BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - “Me expulsaram para calar minha boca”


O deputado estadual Dermilson Chagas saiu do PP,  mas saiu atirando.

Para ele, sua expulsão do partido foi puramente política, por fazer oposição ao governo e por repudiar o que vem acontecendo na saúde, educação e segurança pública.

—  Meu posicionamento fez com que o partido me expulsasse, porque fui oposição ao Wilson Lima, porque não subi no palanque no segundo turno. E o próprio partido não fez nenhuma reunião dizendo que a gente ia ficar do lado do governo —, disse Dermilson a D&F.

O parlamentar observa que um partido tem que voltar seus interesses de forma clara para a sociedade. Mas isso, no PP, mudou.

— Eu estou do lado do povo e o pessoal ( que o expulsou)  está atrás de seus objetivos e de suas meta e projetos pessoais. Não é projeto da sociedade! – protestou.

Pediram a cabeça

De acordo com Dermilson, sua expulsão foi um pedido do governo do estado para “poder calar a minha boca, porque eu não me rendi a esses caprichos dos bastidores que acontecem no nosso estado”.

— Lamentavelmente passo a ser vítima de um governo perseguidor que procura todos os meios e formas calar a boca de quem fala mal dele.

Para onde vou?

Agora, sem partido, Dermilson Chagas valia que caminho deve seguir para escolher uma legenda que abrigue sua bandeira de oposição.

—Tenho vários convites para decidir para onde ir e de que forma ingressar nessas legendas. Mas, de uma coisa é certa: legenda que faz base para o governo eu estou fora.

É foguete ou bala?

Por volta das 20 hora desta segunda-feira, uma bateria de foguetes começou a estourar no céu do Coroado.

O papoco durou por mais de uma hora. Num bar bem próximo, um grupo de amigos enxugava uma cerveja, quando um deles perguntou:

— O Flamengo joga hoje?

— Que eu saiba, não! –, respondeu o outro.

Nem bem fechou a boca, passou um moleque em frente ao bar gritando:

— É bala. O CV tá vindo a[i!!!

Não ficou um no bar. Nem pra pagar a conta.

Guerra de facções

A verdade dos fatos é que no meio foguetório também tinha estampido de tiros.

E o barulho foi pra anunciar que o Comando Vermelho (CV) restava ocupando as bocas da Família d Norte (FDN), em mais um confronto na guerra entre facções que vem tirando a paz de Manaus.

Redução do ICMS...

O governador Wilson Lima é favorável à redução do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos combustíveis.

Mas não alertou que pode tratar essa questão de redução de tributos e maneira superficial, mas de forma responsável e técnica.

...por que não?

A manifestação de Lima foi feita no primeiro Fórum Nacional de Governadores de 2020, que reuniu representantes, entre governadores e vices, de 21 estados da federação e do Distrito Federal, no edifício-sede do Banco do Brasil.

Carga pesada

Paralelo ao ICMS, o governador do Amazonas defendeu uma revisão na questão tributária não somente sobre os combustíveis, mas sobre os tributos que são aplicados no Brasil.

— É uma carga muito pesada e uma composição tributária muito complexa, que acaba dificultando a vida de quem quer investir  do consumidor que sente lá na ponta –, analisou Wilson.

Porta da frente

Dizendo-se “pacificador” e “conciliador”, o deputado Josué Neto disse que está deixando o PSD pela porta da frente.

Mesmo livre para ir para outro partido, Josué disse que continuará apoiando o presidente Jair Bolsonaro.

Ele acima de todos

Nem precisava, pela frase do presidente da Aleam, já dá para perceber para que lado o “pacificador” está indo:

—  A ideia agora é seguir em frente com nossos projetos e fazer um grande arco de aliança na construção da boa política, com pessoas tementes a Deus, que amam nossa pátria, valorizam a família, a segurança dos cidadãos de bem e o desenvolvimento do nosso Amazonas, do nosso país”.

Perguntar não ofende: Quem é que fala assim mesmo, hein?

Pegou os multimilionários

O deputado federal Marcelo Ramos (PL-AM) propôs e o Congresso acatou proposta que prevê a taxação dos fundos de investimentos de multimilionários, chamados de fundos fechados, para bancar, de forma permanente, o 13º do Bolsa Família e sua extensão aos contemplados pelo Benefício de Prestação Continuada (BPC).

O projeto foi acolhido pelo relator da comissão mista que analisa a medida provisória que trata do assunto, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Previsão de R$ 10,7 bi

Segundo Marcelo Ramos, será possível arrecadar R$ 10,7 bilhões por ano, em média.

— Hoje os multimilionários que aplicam em fundos fechados são isentos do pagamento de Imposto de Renda durante o período de aplicação.

Ideia de Ramos

O relatório da MP propunha, anteriormente, que a receita para essas despesas saísse da tributação sobre lucros e dividendos.

Mas o Congresso e o governo resistiram à ideia.

Daí Randolfe Rogrigues apontou em seu relatório final outras duas fontes de recurso, propostas por Marcelo Ramos, integrante da comissão mista da MP.

Smartphone dobrável

A Samsung apresentou nesta terça-feira (11) o Galaxy Z Flip, o seu mais novo modelo de smartphone dobrável.

Desta vez, o aparelho tem um formato diferente. Em vez de virar um tablet quando aberto em seu tamanho total, o dispositivo tem forma de flip ou concha.

Fashion

A empresa aposta bastante na ideia de que o dispositivo é um item não apenas de luxo, mas fashion.

Entre os dias 4 e 10 de março, haverá uma exibição prévia do Galaxy Z Flip em algumas lojas selecionadas.

Já o início das vendas no País será em 11 de março, com preço sugerido de R$ 8.999,00, em versões ultravioleta e preto.

EM SALTA

A prefeita da cidade de Granja, no interior do Ceará, decidiu cancelar a realização da festa de Carnaval da cidade neste ano. Amanda Aldigueri, do PDT, quer que o dinheiro que seria utilizado na confraternização seja usado para obras que contenham a força das águas na cidade. A ação da prefeitura acabou inspirando outras duas cidades do Ceará que também suspenderam as festas de Carnaval deste ano. As prefeituras das cidades Ubajara e Tianguá anunciaram o cancelamento para destinar o dinheiro a outras áreas das cidades.

EM BAIXA

O ex-capitão do Bope,  Adriano Magalhães de Nóbrega, morto em confronto com forças de segurança da Bahia, fez amizade com Fabrício de Queiroz, que trabalhou como assessor do senador Flávio Bolsonaro (sem partido-RJ), quando este foi deputado estadual. Anos depois, Queiroz indicou a mãe e a mulher de Adriano para trabalhar no gabinete do filho mais velho do presidente da República. Adriano chegou a ser homenageado por Flávio Bolsonaro com a Medalha Tiradentes, a mais alta honraria da Assembleia Legislativa. O ex-policial foi acusado de comandar a milícia de Rio das Pedras e já foi investigado por suspeita de envolvimento nas mortes da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.