BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Já há pessoas morrendo de Covid-19 sem notificação, diz Wilson Lima


Com a maior taxa de incidência de todo o Brasil, o Amazonas já começa a registrar morte de pessoas sem a notificação por parte das autoridades sanitárias. Foi o que aponta, e o que disse o que governador Wilson Lima em entrevista à Rádio Tiradentes na manhã desta sexta-feira, 17/04. De acordo com ele, os hospitais estão lotados e muita gente vem falecendo em casa e acionando as funerárias sem passar pela notificação da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS).

Enterros

"Nós não temos testes para fazer em todo mundo. Os corpos estão sendo levados direto para o enterro. Tínhamos uma média de 30 enterros em Manaus e ontem tivemos mais de 100 na capital", afirmou Wilson.

Municípios

Wilson usou o caso de Parintins para mostrar que o isolamento social vem dando certo. Na Ilha Tupinambarana, há 11 casos. "Em Parintins os casos estancaram. Estamos pensando em adotar medidas mais duras para que aconteça o mesmo em Manaus", informou.

A sobrevida de Paulo Guedes

O senador Omar Aziz (PSD) afirmou que a pandemia de coronavírus foi um fator positivo para a atuação do ministro da Economia, Paulo Guedes.

— O coronavírus,  que está tirando vidas, deu uma sobrevida ao Paulo Guedes no ministério da Economia". A cutucada de Omar foi feita durante no UOL Debate.

Aziz, que é presidente da Comissão de Assuntos Econômicos do Senado, lembrou que a economia já vinha apresentando sinais negativos desde antes da crise:

— Já vínhamos numa retração, nós já tínhamos de 12 a 13 milhões de desempregados no Brasil –, analisou o senador.

Pibinho de 1,1%

Aziz disse que a economia vinha cambaleando, com PIB muito pequeno. No ano passado, observou ele, o PIB brasileiro foi de apenas 1,1%. Para o senador, a economia brasileira não poderá contar com auxílio externo durante a crise.

— É um momento que um país não pode auxiliar o outro. Nós não podemos esperar por ninguém  –, afirmou Omar.

Dependente de máscara?

O senador criticou o fato de o Brasil ser um país dependente da importação de equipamentos de saúde.

—  O Brasil não pode ser mais dependente de máscara. Nós temos que focar em alguns exemplos e ser grandes produtores. Faltar máscara no Brasil com tanta fábrica que temos? –, questionou.

Zerar a tributação

De acordo com Omar, uma das soluções para este problema, seria zerar a tributação desses produtos.

— Acho que equipe econômica tinha que incentivar, zerar qualquer tipo de imposto, exportação, componentes para que a gente fique autossuficiente... para que, se tivermos isso de novo ou outro tipo de doença, a gente não fique dependente de importação.

Senador disse que situação da economia já era péssima, mesmo antes da pandemia

“Sobre o meu cadáver!

O governador Wilson Lima garantiu que a implantação do Hospital Nilton Lins é necessária e urgente para a implantação da unidade, que vai servir como hospital de retaguarda para casos do novo coronavírus (Covid-19).

— Nós não vamos parar, e eu quero ver quem vem aqui enfrentar o governador para parar o trabalho aqui. Só por cima do meu cadáver!  –, arregaçou o governador.

Justiça cassou

O juiz da 5ª Vara da Fazenda Pública Cezar Luiz Bandiera, do Tjam,  suspendeu, na noite desta quarta-feira (15), o contrato de aluguel do governo do Estado com a Faculdade Nilton Lins no valor total de R$ 2,6 milhões para aluguel de prédio onde deveria funcionar hospital sem data para início de funcionamento.

É fake, diz governador

O Governo do  Estado recorreu da decisão judicial que concedeu liminar suspendendo a implantação dos 400 leitos programados para a unidade e conseguiu decisão favorável do presidente do TJAM, Yedo Simões.

— Nós estamos trabalhando, o mundo está trabalhando para salvar vidas, o tempo nesse momento é exíguo e é nosso inimigo. Enquanto a gente está fazendo isso, tem pessoas que estão lutando contra.

O governador contra atacou dizendo que é inadmissível “uma decisão dessa baseada numa fake News”.

Desagravo

A nota de desagravo, a Associação dos Magistrados do Amazonas (Amazon), que reúne os Magistrados do Tribunal de Justiça do Amazonas, publicou nota questionando a posição do governador  de que as obras “somente seriam paralisadas, passando por cima do meu cadáver”.

Estado de direito

A Amazonas observou que o exercício do cargo de Governador do Estado exige de seu titular “redobrado senso de equilíbrio e respeito aos pilares que sustentam o Estado Democrático de Direito, sobretudo a autonomia dos poderes constituídos, que deve permitir o harmônico funcionamento de todos eles”.

Deputado querem convocação de nova secretária

Vai lá, Simone!

O deputado Serafim Corrêa (PSB)  cobrou mais uma vez a presença da nova secretária de Saúde,  Simone Papaiz, na sessão da Assembleia Legislativa, que tem sido virtual.

Queremos ajudar

Sarafa disse que todos os 24 deputados “querem o  melhor, nós queremos ajudar”.

— Aqui todo mundo está ansiosos, angustiado, indignados. E no momento que não se comunica bem gera uma intranquilidade na população.

Cabo de guerra

O líder do PSB disse que se estabeleceu um “cabo de guerra” entre o Legislativo e o Executivo, mas não é nada disso.

— Parece que nós estamos contra eles e eles estão contra nós. Mas não é nada isso. Só queremos que ela venha dizer qual a sua estratégia para combater a pandemia.

Aos 73 anos, não dá...

O parlamentar pediu respeito ao Parlamento e à população.

— Quero dizer que não tenho nada contra a secretária. Mas não dá, Aos 73 anos, fazer de conta que não estou vendo o que está acontecendo.

Não amarrou o burro

A demissão do ministro Luiz Henrique Mandetta não surpreendeu a ninguém. Até porque o país inteiro conhece a forma de agir do capitão Jair, quando alguma coisa o desagrada. No jargão popular, o ministro da Saúde não amarrou o burro onde o dono mandou e, por isso, foi demitido.

Aplaudido de pé

Apesar do constrangimento de ser mandado embora quando vinha fazendo um bom trabalho e priorizando a ciência, ao invés do discurso virulento do capitão, Mandetta saiu fortalecido. Na derradeira entrevista, foi  aplaudido de pé pelos funcionários mais graduados e até os mais humildes do ministério.

76,2% contra demissão

E mais: Pesquisa do Atlas Político, feita entre domingo e terça-feira, , que contou com 2.000 pessoas recrutadas na Internet e tem margem de erro de 2 pontos para mais ou menos, apontou que 76,2% dos brasileiros eram contra a demissão do ministro.

Exemplo esdrúxulo

Novamente o Bolsonaro se supera. O Brasil mostra ao mundo que somos o único país do planeta que demite o Ministro da Saúde no meio da maior crise de saúde do mundo nas últimas décadas.

Assepsia nos supermercados

O Projeto de Lei  que obriga os supermercados, hipermercados e similares a disponibilizar álcool líquido e em gel 70%, para assepsia e proteção à saúde dos clientes, recebeu parecer favorável da maioria das comissões na Câmara Municipal. Entre elas a de Constituição e Justiça, Economia e Orçamento e de Saúde.

Sanção de Arthur

O projeto de lei vai ser discutido e votado na segunda-feira (20/4) e, se aprovado, será encaminhado para sanção do prefeito Arthur Virgílio Neto (PSDB).

— É uma forma de fazer com que o consumidor não leve esse vírus para casa –, disse Mirtes.

Vetor de transmissão

O vereador Marcelo Serafim (PSB), presidente da Comissão de Saúde da Câmara Municipal, apontou um dos motivos que fez agravar a crise de Covid–19. Através das redes sociais, Sarafa Jr. disse que os profissionais que estavam fazendo o atendimento desses pacientes não tinham os equipamentos de proteção individual (EPIs) necessários para sua proteção e foram infectados.

Vetor de transmissão 2

— Muitos profissionais da saúde infectados e assintomáticos se transformaram em vetor de transmissão do vírus, o que fez com que a doença se propagasse de forma descontrolada –, explicou o vereador e farmacêutico.

Projeto de Lei pede álcool em gel em supermercados para assepsia

Praia deserta

A Prefeitura acerta em cheio ao manter a praia da Ponta Negra interditada por tempo indeterminado. A medida e soma-se a uma série de determinações do prefeito Arthur Virgílio Neto para a proteção da população.

Apaga a luz

Parte da iluminação pública também foi reduzida e desligada no local. Com isso, o prefeito Arthur Virgílio atende às orientações de isolamento social e reduz ainda mais o fluxo de pessoas que buscam o local para fazer caminhadas e até corridas noturnas.

ORGULHO

Todo dia às 6 da tarde o bombeiro militar reformado, João Filho, de 49 anos, tem uma missão especial com o sax : levar esperança para pessoas que estão presas em seus apartamentos, respeitando o isolamento social para reduzir o contágio coronavírus. Ele leva carinho e o saxofone aos condomínios de prédios de Águas Claras, a 20 km de Brasília, no Distrito Federal e, após as primeiras notas, a plateia começa a surgir nas sacadas dos prédios pra curtir.

“Tem gente que acena, fica dançando na sacada, com uma taça de vinho na mão..”, contou o saxofonista João Filho, que também é cantor. E os shows, programados para durar 35 minutos, têm tantos pedidos de “bis” que acabam levando mais de uma hora.

VERGONHA

A 4ª Vara Cível de São Paulo determinou que Fábio Assunção, no ar em “Totalmente demais”, receba indenização de R$ 30 mil, por danos morais, do colunista Rodrigo Constantino, que escreveu um texto ofensivo, em agosto de 2016, contra o ator. Foi por Fábio ter se declarado contra o impeachment de Dilma Rousseff. O título era “Assunção da idiotice política”. O economista ironizou o sério problema que o ator teve com drogas, dizendo que ele havia “tido uma recaída”. Que horror.

— Ele vai pagar por ter ferido minha integridade e dignidade em seu blog. Mais um que não sabe discutir opiniões sem violência moral — desabafou Fábio.

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.