BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Março Lilás 2020 é lançado no Amazonas


A segunda edição do Movimento Estadual Março Lilás foi lançada na noite desta segunda-feira (02), na Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), na zona centro-oeste de Manaus, com foco no alerta à importância da vacinação contra o Papilomavírus Humano (HPV) e a realização dos exames preventivos. O mês terá programação repleta de atividades que vão abordar a prevenção ao câncer do colo de útero, o mais incidente entre as mulheres no Estado.

Dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca) apontam que o Amazonas terá, em 2020, 700 novos casos de câncer do colo de útero, sendo 580 somente em mulheres que moram em Manaus.

Na avaliação do diretor-presidente da FCecon, mastologista Gerson Mourão, o Março Lilás é um movimento que tenta sensibilizar a população quanto à possibilidade de se prevenir e evitar o câncer de colo uterino. Segundo o médico, a atual gestão do Estado e da Fundação estão tomando diversas medidas neste sentido.

HPV – Na programação, um dos destaques será o Dia D de intensificação da vacina contra o HPV e coleta de exames preventivos, que ocorrerá no dia 28 de março, das 8h ao meio-dia, nas unidades da Semsa.

O HPV causa o câncer de colo uterino e é adquirido sexualmente. No colo do útero, o vírus leva de 10 a 15 anos para modificar o comportamento das células e se transformar em câncer. Por isso a vacina contra o vírus é a primeira medida para prevenir o câncer de colo uterino.

Preventivo e tratamento – Outro foco da campanha é alertar as mulheres que iniciaram sua vida sexual a fazerem o exame preventivo (Papanicolau) anualmente. O objetivo desse exame é detectar as lesões precursoras de câncer do colo uterino, inflamações de alto grau que levam de 10 a 15 anos para se transformarem em câncer.

Para quem tem esse tipo de lesão, que é detectada no preventivo, é necessário ser submetida a uma pequena cirurgia chamada conização, que dura em torno de 10 minutos e é feita na maioria dos casos sob anestesia local. Assim a inflamação é retirada em forma de cone e a cicatrização do colo uterino ocorre em 50 dias.

A FCecon é a única unidade que faz o procedimento na rede pública de saúde do Amazonas e, em 2019, realizou 575 conizações.

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas.