BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Quino, criador de Mafalda, morre aos 88 anos


O desenhista argentino Joaquín Salvador Lavado Tejón, mais conhecido como Quino, morreu nesta quarta-feira (30). Mundialmente famoso pela tira da Mafalda, ele tinha 88 anos.

A morte de Quino foi anunciada pelo seu editor, Daniel Divinsky. Segundo informações do jornal Clarín, o desenhista havia sofrido um AVC nos últimos dias e seu estado piorou. Já o La Nación destaca que o artista morreu por "condições próprias de sua idade".

Nos últimos tempos, Quino se locomovia por meio de cadeira de rodas por causa de um problema circulatório que tinha em suas pernas, além de sofrer de glaucoma, o que afetou seriamente sua visão. De acordo com o La Nación, o artista mantinha o bom humor nos últimos meses.

Filho de imigrantes espanhóis, ele nasceu em Mendonza, na região montanhosa da Argentina, em 17 de julho de 1932. Foi na mesma cidade onde também morreu: ele voltou a morar lá em 2017, após a morte de sua mulher, Alicia Colombo – sua companheira desde os anos 1960.

Desde o seu nascimento, era chamado de Quino para ser distinguido de seu tio Joaquín Tejón. Aos três anos já descobriu sua vocação para o desenho, tanto que aos 13 se matriculou em uma escola de artes. Em 1949, ele decidiu que trabalharia com as suas maiores aspirações: cartum e humor.

Mafalda tem humor ácido

Quino se mudou para Buenos Aires aos 18 anos para tentar a sorte. Porém, passaria três anos enfrentando dificuldades econômicas até conseguir realizar seu sonho. "O dia que publiquei minha primeira página (no semanário Esto es, em 1954) foi o momento mais feliz de minha vida", disse o desenhista conforme publicação em seu site oficial. A partir daí, Quino passou a desenhar ininterruptamente para diversos jornais e revistas da América Latina e Europa.

Ele criou Mafalda em um trabalho como desenhista publicitário para uma agência. A garotinha seria personagem de uma peça de propaganda, que conteria tirinhas para o lançamento de produtos de eletrodomésticos chamados Mansfield, razão pela qual alguns dos personagens deveriam começar com a letra "M", como Mafalda.

A campanha não foi para a frente, mas a personagem ganharia vida. Mafalda surgiu oficialmente em 29 de setembro de 1964, data em que foi publicada pela primeira vez em uma tira no semanário Primera Plana.

Quino sempre seria associado ao nome de Mafalda, a menininha progressista e questionadora de seis anos, sempre preocupada em combater os problemas sociais.

Ele desistiu de publicá-la em 1973, após quase duas mil tirinhas. Mafalda já não era alvo do afeto de seu criador: "Acabou se tornando um personagem opressivo, um obrigação, e então deixou de ser divertido, fiquei cansado", disse Quino à jornalista espanhola Maruja Torres, em uma entrevista inclusa na coletânea Toda Mafalda, da Martins Fontes, que reúne todas as tiras da personagem.

Curumim e Mafalda
Curumim e Mafalda

O seu trabalho pós-Mafalda, embora não seja tão amplamente conhecido, destacou Quino como um dos mais brilhantes artistas gráficos em uma nação repleta de outros mestres do traço, como Fontanarrosa ou Mordillo.

Quino continuou trabalhando com o humor que já vinha fazendo 13 anos antes de criar a Mafalda: cartuns e historietas que, com poucas palavras ou mesmo nenhuma, conseguem desconcertar, fazer rir e provocar comoção no leitor pelo que têm de complexo e de singelo ao mesmo tempo. É claro, mantendo o tom político, abordando questões como opressão e desigualdade social.

De qualquer maneira, o interesse pela Mafalda se manteve inalterado: coletâneas de tiras seguem reimpressas em livros. Ela permaneceu atual a ponto de cativar a geração das redes sociais, nas quais tiras da menina são alvo de compartilhamento constante. A personagem continuou inclusa em campanhas sociais – como da UNICEF, Cruz Vermelha da Espanha, Ministério de Relações Exteriores da Argentina, entre outras.

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.