BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

PSOL entra com ação na Justiça para impedir Título de Cidadão a Bolsonaro


Nesta quinta-feira (22), o Partido Socialismo e Liberdade no Amazonas entrou com uma ação ordinário para anulação de ato legislativo para impedir que a Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) conceda o Título de Cidadão ao presidente Jair Bolsonaro.

O Projeto de Lei (PL) para a concessão do Título foi votado em regime de urgência na última terça-feira (20) e, na avaliação da direção regional do PSOL, sem levar em conta a omissão do Governo Federal no combate à pandemia e  agenda desmonte da Zona Franca de Manaus.

O Partido recebeu com estarrecimento a aprovação da PL, de autoria do deputado estadual Delegado Péricles, que não cita nenhuma ação específica de Bolsonaro em prol do Amazonas. O Projeto de Lei apenas traz a trajetória política do presidente até ser eleito em 2018.

O PSOL Amazonas destaca que os deputados da Aleam que aprovaram a iniciativa parecem não lembrar que até há três meses o Amazonas vivenciou um dos mais trágicos momentos da crise sanitária no país, com dezenas de pacientes morrendo asfixiados, sem oxigênio, nos hospitais do Estado.

Situação que o Governo Federal sabia dez dias antes da crise estourar. Além disso, Bolsonaro ainda negou o pedido da Justiça Federal no Amazonas, para priorizar com urgência a distribuição das vacinas contra a covid-19 para o Estado.

O PSOL Amazonas não vê motivos em conceder tal honraria à um governo que, desde o início da pandemia tem trabalhado para levar o país a uma "devastadora tragédia humanitária", desdenhando a ciência, promovendo uso de remédios ineficazes, atacando as medidas de prevenção da doença, descartando a importância da vacina e ainda debochando das vítimas e famílias em luto.

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.