BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

UFAM não aprova ensino remoto e finalistas ficam impedidos de se formar


Os alunos finalistas do curso de Direito da Unidade Federal do Amazonas (UFAM) estão há quase um ano sem nenhuma atividade acadêmica e por isso não conseguem se formar. O calendário acadêmico foi paralisado em março de 2020 devido a pandemia de Coronavírus e neste período não foi adotado o sistema de aula remota, prejudicando os alunos.

Um dos estudantes é Jonathan Alves que explicou ao Radar que faltam apenas duas matérias para concluir o curso, mas ainda não pôde se formar devido a situação e ainda não tem sequer uma previsão para acontecer o retorno das atividades acadêmicas.

"Tem pelo menos outros cem alunos nessa situação, que estão prestes a se formar e alguns assim como eu já até foram aprovados no exame da Ordem dos Advogados do Brasil, mas não podemos exercer a profissão porque não temos o diploma", disse o estudante.

O estudante explica que mesmo com a Portaria nº 544/2020 do Ministério da Educação (MEC) que autoriza a substituição das aulas presenciais por aulas em meios digitais remotamente, a universidade não aderiu ao método pelo fato da medida não ser obrigatória.

A situação também prejudica os alunos que são estagiários, considerando que o limite do estágio é de dois anos e ainda não podem ingressar no mercado de trabalho e nem prestar concurso pela falta do diploma. De acordo com informações repassadas pelos alunos, o professor Adriano Ferreira, vice-diretor da faculdade de direito já solicitou a volta às aulas a distância, mas o Conselho Superior de Ensino ainda não aprovou.

"Eu me preocupo muito com os nossos alunos que estão sem aula, eu acho que nós temos que procurar uma solução. Tem alunos desesperançosos, tem aluno da universidade pública indo para a universidade privada. Eu acho isso uma vergonha para nós que estamos aqui para prestar um serviço público", disse o professor Adriano Ferreira durante videoconferência realizada no último dia 4.

Os estudantes já formalizaram denúncias ao Ministério Público Federal (MPF), na ouvidoria do MEC e também para parlamentares do Amazonas, para pedir que a Instituição aprove o ensino remoto o mais breve possível, tendo em vista que esta é a única solução diante da pandemia de Covid-19.

A assessoria da UFAM foi contactada para respondem por que o ensino remoto ainda não foi aprovado e qual a previsão para estes estudantes se formarem, mas até o momnto da publicação desta matéria, não foi obtido resposta.

Fonte: Radar Amazônico

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.