BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Teatro Amazonas abre para visita gratuita no Dia Nacional do Patrimônio Histórico



No Dia Nacional do Patrimônio Histórico, celebrado nesta terça-feira (17/08), o Teatro Amazonas abre as portas para visitas gratuitas em homenagem à data. Os prédios do Palácio da Justiça, Palácio Rio Negro e Palacete Provincial, tombados como Patrimônio Histórico e Artístico do Amazonas, compõem a programação de acesso liberado, das 9h às 17h, com agendamento no Portal da Cultura (cultura.am.gov.br) e protocolos para evitar o risco de contaminação da Covid-19.

O secretário Marcos Apolo Muniz explica que a gratuidade do maior patrimônio histórico do Estado amplia as oportunidades para as pessoas conhecerem o Teatro Amazonas.

As visitas ao Teatro Amazonas acontecem com grupos de 20 pessoas. Em 30 minutos, o público circula pelo Salão Nobre, Salão de Espetáculos e Salão Verde, intitulado “Sala de Exposição de Música e Dança”, até a Saleta de Exposição da Cúpula, além da maquete feita com blocos de Lego, uma escultura de bronze do artista francês Adrien Étienne Gaudez e o Camarim de época.

Palácios – Localizados no Centro Histórico de Manaus, o Palácio da Justiça, Palácio Rio Negro e Palacete Provincial estão abertos para visitas de 45 minutos.

O Palácio da Justiça, que fica na avenida Eduardo Ribeiro e foi tombado em 1980, traz detalhes da arquitetura em estilo renascentista e da história do Poder Judiciário do Estado, abriga o Museu do Crime e exposições de diversas linguagens. “Caruanas – O foco repousa na força mística”, “Olhares Tumbira”, “Abraçando o Xapono”, “Severiano 90 anos” e “Arquiteotonicas” compõem o circuito de mostras da casa.

Localizado na avenida Sete de Setembro, 1.546, o Palácio Rio Negro conta com 228 peças no acervo e foi tombado em 1980 como Patrimônio Histórico e Artístico do Estado do Amazonas. Nas salas Antônio Bittencourt e Ephigênio Salles está a exposição “O Clamor da Mata”, de Pietro Bruno. Em 15 quadros, o artista plástico defende a preservação da cultura indígena, a flora e a fauna amazônicas, ao retratar elementos do cotidiano, tradições indígenas e da Floresta Amazônica.

Os palácios estão abertos para visitas de 45 minutos

Na Praça Heliodoro Balbi e tombado em 1988, o Palacete Provincial sedia a Pinacoteca do Estado e os museus de Numismática, Tiradentes, da Imagem e do Som e de Arqueologia. O local tem em cartaz a mostra “Na Sintonia do Rádio”, na sala José Bernardo Michiles, da antropóloga e diretora teatral Nonata Silva, que também é artista visual e contempla três recortes específicos que destacam a invenção, as primeiras transmissões, rádios antigos, as radionovelas e toda a diversidade de timbres e sons das rádios locais.

Protocolos – Os equipamentos culturais passam pelo processo de sanitização e têm totens de álcool em pontos estratégicos. São exigidos todos os procedimentos para evitar o risco de contaminação da Covid-19, entre eles o uso obrigatório de máscara, medição da temperatura e distanciamento de 1,5 metro. Também fica proibido o contato físico com elementos dos espaços, como colunas, paredes, vitrines expositoras, esculturas, pinturas, demarcadores, portas e maçanetas.

Redação

Redação

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.

Manaus