BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Amazonas prepara rede de saúde para uma eventual terceira onda de Covid-19


O novo Plano de Contingência do Amazonas para o enfrentamento à Covid-19 prevê um total de 3.975 leitos. Na capital, Manaus, pode chegar a 2.643, sendo 489 de UTI. No interior são 1.332 leitos, sendo 190 de suporte ventilatório. Os números foram apresentados pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-AM) nesta quarta-feira (07/04), em audiência na Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), na qual o secretário Marcellus Campêlo e sua equipe apresentaram o planejamento da secretaria para uma eventual terceira onda de Covid-19.

O planejamento leva em conta, além da taxa de ocupação de leitos, fatores epidemiológicos, para embasar tomadas de decisão. Paralelamente ao dimensionamento da rede, ações de prevenção, com foco em vigilância em saúde e nas ações da atenção básica, estão sendo reforçadas.

Número de óbitos e de casos e a taxa de positividade no diagnóstico também serão pontos decisivos para que a SES-AM mude as fases de ampliação de leitos Covid-19 na rede, servindo também como indicadores para que o Governo do Amazonas avance ou recue nas medidas de restrição de circulação de pessoas.

A equipe de planejamento da SES-AM dimensiona no plano as projeções de medicamentos, oxigênio, insumos, EPIs e recursos humanos, de acordo com a necessidade de ampliação de leitos prevista nas fases do plano, considerando a capacidade instalada na capital e no interior.

A audiência contou com a participação de representantes dos municípios, dos órgãos de controle, da Justiça, de universidades e de instituições de ensino e pesquisa para debater o enfrentamento a uma provável terceira onda de Covid-19.

O governador Wilson Lima já afirmou que, da mesma forma que vem flexibilizando nas medidas de restrição de circulação, balizado pelo recuo dos números, pode retroagir nas medidas diante de um novo agravamento da situação da Covid-19.

O número de óbitos por mês reduziu 82,5%, entre o pico da segunda onda, em janeiro de 2021, quando foram registradas 3.624 mortes, e março, com 633 registros. No mesmo período, o número de casos caiu de 62.538 para 30.810 (50,7%), já as hospitalizações reduziram de 7.698, em janeiro, para 1.189, no fim de março, queda de 84,5% na comparação mensal.

O plano de contingência está sendo atualizado a partir de discussões com a Organização Pan Americana de Saúde (OPAS) e com especialistas, que apontam para a possibilidade de uma terceira onda no Amazonas, tendo como espelho o que já está acontecendo em países Europeus. O plano está sujeito a ajustes conforme a discussão com os setores da sociedade.

Foco em prevenção

Embora o plano operacional seja voltado para a segurança da capacidade instalada da rede para garantir assistência, a estratégia principal da SES-AM é prevenção, com forte atuação na vigilância em saúde e no fortalecimento das ações de atenção básica, incluindo a vacinação.

Aumento da testagem para melhorar o diagnóstico e a vigilância genômica a fim de controlar a cadeia de transmissão do vírus, monitoramento e isolamento de casos suspeitos e confirmados para melhor tratamento aos infectados, reforçam a estratégia.

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.