Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - O silêncio dos inocentes, no tempo da pandemia


Parte da população de Manaus – assim como no resto do mundo –, vem se preocupando com o alastramento do novo coronavírus que, no Brasil, já matou até esta segunda (18), 16.792 pessoas e registrou 254.220 casos confirmados, de acordo com levantamento junto às secretarias estaduais de saúde.

Atualmente, a taxa de isolamento social em Manaus é de apenas 40%, relativamente pequena de acordo com os pesquisadores.  A taxa ideal para uma rápida diminuição no número de casos da Covid-19 é de 60%. Por conta disso, todo mundo anda preocupado em achatar a curva epidemiológica da pandemia, mas, alguém já se perguntou sobre a vulnerabilidade de crianças venezuelanas que perambulavam pelas ruas de Manaus? Elas estão aí, no colo dos pais, das mães  ou   sozinhas, estendendo as mãozinhas em busca de ajuda nos semáforos e sarjetas. Enquanto nossos carros trafegam apressados  com condutores usando máscaras, que segue em frente, olhando para o outro lado da rua a fim de não presenciar a tragédia social do dia a dia. A paisagem é chocante, mas ela está estampada todos os dias nas ruas da cidade.

Mas sim, e daí?

Assim como os adultos, crianças expostas ao vírus – sem máscaras e sem lavar as mãos como mandam os infectologistas –,  também podem apresentar os sintomas da covid-19.

Mas, por certo, alguém que estiver lendo esta coluna vai reagir da mesma forma  que reagiu o insensível presidente do país: “E daí? O que eu  tenho a ver com isso?”.

Usando crianças

Nas ruas de Manaus, pais ou mães,  sem máscaras, passam o dia sob sol e chuva, mormaço e calor com crianças no colo, às vezes com menos de 2 anos.

Vida malabarista

É comum também encontrar crianças  maiores de 8 anos (ou até menos) vendendo balinhas ou fazendo malabarismo com limões  para defender uma moeda.

Drama na calçada

Na porta de uma farmácia “Santo Remédio”, na Avenida Cosme Ferreira, um homem passa o dia sentado na calçada com um bebê de aproximadamente oito meses sentado em sua perna.

A  cena pode ser vista nas primeiras horas da manhã e se estende até as 21h. Pode retornar à noite que  pai e filho ainda estão por lá.

Cansaço, fome e sede

Faça chuva ou sol. Sinta fome ou sede. Essas crianças passam o dia na rua esmolando. É uma cena degradante. Todo mundo sente pena, mas quem faz alguma coisa?

Como será o amanhã

E depois, atirar uma moeda para a compra de um pão resolverá o problema? Talvez naquele momento, sim, mas e o amanhã?

200 mil no Brasil

Desde 2017, mais de 200 mil já entraram no país fugindo da crise política, econômica e social do país. Muitas vezes são famílias inteiras que entram no território de Roraima fugindo da fome. E uma grande parcela deles veio parar em Manaus, pedindo carona a caminhoneiros.

Crianças venezuelanas enfrentam a pandemia nas ruas de Manaus

Crianças imigrantes

Mas uma situação em particular preocupa as autoridades brasileiras: as crianças imigrantes que chegam ao país desacompanhadas.

Sem pai nem mãe

Levantamento da Defensoria Pública da União (DPU) apontou que no período de 11 meses, de agosto de 2018 a junho de 2019, quase 400 crianças chegaram ao Brasil totalmente desacompanhadas. Outras 1.499 vieram separadas dos pais e 1.701 com documentação  insuficiente.

Pais mortos

Às vezes os pais são mortos, às vezes no fluxo migratório perderam o contato com  os membros da família.

— Às vezes os pais são mortos, às vezes no fluxo migratório perdeu-se o contato entre os membros da família.

Vulnerabilidade

No início da pandemia, corria uma informação falsa de que crianças não estavam sendo infectadas. Mas isso mudou. Agora está claro que a quantidade de infecção em crianças é a mesma que em adultos. Então, por que os órgãos públicos de assistência social não retiram essa crianças, em situação de vulnerabilidade, das ruas de Manaus?

Ao menos ele não calou

Esta coluna cobrou o silêncio da bancada do Amazonas diante das ofensas do presidente Jair Bolsonaro contra o prefeito Arthur Virgílio (PSDB). Mas, em Manaus, ao menos um vereador saiu em defesa do prefeito.

Elias Emanuel (PSDB) pediu um minuto de silêncio em respeito à memória do senador Arthur Virgílio Filho, pai do prefeito,  atacada pela ira de Bolsonaro.

Vereador repudia fala do presidente da República contra o prefeito

Pai da Universidade

Elias disse que o capitão atacou a honra do prefeito e de seu falecido pai, um dos parlamentares de maior honra desse Estado.

— Foi Arthur Virgílio Filho que garantiu o abastecimento de energia elétrica para a nossa cidade e foi o pai da Universidade Federal do Amazonas (Ufam) –, afirmou, de forma exaltada.

Pau puro

O prefeito Arthur Virgílio (PSDB) usou sete adjetivos para traduzir o que pensa de  Jair Bolsonaro.

—  Assassino (indireto, por “incitar as pessoas a saírem às ruas, violando o isolamento social), “covarde”, “cretino”, “nojento”, “imbecil”, “analfabeto” e “primata”.

Tropa de combate

O vereador Fransuá (PV) teve uma grande sacada. Apresentou a indicação sugerindo que bolsistas e ex-bolsistas de cursos da área da Saúde – que recebem ou receberam bolsas de estudo da Prefeitura –, se apresentem  como voluntários em hospitais e UBS. E engrossem, urgentemente, as  fileiras de combate à Covid-19.

Farinha de ouro

Acredite,  seis quilos de farinha do Uarini ovinha, comprados pela  internet (Mercado Livre) está custando a bagatela de R$ 117,99. A venda é para todo o país e, mesmo em tempo de pandemia, os pedidos continuam sendo feitos. No entanto, “se comprar agora, você só vai receber quando o vendedor voltar a fazer envios”, alerta o anúncio.

CPI ao vivo

As reuniões da CPI da saúde serão transmitidas pela plataforma digital da Assembleia Legislativa. Foi o que informou o deputado Delegado Péricles (PSL), após presidir a primeira reunião, na manhã desta segunda-feira (18), em ambiente virtual. O próximo encontro do grupo já está marcado para a quarta-feira (20), em caráter extraordinário.

Reuniões da CPI da Saúde serão transmitidas ao vivo 

Ação genocida

Dados da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB), no site “quarentena indígena” já registra a presença do vírus em ao menos 34 aldeias. São 308 contaminados e 77 mortos. Isso sem contar toda a subnotificação, sabidamente imensa, já que o Brasil é dos países que menos testes tem feito para a doença.

Ação genocida 2

De acordo com o site “Jornalistas Livres”, é importante reparar que, se em 308 casos conhecidos da Covid-19 entre indígenas, registraram-se 77 óbitos, a probabilidade de o índio morrer ao apresentar sintomas é de 25%, “enquanto, no Brasil como um todo, essa porcentagem está, hoje, em aproximadamente 7%”.

Temos portanto uma taxa de mortalidade entre os indígenas mais do que três vezes maior do que a taxa de mortalidade do País.

ÚLTIMA HORA

A situação dos lojistas de shoppings do Brasil está um verdadeiro caos. Fechados desde o início da pandemia de coronavírus, o setor já acumula um prejuízo estimado de R$ 27 bilhões. Segundo uma pesquisa da Associação Brasileira dos Lojistas de Shopping, 93% dos comerciantes tiveram uma queda superior a metade do faturamento. No ano passado, 500 milhões de visitantes passaram pelos 577 shoppings do Brasil.

O presidente da Associação Brasileira dos Shopping Centers (Abrasce), Glauco Humai, reclama que as ações do governo não acontecem em função da burocracia, o que vem impedindo o acesso ao crédito. Tal situação coloca em risco a manutenção de cerca de 1,1 milhões de empregos gerados pelos shoppings de todo o país.

ORGULHO

O Vietnam começa a colher os frutos de sua responsabilidade em seguir as orientações da OMS. O país  agiu a tempo adotando medidas de isolamento social e agora, 4 meses depois, reabre suas portas ao mundo com a notícia boa de que venceu a covid-19 e se prepara para retomar a economia. Com 100 milhões de habitantes – quase a metade da população Brasil – o país asiático registrou apenas 313 casos confirmados de coronavírus e nenhuma morte, até este sábado, 16 de maio. Nenhuma!

VERGONHA

Em uma tentativa de reaproximação com partidos do Centrão, o presidente Jair Bolsonaro entregou a Diretoria de Ações Educacionais do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) ao PL, sigla do ex-deputado Valdemar da Costa Neto, condenado no mensalão. A nomeação de Garigham Amarante Pinto, assessor do partido na Câmara, foi publicada nesta segunda-feira, 18, no Diário Oficial da União (DOU). Vinculado ao Ministério da Educação (MEC), o FNDE é um dos espaços mais cobiçados, com orçamento de R$ 29,4 bilhões neste ano. Segundo líderes do Centrão, mais nomeações de nomes ligados aos partidos estão previstas para os próximos dias. Ao menos nove órgãos, departamentos e empresas públicas surgem nas conversas de integrantes das grupo, que ainda tem Solidariedade, PSD e PTB.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.