BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Homens morrem soterrados após muro desabar em Manaus


Antônio Costa da Silva, 38, e Luís Afonso Ramos, 51, morreram soterrados após o desabamento de um muro na rua Alvares de Azevedo, no bairro Compensa, situado na Zona Oeste de Manaus, na tarde de segunda-feira (26). Os dois trabalhavam

O caso ocorreu por volta das 14 horas, segundo o Corpo Militar de Bombeiros do Amazonas (CBMAM). O órgão enviou quatro viaturas ao local: uma Auto Bomba Tanque (ABT 29), duas Auto Rápido (AR 56 e AR 53) e uma Unidade de Resgate (UR 23).

Alvará vencido

De acordo com o major Robson Falcão, diretor de operações da Secretaria Municipal de Proteção e de Defesa Civil de Manaus, no local foi constatada uma placa com alvará de construção com data vencida. “Não sei se foi renovado e a placa não foi substituída. Estamos verificando essa questão com o Implurb”, disse.

A placa informativa de um edifício em construção cujo muro desabou sobre dois pedreiros está com o vencimento do alvará marcado para dezembro de 2020. Em nota, o Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) afirmou que a obra obteve alvará em 2019. No dia 10 de dezembro de 2020 foi notificada e autuada pelo Implurb para providenciar a renovação de alvará.

No dia 11, o proprietário foi informado novamente da necessidade de renovação de licença da obra no prazo de 20 dias. Conforme o Implurb, o proprietário foi notificado a manter o serviço de construção paralisado até a regularização e emissão da respectiva renovação de alvará de construção. Assim, a construção, se estava sendo realizada, estava irregular, sendo de total responsabilidade do seu proprietário e do responsável técnico, afirma o Implurb.  O espaço em A Crítica está aberto para manifestação da empresa.

Falcão afirmou, ainda, que a suspeita da causa do desabamento é a de que o muro sofreu pressão gerada por barro cheio de água, em decorrência da chuva.

“É preciso verificar como esse muro foi construído. Estruturalmente falando, não há nenhum tipo de problema. A questão ocorreu pontualmente na frente da edificação que está sendo construída”, relatou.

Segundo o delegado Daniel Vezzani, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), funcionários da obra e familiares da vítima prestarão depoimento na delegacia. As investigações prosseguirão em unidade especializada para o caso.

Os corpos dos homens foram levados ao Instituto Médico Legal (IML).

Fonte: Portal A Critica

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.