Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

O Blog inicia a partir de hoje uma série de entrevistas com os candidatos ao governo do Estado nas eleições suplementares de agosto. O primeiro é o vereador Marcelo Serafim, 40 anois, candidato do PSB que, com um mandato de deputado federal e dois de vereador, se acha credenciado para administrar o Amazonas. Marcelo foi criando dentro da política, observando seu pai, o ex-prefeito e hoje deputado estadual Serafim Corrêa (PSB), que milita na vida pública há 40 anos. “Não tenho dúvidas que a terceira via chegará ao segundo turno. O povo não aguenta mais essa disputa entre dois eternos candidatos que não representam o sentimento do Amazonense”, alfineta Marcelo.

Leia a entrevista:

Blog do Mário Adolfo – O que garante que o senhor está preparado para governar o Amazonas?

Marcelo Serafim, candidato do PSB ao governo do Estado – Dediquei minha vida aos estudos e a política. Foi dessa forma que me formei pela Universidade Federal do Amazonas como farmacêutico e depois me tornei mestre dentro da área de saúde pela Fiocruz, que é uma das instituições mais respeitadas do Brasil. Passei em todos os concursos que prestei e hoje atuo como farmacêutico da SEMSA na UBS Morro da Liberdade, onde convivo diretamente com dois dos maiores problemas do Estado ,que são a saúde e a segurança pública.

Além disso, a política me deu a honra e a oportunidade de como Deputado Federal pelo meu Estado percorrer todos os municípios do Amazonas. Essa convivência direta com a população que tenho graças à política e a minha vivência dentro de uma UBS me mostram sempre os melhores caminhos para trilhar na vida pública. Ficar perto do povo nesses momentos me credencia a ser governador do meu Estado e a mudar a forma de fazer política no Amazonas.

BMA   O senhor tem um mandato de deputado federal e dois de vereador. Isto acumula experiência necessária para governar o Estado?

Marcelo Serafim – Com certeza. Ser vereador é uma das maiores honras que um homem público pode ter pelo fato de ser o cargo que mais te aproxima da população. Além disso, o mandato de Deputado Federal me fez conhecer todo o Estado de forma profunda e consistente. Conheço a capital e o interior inteiro e isso me deixa em condições favoráveis nessa disputa.

BMA  Como avalia o quadro de candidatos que traz de volta os mesmos nomes que há 35 anos se alternam no poder?

Marcelo Serafim – Braga e Amazonino representam o retrocesso e tudo que a população condena na política. Uma pessoa que se orgulha da pecha do homem que “Rouba, mas faz” não serve para representar nosso estado nesse momento em que vivemos a maior crise moral de nossa história. Braga está denunciado em várias delações da Operação Lava-Jato. Creio que o melhor caminho para ele seria o de não ser candidato e primeiro se explicar de forma clara para a sociedade. Deveria seguir o conselho do seu candidato a vice que o condenava, criticava e agora está ajoelhado no milho junto com ele.

BMA   O seu pai, o Deputado Serafim Correa, não teria mais visibilidade política e experiência para disputar o governo? Por que não ele?

Marcelo Serafim –  Ele deu uma enorme contribuição para a vida pública desse estado. É respeitado e contra ele não pesam denúncias de corrupção. A conduta dele orgulha a todos nós, no entanto, ele entende que vivemos um momento de transição na política e que a função dele nesse momento era de realizar essa transição de gerações e não de disputar mais uma eleição majoritária.

BMA  O senhor se considera uma terceira via nas eleições suplementares?

Marcelo Serafim – Com certeza. Não tenho dúvidas que a terceira via chegará ao segundo turno. O povo não aguenta mais essa disputa entre duas pessoas que não representam o sentimento do Amazonense. Nesse momento o candidato que conseguir despertar a esperança no coração do povo certamente chegará ao segundo turno. Essa eleição me lembra muito a de 1996, quando tínhamos Nonato Oliveira e Gilberto Mestrinho liderando as pesquisa com cerca de 40% das intenções de votos e surgiram duas novas lideranças que foram o Alfredo e o Serafim saindo de 1% para a disputa do segundo turno.

BMA    A ameaça da Lava-Jato que paira sobre a cabeça de alguns candidatos ou apoiadores, pode mudar o rumo da eleição

Marcelo Serafim –  Com certeza. Muito difícil que a Lava-Jato não influencie a cabeça do eleitor. Não dá para reclamar da política e votar no Braga e Amazonino.

BMA – Se eleito, quais as prioridades de se projeto de governo?

Marcelo Serafim –  As prioridades serão: Fazer funcionar a saúde, educação e segurança. Nesse ponto não precisamos fazer grandes obras e sim fazer funcionar através de uma mão de obra bem qualificada, tendo em vista que nessas áreas o recurso humano é o principal vetor de qualidade.

Em Manaus trabalharemos forte em projetos de mobilidade urbana para retirar Manaus do caos urbano que o atual prefeito colocou. No interior trabalharemos de forma intensa o desenvolvimento efetivo do setor primário do nosso estado além de incentivarmos através da UEA e CETAM o oferecimento de cursos que privilegiem o desenvolvimento sustentável do interior. Outra coisa que iremos priorizar é um sistema de estágio e bolsas de estudos para os jovens interioranos que tenham que se deslocar de suas cidades para estudarem em Manaus.

BMA   De onde virá o dinheiro para financiar sua campanha, e quanto pretende gastar?

Marcelo Serafim – Estamos buscando os recursos do fundo partidário para isso, mas nada fechado em termo de valores. Faremos uma campanha enxuta, responsável e pé no chão. Nesse momento creio que as campanhas mais modestas encantarão mais o eleitor. Quem esbanja muito vai ter que dizer de onde está vindo o recurso. Sempre fizemos campanhas mais simples e estamos acostumados com essa fórmula.

 

“O povo não aguenta mais a disputa

entre dois eternos candidatos” (Marcelo Serafim)

Mário Adolfo Filho

Mário Adolfo Filho

Jornalista, formado pela Universidade Federal do Amazonas. Com passagem por grandes jornais de Manaus, Prefeitura de Manaus, Câmara Municipal de Manaus e Câmara dos Deputados.