BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Em Brasília, Wilson trata de estratégias para vacinação contra Covid-19


O governador Wilson Lima participou, nesta terça-feira (20), em Brasília, de reunião do Fórum Nacional de Governadores com o Ministério da Saúde para discutir o planejamento para a vacinação contra o novo coronavírus no país, prevista para iniciar em janeiro de 2021. No encontro, o ministro Eduardo Pazuello também anunciou a aquisição de 46 milhões de doses da vacina Butantan-Sinovac/Covid-19, em desenvolvimento pelo Instituto Butantan.

A medida faz parte da estratégia do Ministério da Saúde para a ampla oferta de vacinação aos brasileiros, que já conta com outros dois imunizantes (AstraZeneca e Covax). Somadas, as três vacinas representam 186 milhões de doses.

Governador também quer antecipação da campanha de imunização contra H1N1 no Amazonas.

“Aqui, foram apresentados alguns prazos, foram apresentadas as fases em que estão as testagens dessas vacinas, e há uma previsão de que efetivamente elas comecem a chegar aos estados em meados ou no final de janeiro, então, isso nos dá uma grande esperança de que a gente possa, o mais rápido possível, voltar à normalidade da nossa vida. Naturalmente, há critérios para que isso aconteça, a gente continua seguindo todas as orientações e também repassando para toda a população”, avaliou Wilson Lima.

Durante a reunião, o governador também fez um apelo para que o Ministério da Saúde antecipe a vacinação contra H1N1 no Amazonas. “Daqui a 30 dias, vamos começar o nosso período chuvoso, em que há uma maior incidência de síndromes respiratórias, então, é importante que nossa população esteja imunizada para que não haja confusão de que todo mundo que pega H1N1 ou qualquer outros vírus já seja suspeito de Covid”, justificou.

Wilson Lima defendeu, ainda, que os recursos disponibilizados pelo Governo Federal para o combate à pandemia também possam ser utilizados no tratamento de pacientes pós-Covid.

“Eu fiz um apelo ao Ministério da Saúde com relação àqueles pacientes que já estão curados, mas continuam ocupando um leito de UTI, e o apelo que eu fiz foi para que esse recurso destinado à Covid também seja destinado para o atendimento desses pacientes”, afirmou.

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.