BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Saiba todos os detalhes que motivaram o assassinato do militar


Do Portal Toda Hora

O empresário Joabson Agostinho Gomes, dono da rede se supermercados Vitória é apontado pela Polícia Civil (PC) como o mandante da morte do sargento do Exército Lucas Ramon Silva Guimarães, 29, morto no último dia 1, dentro da cafeteria dele, na Avenida Ayrão, na Praça 14. A motivação, de acordo com a delegada adjunta da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Marna de Miranda, foi a descoberta de um relacionamento extraconjugal entre a vítima e mulher do empresário Jordana Azevedo Freire, 41, que também teve a prisão temporária expedida.

Marna explicou que a Justiça expediu mandados de prisão contra o casal, mas os suspeitos não foram localizados no imóvel onde morava. "Para a nossa surpresa, quando chegamos no local, nesta manhã, formos recebidos pelos advogados do casal, o que indica que houve vazamento da operação, mas já vamos representar pela prisão preventiva do casal até porque a ordem era de prisão temporária", informou a delegada.

Durante a operação foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão em todas as unidades do supermercado Vitória. No estabelecimento da Avenida Torquato Tapajós foi apreendido um revólver calibre 38, que segundo a delegada era roubado.

Motivação

Conforme Marna de Miranda, durante as investigações a DEHS identificou que Ramon, que também era casado, mantinha um relacionamento extraconjugal com Jordana, que é a esposa do empresário Joabson. O caso entre os dois ocorria desde dezembro do ano passado, quando Jordana apresentou o militar ao marido, que passou a contratar trabalhos gráficos do militar.

Durante o relacionamento, de acordo com a delegada, Jordana passou a desviar dinheiro da rede de supermercados e repassar a Ramon. Uma dessas quantias foi de R$ 200 mil, mas segundo as investigações, o valor foi devolvido a mulher, após o empresário ter descoberto o caso entre os dois. "Após a descoberta, Ramon passou a sofrer ameaças e chegou a comprar armas e contratar segurança para a sua proteção e a mulher, Jordan, passou a sofrer violência doméstica", relatou Marna.

Sobre o crime

O sargento Lucas Ramon foi executado na noite do dia 1º de setembro, dentro da cafeteria dele, ao lado de um hospital, que pertence à esposa dele. O crime foi registrado por câmeras de vigilância.

No dia do crime, testemunhas informaram à polícia, que um suspeito chegou ao local em uma motocicleta, estacionou o veículo e entrou no estabelecimento. Em seguida, ao identificar o sargento, efetuou os disparos. Lucas foi atingido com tiros na cabeça. Ele ainda chegou a ser levado ao hospital da família, mas não resistiu e morreu.

Redação

Redação

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.

Manaus