BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Rio Negro atinge 29,98m e passa a ser a maior cheia já registrada em Manaus


“Tudo indica que, hoje, estamos passando por um processo de finalização de enchentes”, prvê CPRM - Foto: Selma Carvalho

Na manhã desta terça-feira, 01/06, o Rio Negro ultrapassou a cota da maior cheia registrada em 2012. Nas últimas 24 horas, o rio subiu 1cm, deixando a metragem em 29,98m, a maior já registrada em 120 anos de atuação do Porto de Manaus.

As ruas do Centro de Manaus continuam a sofrer com a subida das águas, mas nível do Rio Negro já deve começar a baixar nas próximas semanas. Mesmo assim, os efeitos da cheia do rio ainda serão sentidos por algum tempo, principalmente em Manaus, onde 15 bairros foram diretamente afetados.

“A tendência é de estabilização”, previu a pesquisadora do Serviço Geológico do Brasil (CPRM) Luna Gripp Simões Alves, ao apresentar um balanço da situação em todo o estado. “Tudo indica que, hoje, estamos passando por um processo de finalização de enchentes”.

No domingo o nível do Rio Negro já havia atingido a marca histórica de 29,97 metros. De acordo com Luna, embora haja 80% de chances de o nível do rio atingir os 30 metros antes de começar a baixar, a situação parece ter começado a se estabilizar.

“Em termos de volume d´água, o fato do nível subir mais um ou dois centímetros impactaria muito pouco”, disse Luna, explicando que as medições comportam uma margem de erro de até cinco centímetros e que, tecnicamente, a elevação em mais dois ou três centímetros não acarretaria prejuízos mais graves que os já registrados.

“Provavelmente, em termos de efeitos, a inundação que observaremos este ano é isso que já estamos vendo. Agora, é preciso destacar que, mesmo que o nível comece a baixar nos próximos dias, os impactos não vão cessar de um dia para o outro. Ainda demorará várias semanas, pois, no primeiro momento, a velocidade [da vazão] será lenta”, acrescentou Luana, destacando que, como o período de chuvas ainda se estenderá por mais alguns meses, imprevistos podem ocorrer.

Ruas do Centro continuam alagadas - Foto: Semcom
Mário Adolfo Filho

Mário Adolfo Filho

Jornalista, formado pela Universidade Federal do Amazonas. Com passagem por grandes jornais de Manaus, Prefeitura de Manaus, Câmara Municipal de Manaus e Câmara dos Deputados.