Calendário

novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Roda do destino: Amazonino vence e estende mão a Eduardo

Com quase 800 mil votos válidos e 60% do total, contra 40% do adversário Eduardo Braga (PMDB), Amazonino Mendes (PDT) foi eleito para dirigir o Estado pela quarta vez. Ele ficará no cargo até 31 de dezembro de 2018.

Na noite de domingo, durante o discurso pós-eleições, no palco do comitê central, Amazonino agradeceu a todos que estiveral ao lado dele “nesta caminhada”, como Arthur Neto, Omar Aziz e Bosco Saraiva.

“Gostaria de registrar a minha imensa gratidão ao povo amazonense, por essa distinção simplesmente pautada, pois como é de conhecimento geral, já governei o estado três vezes e o povo mais uma vez me confere esta honraria. Mas é do meu sentimento, com a permissão de todos, dedicar a vitória ao inesquecível Gilberto Mestrinho e a minha querida esposa falecida Tarcila”, declarou em tom emocionado.

Ele também fez questão de mandar um recado para Eduardo Braga. “Que ele possa voltar a seu cargo de senador e trabalhar pelo Amazonas. Eu estarei de portas abertas para recebê-lo. Ninguém governa sozinho. A eleição já passou”, disse.

Amazonino também falou que nesta semana sua equipe de transição, comandada pelo seu fiel aliado Francisco Deodato, já começa a trabalhar para “arrumar a casa”.

Nesta segunda-feira ele viaja para Brasília, onde tem um encontro com o presidente Michel Temer (PMDB).

Sede do comitê, na Av. Pedro Teixeira, ficou lotada

Do rio Eiru para a história do Amazonas

Amazonino nasceu em um seringal, na margem do rio Eiru, em Eirunepé (a 1.160 quilômetros de Manaus), na Calha do Juruá. O governador eleito formou-se em direito na Universidade Federal do Amazonas (Ufam), onde integrou os movimentos estudantis.

Em 1983, foi nomeado prefeito de Manaus, pelo então governador Gilberto Mestrinho. Quatro anos depois, Amazonino comandou o Estado pela primeira vez. O criador da Universidade do Estado do Amazonas (UEA) também passou pelo Congresso Nacional, entre 1991 e 1992, exercendo o cargo de Senador da República.

Em 1994, o “Negão” voltou ao governo do Amazonas e comandou o Executivo até o ano de 2002.

Agora governador, Amazonino agradeceu ao lado de aliados

Deixe uma resposta