BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - 'Hospitais de Manaus viraram câmera de asfixia', relata pesquisador da Fiocruz


A situação nos hospitais de Manaus na quarta-feira 15/01 foi macabra. Nem Alfred Hitchcock imaginaria cenas mais aterrorizantes: seres humanos morrendo por asfixia, por falta de oxigênio. Isso em pleno  século 21. À coluna de Monica Bergamo, na Folha de S.Paulo, o pesquisador Jesem Orellana, da Fiocruz-Amazônia, detalhou os depoimentos que recebeu de profissionais que atuam na linha de frente do combate à pandemia em Manaus.

—  Estão relatando efusivamente que  efusivamente que o oxigênio acabou em instituições como o Hospital Universitário Getúlio Vargas e serviços de pronto atendimento, como o SPA José de Jesus Lins de Albuquerque –, disse Orellana, informando que acabou o oxigênio e os hospitais viraram “câmaras de asfixia”.

—  Os pacientes que conseguirem sobreviver, além de tudo, devem ficar com sequelas cerebrais permanentes –, disse o pesquisador à jornalista.

De quem é a culpa?

Em Manaus, muitos se apressaram em crucificar o governador Wilson Lima (PSC). Mas esquecem que o suprimento de oxigênio não deu conta da explosão da  demanda. No entanto,  não é hora de buscar culpados. E sim soluções. O governo do Estado tem sua parcela de responsabilidade, sim, mas o presidente do país, Jair  Bolsonaro (sem partido),  mais ainda.

Bolsonaro sabia

E não venham me dizer  que ele não sabia da situação drástica, pois sabia, sim. E até chegou a debochar no puxadinho do Palácio da Alvorada. É só lembrar o que ele disse:

— Aumentou assustadoramente o número de mortes. E mortes, pessoal, por asfixia porque não tinha oxigênio. O governo estadual deixou acabar oxigênio. É morrendo asfixiado. Imagine você, morrendo afogado – ironizou o presidente.

Veio fazer o quê?

Em seguida, Jair disse que mandou seu ministro da saúde, Eduardo Pazuello a Manaus para interferir no estado e resolver a falta de oxigênio.

— Olha  o que estava acontecendo em Manaus agora. Vamos falar Amazonas porque Amazonas se resume, em grande parte, a Manaus. São poucas cidades lá. Mandamos ontem [segunda-feira] o nosso ministro da Saúde [Eduardo Pazuello] para lá. Estava um caos. Não faziam tratamento precoce – disse Bolsonaro.

Só sei que nada sei

De fato, Pazuello veio, mas nada resolveu. Nem o dia certo da vacina ele soube informar. “Vai ser no dia D, na hora H", limitou-se a dizer.

Menos papo, mais ação

Por quê, ao invés de ficar rolando ler no puxadinho do Palácio do Alvorada o presidente não determinou que um avião da Força Aérea Brasileira (FAB)  viesse a Manaus trazer oxigênio.

Marcelo Ramos vem atuando na crise

Pelo menos ele

D&F já perguntou várias vezes onde está bancada do Amazonas no Congresso, que não  aparece para ajudar num momento desses? Ao menos um parlamentar vem tentando socorrer o Estado.

É Marcelo Ramos (PL-AM) que, nesta quinta-feira, 14/10, a pedido do governador do Amazonas, Wilson Lima, entrou em contato com o Ministério das Relações Exteriores  a fim pedir auxílio na superação dos entraves logísticos que impedem que cilindros de oxigênio cheguem ao estado e possam salvar vidas.

Voo da esperança

De acordo com Ramos, o Ministério da Saúde já está agindo junto à Embaixada Americana para liberar um avião Galaxy, com capacidade para transportar o oxigênio.

— Há uma dificuldade de conseguir avião que possa carregar oxigênio para Manaus e, por essa razão, o Ministério negocia um avião americano pra isso – disse o deputado.

Voo do desespero

Sobre o encaminhamento dos amazonenses para outras capitais que se dispuseram a receber pacientes do estado, Marcelo Ramos informa que fez contato com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuelo, que garantiu que fará a remoção de pacientes para hospitais federais em outros Estados.

Vai faltar seringa

O Ministério da Saúde enviou ontem um documento ao STF informando como estão os estoques de seringas e agulhas para a vacinação contra a covid-19. Disse que não tem estoques próprios, justificando que a compra é geralmente feita pelos estados.

7 estados sem estoque

Segundo a pasta, sete estados não teriam estoque suficiente para suprir a demanda inicial caso houvesse disponibilidade imediata das 30 milhões de doses. Quanto ao estoque  do Ministério, haveria ao todo 80 milhões unidades, que "podem ser mobilizadas, imediatamente, para o início da vacinação".

Amazonas está fora

O Amazonas está fora da lista de  sete estados não teriam estoque suficiente e vacinas. Veja quais são os sete: Acre, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco e Santa Catarina.

Quantidade necessária

Calculando por baixo, 30 milhões de doses é a quantidade necessária para imunizar, em duas doses, os grupos prioritários da primeira fase do plano nacional. Isto é, trabalhadores de saúde, idosos com mais de 75 anos ou institucionalizados, população indígena e de comunidades ribeirinhas.

Dando na canela

Os dados excluem São Paulo, que não enviou informações ao governo federal – mas divulgou em dezembro ter 71 milhões de seringas e agulhas. O número chama a atenção, já que praticamente equivale à soma de todos os outros estados.

Brincando de presidente

E por falar em Dória, o governador paulista disse que é lamentável a declaração do presidente Bolsonaro sobre a vacina do Butantan. Segundo ele, ao invés de comemorar o fato do Brasil ter um imunizante seguro e eficaz para combater a pandemia, ele ironiza a vacina.

— Enquanto brasileiros perdem vidas e empregos, Bolsonaro brinca de ser Presidente –, cutucou o paulista.

Tá reclamando de quê, hein?

Dória está reclamando de quê? Não foi ele que ajudou a eleger Bolsonaro. Ou á esqueceu a dobradinha “Bolsodória”.

— Sou um candidato de Centro e vou apoiar um candidato de direita, que o Jair Bolsonaro. E com toda a convicção porque ele é contra o PT! Conversei com ele, é um  homem de bem que vai pacificar  o Brasil  – declarou Dória em 2018.

Dória já esqueceu quem apoiou nas eleições

Seringa nós temos

Aliás, para garantir que não faltem seringas nas unidades de saúde do município, o prefeito de Manaus, David Almeida, fechou, na manhã desta quarta-feira, 13/1, a aquisição de 1,5 milhão de unidades do produto para reforçar o estoque da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), que hoje é de 500 mil seringas.

Quem fornecerá

O fornecedor será a empresa Saldanha Rodrigues LTDA. O acordo foi fechado após visita do prefeito à empresa, no bairro Flores, zona Centro-Sul da capital. David Almeida informou que a medida visa o início da vacinação contra à Covid-19, garantida pelo ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, ainda para o mês de janeiro.

David na fábrica

O objetivo da Prefeitura de Manaus é já contar com o material necessário para a ação.

— Visitei a fábrica em função da necessidade de adquirirmos insumos, no caso, aqui, as seringas, para iniciarmos a vacinação assim que o medicamento chegar –, adiantou David Almeida.


“Melhor do Mundo”

Autor do projeto de autonomia do Banco Central (PLP 19/2019), o senador Plínio Valério (PSDB-AM)  comemorou a  eleição do presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, como o melhor do mundo em 2020.

Independência do BC

O tucano de Eirunepé  acredita que o  prêmio é “motivo de orgulho e mais um motivo para o Congresso Nacional assegurar condições de independência para o banco”. Proposta já foi aprovada no Senado e aguarda votação na Câmara dos Deputados.

ÚLTIMA HORA

O ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal (STF), determinou nesta quinta-feira (14) que todos os estados e o Distrito Federal informem em até cinco dias a quantidade de agulhas e seringas que possuem em seus estoques para a vacinação contra a Covid-19. Decisão do ministro Lewandowski ocorre depois que secretários estaduais de Saúde acusaram o Ministério da Saúde de enviar dados errados ao STF. A pasta da Saúde informou à Suprema Corte que Acre, Bahia, Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Paraíba, Pernambuco e Santa Catarina não têm estoque suficiente dos insumos, informação que não procede.

ORGULHO

Yael Shelbia (foto),de 19 anos, foi eleita em primeiro lugar na lista anual dos “100 rostos mais bonitos do ano” criado pela  TC Candler & The Independent Critics. Ela é atriz, modelo e no momento serve o exército israelense, que é obrigatório no país. Shelbia também venceu a colega israelense Gal Gadot, a “Mulher Maravilha”, que ficou em 21º lugar na lista, divulgada no final do ano.  jovem cumpre o serviço militar obrigatório na Força Aérea de Israel e apareceu em campanhas para a empresa israelense de roupas Renuar. Ela também virou o rosto da linha de maquiagem KKW Beauty, da badalada Kim Kardashian.

VERGONHA

O jornal El País estampou que 110 pessoas foram sepultadas em um único dia em Manaus. A marca, 233% maior que a média de antes da pandemia, foi atingida nesta quarta-feira após quatro meses de registros de aumento no número de internações por covid-19 na cidade. Dezenove pessoas morreram em casa. As mortes fora do ambiente hospitalar mostram o tamanho do problema: sem vagas na rede privada e com a rede pública operando com média acima de 90% de taxa de ocupação de leitos de UTI e leitos clínicos nas duas últimas semanas, a capital amazonense enfrenta a segunda onda da pandemia, iniciando o ano de 2021 na fase mais grave do plano de contingenciamento da doença: a fase roxa, onde já ocorre o  esgotamento de leitos de UTI. “O segundo colapso de Manaus, nove meses depois de a cidade chocar o país com imagens de covas e carros refrigerados à espera de corpos em centros médicos, é símbolo do Brasil que aprendeu poucas lições na crise sanitária que já levou mais de 200.000 vidas”, publicou o jornal.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.