BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - Bolsonaro baixa cada vez mais o nível


O presidente Jair Bolsonaro baixou o nível de vez. Em transmissão de vídeo nesta sexta-feira (6/8) por meio das redes sociais. Bolsonaro chamou o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luís Roberto Barroso, de "filho da puta".

Em meio à escalada de ataques a integrantes do Supremo, o presidente desembarcou em Santa Catarina onde participou de uma palestra com empresários e de uma cerimônia de entrega da Ordem da Machadinha. Ao chegar ao local para o último evento, Bolsonaro cumprimentou seguidores, entre eles, um idoso que estava aglomerado na barra de contenção junto a outros apoiadores. O homem se emocionou ao tirar foto com Bolsonaro. Então, o presidente pediu a seguranças que o idoso fosse retirado das grades e o acompanhasse.

Foi então que o presidente disparou:

— O filho da puta ainda trai gente dessa maneira. Aquele filho da puta do Barroso!

O vídeo foi apagado minutos depois

Dia de fúria

A fúria de Bolsonaro aumentou ainda mais nas últimas 48 horas por ele ter sido incluso pelo ministro Alexandre de Moraes no inquérito que apura fake News.

A briga entre Barroso e Bolsnaro

Ué, cadê o Centrão?

O ex-capitão ficou ainda mais furioso porque na noite  de quinta-feira,5,  foi derrotado na votação do projeto que pedia o voto impresso. Por 23 votos a 11, a comissão especial da Câmara rejeitou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 135/19, que torna obrigatório o voto auditável. O presidente tem ameaçado a realização das eleições de 2022, caso o texto não seja aprovado pelo Congresso.

Veja quem era a favor...

E por falar em eleições, o presidente Jair Bolsonaro nem sempre defendeu de forma veemente o voto impresso. Pelo contrário. Em 1993, portanto há 27 anos, o então deputado federal de primeiro mandato defendeu a informatização das eleições.

... da urna eletrônica!

Bolsonaro disparou declarações sobre a necessidade de se informatizar o sistema da Justiça Eleitoral, quando já questionava o resultado das eleições.

—  Esse Congresso está mais do que podre. Estamos votando uma lei que não muda nada. Não querem informatizar as apurações pelo TRE. Sabe o que vai acontecer? Os militares terão trinta mil votos e só terão computados três mil.

Jornal do Brasil 1993: O então deputado Jair Bolsonaro defende a informatização da eleição

Jornal  não tem borracha

A declaração está registrada em reportagem do Jornal do Brasil, assinada pela jornalista Daniella Sholl e datada de 21 de agosto daquele ano, traz a defesa de Bolsonaro pela modernização das eleições durante um encontro de militares da reserva, no Rio de Janeiro.

No jornal impresso, da feita que imprimiu é para sempre. Até porque jornal de papel não tem borracha.

Pero no mucho!

O senador Eduardo Braga (MDB-AM) se autoproclama “independente” na CPI. Mas, volta e meia, ele sempre dá um jeitinho de poupar o presidente Bolsonaro.

Único culpado

Em sua última manifestação na CPI da pandemia, quinta-feira, o líder do MDB abriu o verbo:

— Todos os amazonenses presenciaram o caos na saúde pública e o maior culpado de tudo tem nome: Wilson Lima, governador do Amazonas.

Mas é só Wilson?

Quer dizer, a falta de oxigênio, o envio de cloroquina para Manaus, o desastre do general Pazuello não são de responsabilidade do presidente da República e do Ministério da Saúde, também?

E vocês, fizeram o quê?

E mais, a bancada do Amazonas que está Lá em Brasília para defender os interesses do estado e de seu povo também tem sua parcela de culpa, sim.

Silêncio criminoso

Afinal, o que nossos parlamentares fizeram na hora da agonia em que manauara morria asfixiados, hein? A maioria dos deputados e senadores silenciou para não se indispor com Bolsonaro. Esta é a verdade!

Combinação trágica

Braga descreveu ais em seu Twitter. Segundo o senador, o resultado “dessa combinação trágica de crimes cometidos contra os amazonenses” é o recorde mundial de mortes por Covid: a cada 100 mil habitantes o AM registra 327 óbitos.

Tio Sam e a Amazônia

O governador do Amazonas, Wilson Lima, participou da reunião com  o conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Jake Sullivan, em Brasília, que  discutiu a preservação ambiental com os governadores da Amazônia Legal e reforçou a preocupação dos americanos com a questão. A reunião aconteceu em Brasília, dia 5/08,e o governo federal não enviou representante. Jake Sullivan, o enviado do presidente e Joe Biden.

Jake Sullivan

Apresentando a conta

No encontro, Wilson destacou a  importância de fazer a conciliação entre a questão da preservação ambiental, mas deixou caro que é necessário “avançar na questão da produção, principalmente na agricultura familiar"–,cobrou o governador do Amazonas.

— Tem de ter as condições de produção. É importante a gente avançar na questão da regularização fundiária e os Estados Unidos e outros organismos têm papel fundamental nesse apoiamento- disse Lima.

Canal de diálogo

A conversa, realizada na embaixada dos Estados Unidos, em Brasília, os governadores da Amazônia Legal (Acre, Amapá, Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia e Tocantins) reconheceram a importância da abertura do canal de diálogo.

Sustentabilidade

Eles afirmaram que têm buscado uma conciliação entre o desenvolvimento econômico e a preservação ambiental. Mas reforçaram que precisam de apoio e recursos para garantir a sustentabilidade desse movimento.

Os caçadores do babaçu

Com tantos produtos e produtores precisando de apoio aqui no Amazonas e a Assembleia Legislativa mandou uma comissão para o Maranhão “estudar” o  manejo sustentável do babaçu.

Os caçadores do babaçu 2

A Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) também está na comitiva para a visita técnica aos municípios maranhenses de Pedreiras e Lago do Junco, onde o babaçu abunda.

Marina vai à luta

A ex-senadora Marina da Silva (Rede) quebrou o silêncio e disse que vai pressionar o Senado para evitar que privatização dos Correios seja aprovada.

Salve o Correio!

O PL (projeto de lei) 591/21 teve aval da Câmara, com um placar de 286 votos favoráveis e 173 contrários.

— Podemos pressionar o Senado para que não aprove esse desserviço a áreas de difícil acesso das grandes cidades e do interior do país, – disparou a ex-ministra  em post no Twitter.

Marina Silva

Descendo a ladeira

Dados divulgados nesta sexta-feira, 6, pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) mostram que a produção de veículos no Brasil registrou uma queda de 2% em julho, na comparação com o mês anterior, chegando a 163,6 mil unidades. Trata-se do índice mais baixo de produção em 18 anos. Em relação a julho do ano passado, o volume produzido caiu 4,2%.

Perguntar não ofende

E o aquecimento da economia,  só existe mesmo na cabeça do ministro Paulo Guedes?

ÚLTIMA HORA

Voto impresso vira chachota, mas ainda vai a plenário

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), enviou um recado ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE): ele vai levar a proposta de emenda constitucional (PEC) que prevê a adoção do voto impresso ao plenário para que ela seja derrotada pelos deputados. A iniciativa de Lira ainda está sendo digerida pelos magistrados e também por deputados federais. Os ministros do TSE preferiam que a questão não fosse a plenário, e teriam dito isso ao presidente da Câmara. Levar o tema ao plenário só aumentará o desgaste dos magistrados e colocará os parlamentares no meio da confusão, deixando-os expostos a pressões e a ataques de bolsonaristas.

Uma parte dos deputados, por sua vez, acredita que o presidente da Câmara não pretende incendiar o país nem alimentar o discurso golpista de Bolsonaro. O melhor, nesta circunstância, seria encerrar o assunto.

Câmara já emite recibo ao final do pleito

ORGULHO

Uma professora vem tentando mudar um pouco os dias gelados de pessoas em situação de rua em Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, com atitude. Lídia Prestes costura e distribui sacos de dormir para quem precisa passar a noite na rua. Ela teve a ideia quando ela passava por um momento muito difícil. A gaúcha tratava um câncer de mama e fazia as sessões de radioterapia. Depois que os sacos de dormir estão prontos, ela e o marido, Wagner, saem às ruas para fazer a distribuição entre as pessoas necessitadas.

VERGONHA

Ao completar 15 anos, a Lei Maria da Penha   parece não ter mudado nada na questão da violência contra a mulher no Brasil.  O número de ocorrências de violência contra a mulher aumentou 50,92% em 2021 na comparação com o mesmo período do ano passado. Considerada por criminalistas como a terceira melhor lei do mundo pela Organização das Nações Unidas (ONU), a Lei Maria da Penha (nº 11.340) completa 15 anos de vigência no Brasil neste sábado (7), mas, o país ainda precisa se conscientizar de que a violência contra a mulher é uma epidemia. A lei é considerada um avanço na legislação brasileira para combater o crime de violência contra a mulher, mas ainda falta por parte do poder público implementar muitas medidas presentes nela.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.