BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

PAIXÃO E MORTE DA ZFM – Jair “Pilatos” Bolsonaro “crucifica” milhares de trabalhadores do Pólo Industrial de Manaus


Vocês já imaginaram a cara dos deputados estaduais do Amazonas que, quase por unanimidade, aprovaram o título de “Cidadão do Amazonas” para Jair Bolsonaro? No dia da paixão de Jesus Cristo, o presidente aproveitou que todos estavam em casa, recolhidos em suas orações e sapecou a publicação de uma edição extra do decreto de redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI),  ferindo de morte a Zona Franca de Manaus.  Tudo isso na calada da madrugada.

Com todo respeito ao calvário de Jesus, na verdade vos digo que Paulo Guedes foi o Judas na via sacra amazonense, vendendo a Xona Franca por 30 moedas e Jair Bolsonaro foi Pôncio Pilatos.  No início de abril, “Jair Pilatos” prometera que na reedição do Decreto faria a exclusão de parte dos produtos fabricados na Zona Franca de Manaus, atendendo os  pleitos de empresários e parlamentares do Amazonas.  Mas, simplesmente “lavou as mãos”.

Morte anunciada

Agora não tem mais “sossega mariquinha” ou “calma,  nós vamos dar um jeito nisso”.

O maldito decreto aprova a tabela do IPI que entra em vigor a partir do dia 1º  de maio e está devidamente assinado pelo presidente Jair Bolsonaro, pelo ministro da economia, Paulo Guedes. Isso torna  permanente a redução de 25% do IPI.

Não respeita ninguém

O pior nessa história toda é a falta respeito de Bolsonaro para com o governador Wilson Lima (União Brasil)  o prefeito David Almeida  (Avante), empresários e a bancada do Amazonas no Congresso Nacional.

Palavras ao vento

Deu sua palavra no dia  9 de março, durante reunião com empresários e autoridades do Amazonas no palácio do planalto, que publicaria um novo decreto até o fim daquele mês, preservando as vantagens da Zona Franca, mas isso não ocorreu.

Pra variar, mais uma vez não cumpriu a palavra e os amazonenses ficaram “a ver navios”.

Agora é tarde

A “punhalada” do presidente na sexta-feira santa, criou uma revolta geral entre aqueles que um dia acreditaram na palavra do ex-capitão. Aquele  que foi  banido do Exército em pleno governo militar.

Reação  em dose dupla

O governador Wilson Lima e o prefeito David Almeida publicaram um vídeo, lado a lado, nas redes sociais onde anunciaram que vão entrar com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin) no Supremo Tribunal Federal (STF).

A iniciativa foi de Lima, mas David, trajando o mesmo estilo de camiseta t-shirt de Wilson disse que apoia integralmente a decisão do governador.

— Eu hipoteco total e irrestrito apoio à sua medida em defesa do povo da floresta, do povo da Zona Franca de Manaus. A Prefeitura de Manaus apoia a sua ação e nós estamos aqui para somar esforços em defesa da nossa população. Parabéns pela sua iniciativa – elogiou o prefeito.

Lealdade e traição

Desnecessário dizer que, apesar de serem traídos a toda hora,  tanto Wilson Lima quanto David Almeida são leais e “morrem de amores” por Bolsonaro,  trabalhando intensamente m por sua reeleição.

Nosso cidadão

Em abril de 2021, Wilson Lima sancionou a lei de autoria do deputado Péricles Nascimento (PSL), que concedeu a Bolsonaro o título de cidadão do Amazonas.

Jogo ariscado por Jair

Não foi só isso, Wilson deu mais provas de sua lealdade ao presidente e sinalizou que o estado aceitaria receber os jogos da Copa América.

Na época, a  copa foi considerada um evento controverso diante do risco da chegada de uma terceira onda da Cobvid-19 no país.

Asfixia

Em janeiro, Manaus, capital do estado que governa, presenciou uma das maiores crises sanitárias do país durante a pandemia.

O grande aumento de casos de coronavírus e a falta de cilindros de oxigênio em unidades de saúde na cidade, causou em mortes de pacientes por asfixia.

Ao invés de mandar oxigênio, Bolsonaro mandou o “kit cloroquina”. Spesar de tudo, a bola rolou na Arena da Amazônia.

Meu candidato

No dia 7 de abril de desse ano, o   governador do Amazonas Wilson Lima (União) declarou apoio à reeleição de Jair Bolsonaro (PL) para a Presidência da República nas eleições de outubro. O chefe do executivo estadual fez a declaração em entrevista coletiva.

Wilson Lima voando com Bolsonaro: meu compromisso é com o presidente

— Esse foi um compromisso que eu assumi lá atrás com o União Brasil: o meu candidato à Presidência da República é o presidente Jair Bolsonaro, com quem eu tenho um alinhamento político –, prometeu Wilson.

Salve simpatia

David Almeida também navega nas mesmas águas que o governafor Eilson Lima.

Em novembro de 2021, admitiu ser “admirador e apoiador” do presidente da República e estará ao lado dele em 2022.

— Tenho alinhamento com o presidente isso é fato. Minha simpatia por ele é total e tenho esse compromisso pessoal com ele. E esse aporte de recursos, em apoio institucional, dá essa sinalização efetiva e isso estreita ainda mais as nossas relações.

David Almeida e Menezes prometeram caminhas juntos com Bolsonaro nas eleições

‘Tamo’ juntos

Mais à frente, David Almeida garantiu que o apoio para a reeleição de Jair é certo:

— Certamente, ano que vem, muito provavelmente estaremos caminhando com o presidente da República –, garantiu David Almeida.

Omar peita o homem

O senador Omar Aziz (PSD-AM), um dos poucos políticos do Amazonas a bater de frente com Bolsonaro,  também caiu de pau na “traição” do presidente.

criticou, nesta sexta-feira (15), a partir de 1º de maio, ratificada em decreto publicado ontem.

Para o parlamentar, a redução linear de até 25% nas alíquotas do IPI vai diminuir a competitividade das empresas da Zona Franca, que já não pagam o imposto e, portanto, não serão beneficiada.

Ato de traição

Em seu perfil no Twitter, Aziz afirmou que os amazonenses foram traídos mais uma vez na noite de ontem, pelo Presidente da República.

— Esse ato do presidente Bolsonaro prejudica e retira emprego dos amazonenses, prejudica a Zona Franca de Manaus enormemente e prejudica a entrada de novas indústrias para gerar mais empregos. É um ato de traição a quem te deu uma votação expressiva na última eleição –, reclamou.

Amazônia sem futuro

O pré-candidato ao Senado Arthur Virgílio (PSDB-AM) disse através do twitter que  o decreto de Bolsonaro ameaça 500 mil empregos diretos e indiretos que o modelo Zona Franca gera.

—O Brasil precisa lutar conosco e entender que, sem a Amazônia,  não há futuro e essa garantia passa pela  fortalecimento da Zona Franca de  Manaus – disse, em vídeo,  e ex-prefeito de Manaus.

Judas

Eduardo Braga abraça Jair, que hoje considera uma eo poder –, disse.

ÚLTIMA HORA

Fique atento às novas regras para emissão e renovação da CNH

Em janeiro de 2022, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) estabeleceu novas regras para a emissão e renovação da CNH. Nesse sentido, a principal alteração prevê que todo o processo para obter a habilitação dure até 12 meses, mas as exigências para elegibilidade ao documento permanecem as mesmas. Além disso, fica estabelecido que as autoridades estaduais de trânsito são obrigadas a comunicar o condutor a respeito do vencimento do documento 30 dias antes, através do meio eletrônico. A partir da notificação, é de responsabilidade do condutor buscar o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) para realizar a atualização do documento.

As regras estabelecem que a cada dez anos o motorista precisa realizar novos exames de aptidão física e mental, mas somente são considerados válidos os resultados provenientes de clínica.

ORGULHO

Graças à um bilhete colocado em uma garrafa, a Marinha brasileira resgatou esta semana, seis náufragos na Ilha das Flechas, no Pará. Os socorristas foram acionados após pescadores encontrarem a garrafa com o pedido de ajuda. Os tripulantes estavam desaparecidos desde o dia 27 de março. Eles foram encontrados em “bom estado geral de saúde. Em letras garrafais e números de telefone dos familiares, o bilhete dizia: “Socorro, socorro! Precisamos de ajuda, nosso barco pegou fogo, estamos há 13 dias na Ilha das Flexas (sic) sem comida. Avise nossas famílias”. Felizmente, no final deu tudo certo. Depois que foram encontrados pela Marinha,  eles puderam voltar para a suas famílias.

VERGONHA

O ex-banqueiro e economista Eduardo Moreira disse ao  UOL  que considera Paulo Guedes o pior ministro da Economia que o Brasil já teve.

— Além de ter feito um mandato muito ruim, não foi capaz de entender o sofrimento que o país estava passando. Ele entrava no meio do caos, quase 5 mil pessoas morrendo por dia no Brasil e falava 'está tudo bem', 'tudo controlado'... e fazendo piadinha e só se reunindo com a XP, Itaú, com os bancos e eu falava: 'onde é que está a humanidade desse cara?...

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.