonarismo.

eenxerga  

— Não acredito na repetição do bolsonarismo. Esse ‘mito’ está sendo desmistificado aos poucos”, afirmou o presidente do PDT, Carlos Lupi.

Desastre

Já o presidente do Psol, Jukiano Medeiros, avalia que  “o desastre que é o governo Bolsonaro abre excelentes perspectivas para a oposição em 2020”.

EM ALTA

Uber agora terá mulher dirigindo para mulher. A novidade foi lançada na última quinta-feira em três cidades brasileiras e deve chegar a todo o Brasil até o final do ano que vem. O programa #ElasnaDireção contará com ações exclusivas para as atuais mulheres motoristas da plataforma e as que desejam se tornar parceiras do aplicativo. O projeto começou em formato piloto em Campinas, Curitiba e Fortaleza. Hoje, dos 600 mil motoristas formam a frota da Uber no Brasil, apenas 6% são mulheres.

EM BAIXA

Para os políticos da base do governo Jair Bolsonaro que se recusaram a participar da reunião dos governadores da Amazônia, no Vaticano,  mesmo sabendo que está em jogo o destino da região.  Entre eles os dois governadores da Amazônia filiados ao PSL, Antonio Denarium (RR) e Marcos Rocha (RO), que não participarão do encontro. Os outros ausentes são o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM-MT), e o de Tocantins, Mauro Carlesse (DEM-TO). 

Deixe uma resposta