BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

PC-AM apreende adolescente de 14 anos que planejava massacre em escola de Manaus



A Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), por meio da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), apreendeu na terça-feira (17/08), por volta das 16h, um adolescente de 14 anos que planejava realizar um massacre em uma escola pública localizada no bairro da Glória, zona sul de Manaus. A ação policial ocorreu no bairro Novo Aleixo, zona norte da capital.

De acordo com a delegada Joyce Coelho, titular da Depca, as diligências iniciaram após as equipes receberem um monitoramento do Laboratório de Operações Cibernéticas (Cyber-Lab), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP), com conversas sobre violência e atos de terrorismo, entre o adolescente amazonense e outros dois, que moram nos estados do Rio Grande do Norte e Goiás.

“Esse trio estava arquitetando um atentado que ocorreria de forma simultânea em suas respectivas cidades. Eles inclusive chegaram a estudar massacres anteriores, como o de Columbine, ocorrido nos Estados Unidos; o de Suzano, em São Paulo; e o de Realengo, no Rio de Janeiro”, explicou a delegada.

Segundo a autoridade policial, durante as investigações, foi possível identificar o indivíduo por meio das informações descritas no relatório do MJSP, ocasião em que as equipes se dirigiram até a residência dele, no Novo Aleixo, e efetuaram sua apreensão.

“Ele foi encaminhado à Depca juntamente com seu pai. Durante depoimento, ele confessou os fatos e disse que era o mentor do plano, e que conheceu os outros dois adolescentes por meio de uma rede social. Ele contou, ainda, que para colocar o plano em prática, estava produzindo coquetéis molotov e bombas caseiras”, detalhou Joyce.

Após os procedimentos na Depca, ele foi conduzido para a Deaai. A delegada Elizabeth de Paula, titular da Especializada, explicou que, durante as oitivas na unidade policial, o adolescente foi atendido pela equipe de investigação, psicológicos e assistentes sociais.

Redação

Redação

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.

Manaus