BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Arthur Virgílio teme “colapso funerário” em Manaus


O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio (PSDB) disse em entrevista à CNN, que Manaus está muito próximo de entrar em “colapso funerário” e até sugeriu um contato com um crematório do cemitério Recanto da Paz, de Iranduba, para resolver a demanda de enterros.

— Está havendo um colapso funerário. Os enterros estão crescendo de maneira exponencial. É uma situação que deixa as pessoas muito nervosas, estressadas –, disse o prefeito.

Arthur criticou duramente a atitude de Bolsonaro,  que mais uma vez foi para a rua, abraçar pessoas e apertar suas mãos em uma padaria de Brasília, confrontando as orientações de isolamento da OMS e de seu próprio ministério da Saúde. “Assim ele só atrapalha”.

Lição de Obama

Ao criticar a atitude de Jair Bolsonaro, Virgílio citou o ex-presidente dos Estados Unidos, Barack Obama.

—   Lembro o presidente Obama que dizia “um líder não deve desinformar seus comandados.  Bolsonaro não pode mais dar esses exemplos, desmobilizando a população.

Que quarentena?

Arthur traçou o quadro preocupante de Manaus, em tempos de pandemia,  aos âncoras da CNN.

De acordo com o prefeito, as ruas da cidade hoje estão cheias de carros, as pessoas estão entrando no que está aberto tentando fingir que é uma vida normal e se esquecem de que isso aí não ativa economia coisa alguma.

—  Vai causar mais doentes, mais colapso no sistema e um atraso na retomada da economia –, advertiu o tucano.

Incêndio só no vizinho

O prefeito disse que sente penas das pessoas que tentam convencer a si mesmo, acreditando que “esta tudo bem, que não existe nada”.

— Elas acreditam que incêndios só acontecem na casa do vizinho.

Ainda é cedo

Falando em Arthur, é o caso de se perguntar: as eleições municipais poderão ser adiadas? Ao menos por enquanto, não. É o que pensa o  ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Luis Roberto Barroso. Nesta sexta-feira (10/04), ele disse que ainda é cedo para uma definição sobre um possível adiamento do pleito de outubro.

Congresso decide

Para o ministro,  quem pode fazer isso é o Congresso.

— A mudança de data da eleição depende do Congresso. Se tivermos que adiar por dois meses, que possamos realizar no primeiro domingo de dezembro –, disse, em entrevista à rádio BandNews.

Eleições às pressas

Neste caso, disse ele, teria de haver uma aceleração da diplomação dos candidatos e dos prazos de prestação de contas de campanha para que a possa seja em 1º de janeiro. Barroso, que assumirá em maio a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Acode Manaus

Manaus está entre as três capitais que receberão, neste sábado, 11, do Ministério da Saúde,  um conjunto de 60 respiradores para atendimento de pacientes com quadro grave da Covid-19. As outras capitais são Fortaleza Macapá.

Decolando

A capital amazonense irá receber 20 respiradores. A aeronave que irá transportar os equipamentos, cujo voo não foi informado, tem decolagem  prevista para a manhã de sábado, 11.

Delphina em colapso

Em Manaus, os equipamentos devem ser destinados ao Hospital Delphina Abdel Aziz, que entrou em colapso na madrugada desta sexta, segundo funcionários de plantão ouvidos pela Folha de S.Paulo.

3º no ranking de Covid-19

No coeficiente de incidência, que engloba o total de casos pela população, Manaus está em terceiro lugar, com 28 casos a cada 100 mil habitantes.

Tragédia anunciada

O que foi alertado na semana passada, aqui nesta coluna, começou a acontecer. A Covid-19 chegou à floresta e, infelizmente, vai ser mais uma tragédia anunciada para as populações indígenas da Amazônia. Na noite desta quinta-feira (9) o jovem Yanômami, de 15 anos de idade, que testou positivo para a covid-19 e havia sido internado no Hospital Geral de Roraima (HGR), em Boa Vista.

Vulneráveis

É fundamental que os governos da região, que controlam as Forças Armadas e ministérios da Saúde,  entrem em ação para isolar as aldeias e não permitam mais que pessoas não indígenas entrem nos territórios onde os povos indígenas estão em isolamento voluntário, porque são os mais vulneráveis”,

Ancestrais dizimados

Embora a Covid-19 seja uma doença recentemente conhecida, para os povos indígenas da bacia amazônica, a ameaça revive o medo de patologias vindas de fora, como as que dizimaram seus ancestrais.

Genocídio

Segundo o historiador americano Henry Dobyns, as doenças importadas pelos europeus na América (tifo, varíola, sarampo, peste, etc.) mataram 95% da população do hemisfério durante os primeiros 130 anos da colonização.

“Grávido”

Sempre irritado, o presidente Jair Bolsonaro foi a uma farmácia em Brasília após sair do Hospital das Forças Armadas (HFA), nesta sexta-feira (10). Questionado sobre o motivo da ida ao HFA, Bolsonaro afirmou:

— Fui fazer teste de gravidez.

Abraço de mãe...

Fotografia publicada na imprensa italiana comoveu o mundo. A enfermeira de UTI Kelsey Kerr, 28, que está na linha de frente dos tratamentos de pacientes contaminados com Covid-19, sendo abraçada pela mãe, Cheryl Norton, 64 com a proteção de um lençol.

... sempre conforta

Kelsey mora na mesma rua que sua mãe, em Blue Ash, Ohio – EUA,  mas as duas não se encontram há semanas. Porém, o acaso fez com que elas se cruzassem e o impulso materno fez com que Cheryl jogasse um lençol que tinha em mãos sobre a filha e lhe desse um forte abraço.

— Meu coração disparou. Foi tão bom abraçá-la por um segundo.

Estou aqui

Cheryldisse quis queria  passar a sensação de segurança à filha pois leu que os profissionais de saúde estão se sentindo muito isolados.

— E impulsivamente, quis mostrar a minha filha que estou aqui, passar segurança a ela –, disse a mãe,  considerada grupo de risco para a Covid-19 .

Tempos de guerra

O ex-presidente Lula reagiu, nas redes sociais, diante da fala do presidente do Banco Central, em que afirma que ‘não dá pra imprimir dinheiro porque gera inflação’.

— Ontem eu vi o presidente do Banco Central dizendo que não dá pra imprimir dinheiro porque gera inflação. Será que esse maluco sabe o que está acontecendo com o povo? Será que ele já viu o tamanho da queda da demanda? É tempo de guerra.

Meirelles diz o mesmo

Depois chamam Lula de “analfabeto”. A tese dele é a mesma  do ex-presidente do Banco Central – durante a crise financeira internacional de 2008 –, Henrique Meirelles, para quem chegou a hora do governo federal aumentar fortemente suas despesas para conter o impacto do coronavírus sobre a saúde e a economia.

— Isso deve ser feito inclusive com a impressão de dinheiro pelo Banco Central (BC) e com a captação de recursos pelo Tesouro Nacional por meio da emissão de dívida –, disse em entrevista à BBC News Brasil.

Economia brutal

Para Meirelles, a retração da economia agora será tão brutal que não existe risco de inflação caso a autoridade monetária emita moeda.

Aos pobres, nada

As declarações de Meirelles convergem com o que  afirmou o líder petista. Lula disse que o governo está tratando essa crise como se fosse uma qualquer.

— Eles dão liquidez aos bancos enquanto aos pobres não se dá nada. Enquanto isso, os americanos e alemães estão imprimindo dinheiro. O Brasil precisa imprimir moeda urgente –, postou Lula pelo Twitter.

ORGULHO

Quinn Callander, 12 anos, um escoteiro de Maple Ridge, no Canadá, está recebendo atenção mundial por usar sua impressora 3D para criar um protetor para máscaras cirúrgicas, usadas por médicos e enfermeiros que atendem pacientes da COVID-19. Isso torna menos árdua a jornada de profissionais de saúde que trabalham incansavelmente para conter a pandemia. Imagine passar horas trabalhando com elástico da máscara machucando as suas orelhas? Quinn criou uma tira cheia de dentes para ser colocada na parte de trás da cabeça e segurar os elásticos da máscara. Heather Roney, a mãe do garoto, contou que o filho fez centenas desses protetores de orelhas em casa e doou a profissionais de saúde em várias partes do mundo.

VERGONHA

A padaria Pão Dourado terá de prestar esclarecimentos à Secretaria DF Legal sobre o descumprimento do decreto em vigor, que proíbe o consumo dentro das lojas. Nessa quinta-feira (09/04), o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), esteve no local, onde comeu um sonho e tomou um refrigerante no balcão de atendimento da unidade localizada na 302 Norte. O impedimento de comer ou beber dentro dos estabelecimentos é mais uma forma de prevenção ao coronavírus. Uma vez que a norma foi desrespeitada, serão enviados auditores ao local para orientar o proprietário sobre o decreto, além de verificar qual é a rotina da loja. Em caso de reincidência, a panificadora pode ser multada em R$ 3,6 mil.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.