BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Presidente do Sindicato dos Rodoviários diz que foi ameaçado de morte


Após ter casa roubada no último dia 29 de janeiro, o presidente do Sindicato dos Rodoviários, Givancir Oliveira, falou pela primeira vez sobre ação criminosa na tarde desta segunda-feira, 3/1. O sindicalista afirmou que recebeu ameaças de morte e que seriam motivadas após denúncias que fez contra políticos de Iranduba, onde a residência ficava localizada. As informações são do portal Toda Hora.

“E pedi a prisão de várias autoridades e empresários do município. Então muita gente estaria interessada na minha morte", disse Givancir, sem citar nomes. "Deixaram recado para eu parar de denunciar o esquema de Iranduba. Até agora nada foi esclarecido e o processo continua parado. Irei cobrar providências do Ministério Público do Estado do Amazonas".

O sindicalista também informou que o valor roubado era menor do que o montante em dinheiro divulgado pela polícia. Segundo Givancir Oliveira, havia aproximadamente R$ 60 mil em dinheiro.

“Com uma casa em construção todo dia tem demanda, faz isso e faz aquilo. Não esperava que isso ia acontecer. A imprensa e autoridades deveriam estar preocupadas em encontrar os criminosos. Não a quantia que foi roubada. Inverteram os valores”, protestou o presidente do Sindicato dos Rodoviários.

De acordo com Givancir, a casa estava em obras e não havia câmeras de vigilância. Depois do assalto, o sindicalista voltou a residir em Manaus e contar com uma equipe de segurança.

Assalto

Homens armados, ainda não identificados, invadiram no dia 29 de janeiro, a casa do presidente do Sindicato dos Rodoviários. Familiares informaram à polícia que os suspeitos fugiram levando cerca de R$ 200 mil em dinheiro, notebooks, celulares e um carro da família entre outros objetos.

Conforme informações da Polícia Militar (PM), o assalto ocorreu por volta das 16h30. Os suspeitos invadiram a mansão após render uma das vítimas. Em seguida, renderam os familiares e passaram a exigir o cofre e a arma da casa do sindicalista.

De acordo com a PM, os suspeitos encontraram o cofre, onde segundo os familiares estavam guardados cerca de R$ 200 mil. Além do dinheiro, roubaram, ainda, celulares e notebooks, e o carro da família, um Siena e uma arma de calibre não informado. O veículo foi encontrado logo após o crime, no bairro Morada do Sol, em Iranduba.

Testemunhas informaram aos policiais que parte dos suspeitos sumiram ao entrar em uma área de mata. A polícia ainda chegou a fazer buscas pela área, mas nenhum dos suspeitos foi localizado ou preso. O crime está sendo investigado pelo 31º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.