Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Cresce a procura por plantas medicinais em Manaus


Infectologistas que investigaram os sintomas e grupos mais vulneráveis ao coronavírus  atestaram que a maior parte dos quadros graves se deve à imunidade baixa dos pacientes. Isto é, o coronavírus é mais perigoso para quem está com o sistema imunológico fraco, o que pode ocorrer devido à ação de outras infecções, a exemplo da gripe.

Para se prevenir diante dessa vulnerabilidade, manauaras estão recorrendo às plantas medicinais encontradas em bancas de feiras e mercados, como o Mercadão Adolpho Lisboa, no Centro de Manaus. De acordo com a proprietária de uma dessas bancas, Cristina Takeda, muita gente acredita mais na cura pelas plantas medicinais que nos remédios de laboratórios. ‪Composto com mel, copaíba, andiroba e cachaça, por exemplo, tem sido muito procurado.‬

— Temos um leque de ervas que combatem a baixa imunidade – diz a descendente de japoneses, que trabalha há mais de 40 anos no mercado –, como a unha de gato,   ypê roxo, jambolão, todas  com propriedades medicinais em que se  destacam ações antiinflamatórias e antibacterianas, antiviral, antifúngica e antialérgica – explica Cristina, que aprendeu tudo o que sabe sobre plantas medicinais na comunidade de Bela Vista, zona rural do município de Manacapuru, na Região Metropolitana de Manaus. “Lá não tinha médicos e tínhamos que nos tratar com ervas orientados pelos mais antigos”.

A vendedora de ervas explica que não existe nenhuma erva indicada para combater o coronavírus, mas é possível  previnir a doença através de plantas medicinais, como é o caso da unha de gato, rica em alcaloides que  estimula as defesas do organismo humano, já que trabalham diretamente na formação de células brancas, sendo indicadas para pessoas que tem imunidade baixa.

— Existem ervas para todos os tipos de tratamento, pois elas trabalham em conjunto. No entanto, é preciso saber usar e conhecer suas qualidades terapêuticas, além da dosagem certa.

Procura no mercadão é diária

Preço bom e de fácil acesso

Segundo Takeda – que nada tem a ver com o sobrenome famoso da indústria farmacêutica –, muita gente na ânsia da cura, exagera e isso não faz bem.  Ainda existe muita falta de conhecimento sobre propriedades químicas, farmacológicas e toxicológicas a fim de assegurar a eficácia e segurança das plantas medicinais –, observa a comerciante, complementando que elas são de fácil acesso e baratas, custando entre R$ 4,00 a R$ 5,00.

A sra. Takeda informa que além das ervas é possível aumentar a imunidade tomando limão de manhã cedo,  alimentação alcalinizante otimiza o metabolismo aumentando a capacidade do organismo para eliminar toxinas, sem agredir os órgãos.  Mas ela garante que a erva mais indicada e procurada para esses casos é o “Cipó Mil-Homens”, cujo chá é indicado, entre outras coisas, contra vírus resistentes e nelvragia.

Já Nora Garcia, da empresa Blackwood da Amazônia, que trabalha com plantas medicinais na banca nº 10, as ervas da Amazônica serão procuradas com maior intensidade no pique epidemiológico do Covid-19, que deverá acontecer segundo os pneumologistas  entre abril e maio.

— Deve acontecer algo parecido como aconteceu no surto de H1N1, que provocou uma corrida às plantas medicinais, se bem que, quem usa esse tipo de medicamento já conhece a suas propriedades –, explica, lembrando que geralmente são as mesmas pessoas.

Composto com copaíba e mel é muito vendido

— Meus clientes frequentam a banca há anos e confiam nas qualidades terapêuticas das plantas medicinais da Amazônia, porque isso faz parte da nossa cultura, um conhecimento milenar que vem dos nosso ancestrais.

Para aumentar a imunidade, Nora indica o xarope de unha de gato com Jatobá e cumaru, além de copaíba, andiroba, crajiru, leite de amapá, sucuba e barbatimão. A maioria dessas ervas é usada in natura, mas existem também formulações farmacêuticas na forma de chá, pomadas, xaropes e  capsulas produzidas por empresas do Amazonas e comercializadas em Manaus e Belém.

— Ninguém pode dizer que  isso vai curar o coronavírus. Ainda não existe remédio para essa pandemia, mas certos tratamentos podem neutralizar qualquer tipo de infecção.

Ocupando a banca de nº 6, o feirante José do Ceará diz que existem plantas medicinais que, auxiliam no combate a algumas doenças, mas, em relação ao coronavírus,  não é profissional indicar receitas caseiras ou recomendações populares que não são comprovadas. “A coisa é séria e o mais seguro é  procurar informações oficiais com os médicos”, aconselha.

Plantas auxiliam no aumento da imunidade
Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.