Calendário

novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Melhor banda cover dos Beatles, Abbey Road se apresenta em Manaus

No dia 10 de abril de 1970, os milhares de fãs dos lendários The Beatles, – os meninos de Liverpool Paul McCartney, John Lennon, George Harrison e Ringo Starr – receberam a triste notícia de que a banda havia se separado oficialmente, com o lançamento do álbum Let It Be. “O sonho acabou”. Essa foi a frase dita por Paul, que marcava o fim da banda mais famosa de todos os tempos.

Hoje, 49 anos depois, as mais de 200 músicas do genial quarteto ainda influenciam como ninguém a vida de crianças, jovens e dos sessentões que tiveram a oportunidade de viver de perto a mágica de “Something”, “She Loves You”, “Here Comes The Sun”, “I Want To Hold Your Hand”, “Penny Lane” e muitos outros sucessos que fizeram história.

Trazendo a proposta de mostrar de perto como seria o show dos The Beatles com caracterização, figurino, instrumentos musicais e trejeitos, a banda Abbey Road,  formada por Ricardo Júnior (Paul McCartney), Luis Fernando Gomes (John Lennon), Maury D´Ambrosio (George Harrinson), Carlos D´Ambrosio (Ringo Star) se apresenta em Manaus no dia 6 de dezembro, no Stúdio 5, a partir das 23h20. A produção local é da Manaós Entretenimento, do empresário Juca Semen.

Road Abbey é considerada a melhor banda cover do mundo, pelo Festival “Beatleweek”, em Liverpool, Inglaterra. O grupo musical foi criado em 1998 e há dez anos a formação atual é mantida. Eles já fizeram shows nos Estados Unidos, Inglaterra, Chile, Peru, Argentina e em todo o Brasil.

O Blog do Mário Adolfo conversou com Maury D´ Ambrosio, o fundador da Abbey Road. Veja a entrevista:

Blog do Mário Adolfo – Como explicar o fenômeno The Beatles, uma banda que saiu de cena no início dos anos 1960 e faz sucesso até hoje?

Abbey Road – Se eu soubesse essa fórmula eu faria outra banda como The Beatles. É inexplicável como essa banda atravessou todas essas épocas. Como fazemos shows não só no Brasil como fora, a gente percebe que em cada vez mais vem muita gente no show jovem. Em todos os shows que nós fazemos,  mais de 50% do público é de  jovens.

BMA  – A que você atribui a beatlemania manter os seus velhos seguidores com mais de 60 anos e conquistar as novas gerações?

Abbey Road – As pessoas com mais de 60 continuam apaixonadas pelos Beatles, pelo que viveram, mas  a gente também vê menininha de 7 anos, 8 anos, subindo ao palco e cantando todas as letras dos The Beatles. É contagiante. Isso mostra a imortalidade da beatlemania.

BMA – Em termos musicais, The Beatles continua tendo um contexto atual ou estaria fora de contexto?

Abbey Road – Se você pegar os grandes fenômenos atuais como da Europa, Estados Unidos, eles têm como grandes influenciadores os The Beatles. Sempre você está escutando isso nas bandas nas entrevistas. E foi assim com o Eric Clapton, Harlem e muitos outros. É uma influencia generalizada. O conceito acaba sendo transmitido ao longo dessas gerações.

BMA – Vocês são apontados como a melhor banda cover dos The Beatles. Quais festivais e em que países vocês já foram premiados?

Abbey Road – Todos os anos têm festivais em vários lugares do mundo, inclusive no Brasil. Há um Festival anual em Liverpool, chamado ‘Beatleweek’, onde nós já participamos quatro vezes, que é um festival onde bandas de todas as partes se apresentam, interpretando The Beatles. A Abbey Road foi convidada para fazer a abertura de uma das edições desse festival, e fomos considerados a melhor banda do festival. Televisionado para toda a Grã-Bretanha, Inglaterra. Pela primeira vez no ano 2000, eles fizeram uma mudança. Nós gravamos dentro do Studio dos Beatles, o Abbey Road Studio. Eles se impressionaram com alguns instrumentos, todos americanos, exceto o contrabaixo do Paul que é alemão. A gente demorou quase 15 anos para conseguir esses instrumentos. Temos a coleção completa.  Tocamos mais de 20 instrumentos no show.

BMA – Já se encontraram com algum beatle vivo? 

Abbey Road –  Sim. A primeira vez que o Paul veio para cá, eles convidaram para fazermos uma participação em um programa de rádio. Se a gente fosse fazer rádio, íamos chegar tarde… A gente queria mostrar que tem os “beatles brasileiros”. Então nos disseram: Vocês vão chegar  no show com a gente (equipe Paul Mccartney) e vai ter uma possibilidade de chegar e entrar até o camarim do Paul”. A gente teve um contado com ele em São Paulo. Sensação indescritível. Conversamos alguns minutos com o Paul, mas não quisemos ser inconvenientes.

BMA – Como foi a seleção dos integrantes que participam do grupo?

 Abbey Road –  Essa banda surgiu em 1998. Naquela época, a gente quis montar uma banda que tivesse uma coisa a mais. Uma banda orquestral, com arranjos orquestrais. A gente conseguiu praticamente desenvolver uma orquestra para fazer música que ninguém fazia ao vivo. A gente conseguiu montar essas gravações. A ideia principal, o que começou a incomodar, foi a parte cultural, uma vez que você resolve representar – banda que tenha princípio da cultura. Não é só tocar. É se caracterizar como se fosse qualquer outro teatro. Você tem um compromisso com a cultura. Resolvemos estudar o comportamento cênico, brincadeiras, figurinos dos Beatles. Nosso artesão é um de Londres, o mesmo que fazia a modinha dos Beatles, da Inglaterra. Figurinos impecáveis, anéis, pulseiras… Nossa formação está com 10 anos.

BMA – No show que a banda fará em Manaus incluirá todas as fases e figurinos dos The Beatles?  O que não pode ficar de fora do repertório?

Abbey Road – Bom, para dizer a verdade, sempre vai faltar alguma coisa. Nunca vi nesses shows – acho que  mais de 1 milhão de pessoas viram o nosso show –  nunca vi um show que alguém não disse:  “Vocês não tocaram essas músicas. Isso vai muito do gosto pessoal. Sempre mostramos os grandes rits… She Loves, na fase do iê-iê-iê; Lucy In The Sky With Diamonds, Sgt Pepper’s Lonely Hearts Club Band, na fase psicodélica; ou Yellow Submarine, Let It Be; e  Come Togetter, na fase madura.

Entrevista: Luana Dávila e Fotos: The Beatles – Abbey Road. Oficial Brasil

Deixe uma resposta