Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

No próximo dia 15 de novembro, Manaus terá um reencontro com a história. A praça da Matriz será reinaugurada. Uma das principais ações de requalificação do Centro Histórico, a obra recebe os ajustes finais para ser entregue a população em uma grande missa campal, que será presidida pelo Arcebispo Metropolitano de Manaus, Dom Sérgio Castriani. A prefeitura ainda planeja outras surpresas na programação.

“Será um grande momento para Manaus, que tem se fortalecido institucionalmente e se tornará ainda mais pujante a partir da valorização de sua origem. É, sem dúvida, um marco para o turismo e um marco para a história do nosso povo”, disse o prefeito Arthur Virgílio Neto.

Praça passa por últimos ajustes antes de ser reaberta ao público

A maior expectativa agora é pela montagem do maquinário do Relógio Municipal, prevista para a próxima segunda-feira, 6/11. O monumento já teve sua estrutura revitalizada, redescobrindo no teto adornos originais, escondidos com o passar dos anos, e toda a área do entorno está praticamente concluída. “Mais do que nunca, o Relógio vai ser uma atração turística, porque ele realmente vai ter muito que mostrar da cidade de Manaus”, disse o Coordenador do PAC Cidades Históricas, Rafael Assayag.

No antigo aviaquário foram encontradas pedras jacarés e lióz da criação original, vindas diretamente de Portugal. O local será isolado e servirá como uma espécie de sítio arqueológico, onde a população poderá observar os achados da história. As obras estão bem avançadas e respeitaram todas as recomendações do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

No total, 32 árvores da espécie oitizeiros foram plantadas em canteiros que formam o paisagismo da praça

No total, 32 árvores da espécie oitizeiros foram plantadas em canteiros que formam o paisagismo da praça, a exemplo do passeio público em frente ao Terminal da Matriz. A praça possui, ao todo, 163 árvores que integram as ações do projeto “Arboriza Manaus”.

A praça foi fechada em 2014, em ação conjunta para a retirada dos camelôs. O governo federal havia prometido enviar recursos para a requalificação do local, por meio do PAC Cidades Históricas. Entretanto, pouca verba chegou e o poder público municipal precisou investir dinheiro próprio.

Mário Adolfo Filho

Mário Adolfo Filho

Jornalista, formado pela Universidade Federal do Amazonas. Com passagem por grandes jornais de Manaus, Prefeitura de Manaus, Câmara Municipal de Manaus e Câmara dos Deputados.