Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Ao citar o velho jargão de que “duas cabeças pensam mais que uma só”, o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, quis exemplificar que somente a união de todos os estados da região Norte, com o apoio do governo federal, poderão dar combate à criminalidade e, principalmente, ao tráfico de drogas, de armas e aos crime ambientais,  cuja porta de entrada está na Amazônia.

Essa integração entre os estados do Amazonas, Pará, Acre, Roraima e Rondônia  é o objetivo do  Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública – Regional Norte (CIISPR-Norte), inaugurado em Manaus nesta sexta-feira, 13/12, por Sérgio Moro e o governador Wilson Lima (PSC).

Durante a cerimônia, realizada às 15h20 no Centro de Convenções Vasco Vasques, Moro, Wilson Lima e os demais governadores da região Norte assinaram um termo de cooperação técnica para efetivar as ações e plano de trabalho do programa de inteligência e segurança.

Sérgio Moro chegou ao Centro de Convenções em uma comitiva integrada pelo governador e alguns políticos da bancada do Amazonas, entre eles os deputados Átila Lins (PP-AM), Silas Câmara (Republicano-AM ), Sidney Leite ( PSD-AM ), Marcelo Ramos (PR-AM) e Delegado Pablo (PSL). O deputado Josué Neto (PSD), representou o legislativo estadual, enquanto que a desembargadora Socorro Guedes, do TJAM, o poder Judiciário.

O ministro foi recebido ao som de toadas do boi bumbá de Parintins  e interrompeu a caminhada até o local do evento para apreciar o bailado das cunhãs-poranga e de índios do boi, no corredor do Vasco Vasques.     

Depois de assinar o termo de cooperação e posar, pacientemente, para fotografias ao laco dos representantes dos governadores do Norte,  o ministro teve que ouvir a sessão de discursos do representante de cada estado. O único governador que veio a Manaus foi o de Rondônia, Marcos José Rocha. Os demais mandaram representantes.

Norte unido contra o crime

Em sua fala, Moro disse que o CIISPR-N é uma iniciativa importante. Tano que o Ministério da Justiça e Segurança Pública tem dito, reiteradamente, que integração é fundamental, o  ponto central da política de Justiça e Segurança Pública do Governo Federal.

— Dizem que duas cabeças juntas pensam melhor do que uma. O que nós vamos dizer, quando todos os estados da região Norte se unem com o governo federal para criação e instalação de um Centro Integrado de Inteligência e Segurança Pública? –, questionou o ministro.

De acordo com Moro, o Centro Integrado de Inteligência de Segurança Pública,  basicamente, tem como ideia a reunião no mesmo ambiente de trabalho agentes de segurança pública de todos os estados do governo federal e de agências relacionadas e comprometidas de alguma maneira com a segurança pública.

—  Isso permite que nós tenhamos um compartilhamento de um banco de dados e de Inteligência, o que permite que possamos se ter um diagnóstico mais preciso das necessidades de Justiça e segurança pública na região Norte –, destacou Moro.

 O ministro disse ainda que, “para ser justo”, era preciso reconhecer que estratégia do governo federal e uma  iniciativa começou no governo anterior, isto é, a  criação de um centro integrado de inteligência em cada região do país, além de um centro em Brasília.

— No governo anterior foi criado o centro da região nordeste que, aliás,  teve um papel fundamental no controle da crise de segurança que acometeu o Ceará no início desse ano – admitiu o ministro.

Já durante o governo do presidente Jair Bolsonaro, continuou o ministro, essa política de integração resultou na criação do centro integrado de inteligência da região Sul, em Curitiba.

— Depois tivemos a criação do Centro Nacional, em Brasília, e agora estamos inaugurando o Centro Integrado de Inteligência da Região Norte. Não precisamos dizer da importância da região para o país. “É importante não só pela sua população, sua diversidade  e riqueza cultural, abundante economia, mas principalmente por se encontrar em uma posição tão estratégia do país com fronteira com diversos países da América Latina e igualmente por abrigar a nossa gigantesca Floresta Amazônica”, disse o ministro.

Ele encerrou garantindo que “todos os estados podem contar com o governo federal no combate ao crime”.

Já o governador Wilson Lima garantiu ao ministro Moro que em 2019 as políticas de segurança do estado reduziu em 81% os crimes  relacionados com o trágico  de drogas e de armas.

— Drogas e armas de fogo como fuzis e pistolas entram pelas nossas fronteiras e são um desafio à segurança pública.  Por isso hoje é um dia muito importante, quando estamos lançando este  centro Integrado de combate à criminalidade – disse Lima.

Com investimento na ordem de R$ 2 milhões para aquisição de equipamentos eletrônicos, o CIISPR-Norte será responsável pela coleta, análise e disseminação de inteligência para tomadores de decisão dos estados e demais agências de inteligência de segurança pública do país.

Texto: Mário Adolfo / Fotos: Secom

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.