BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Mais de 4 quilômetros do igarapé do Mindu começam a receber trabalho de dragagem


Quatro mil e seiscentos metros do igarapé do Mindu, um dos mais importantes da malha hidrográfica da cidade, começaram a receber os trabalhos de dragagem para o desassoreamento do leito e retiradas de resíduos sólidos, um trabalho preventivo para o período de chuvas mais intensas, que dará mais vazão às águas, prevenindo os alagamentos. Os trabalhos começaram na comunidade Bairro Novo e vão se estender pelas comunidades do Sião 1, 2 e 3, chegando até a comunidade Valparaíso, todas no bairro Jorge Teixeira, zona Leste. O prefeito Arthur Virgílio Neto acompanhou os trabalhos na véspera de Natal, terça-feira, 24, que incluem também a limpeza e tapa-buraco em 16 ruas da localidade.

“Nós vamos dragar aqui 4,6 mil metros de igarapé para evitar a cheia no período chuvoso. Quando a chuva vier, nós vamos continuar lutando, mas queremos ter essa luta com vantagem e para isso tem que dragar no verão”, disse o prefeito Arthur Neto, que manteve uma agenda normal nesta terça-feira, mesmo sendo véspera de Natal, acompanhado da primeira-dama, Elisabeth Valeiko Ribeiro. “Tudo aquilo que possa significar entupimento tem que ser prevenido para evitar danos às pessoas no inverno. E no verão vamos ‘tacar o pau’ nas obras, muito mais do que estamos fazendo agora”, disse.  

Os trabalhos de dragagem começaram na terça-feira, assim como o de limpeza, mas o mutirão de tapa-buraco já está ocorrendo desde o final da semana passada, para atender 16 ruas que precisam ser estabilizadas, dentro do programa de obras da prefeitura que pretende, até o final de 2020, estabilizar toda a cidade. “Nós vamos fazer todas as 16 ruas, isso aqui vai ficar tudo estabilizado. Não estão boas agora, mas vão ficar e a gente vai fazendo tudo o que é possível, com um trabalho integrado: obras, limpeza, iluminação, saúde, temos orgulho disso”, ressaltou o prefeito.  

Todo o sedimento retirado do leito do igarapé (areia) é reutilizado nos trabalhos de infraestrutura da cidade, contribuindo tanto para a economicidade dos recursos financeiros quanto para o conceito ambiental de uso sustentável dos recursos minerais. Com a areia reutilizada a prefeitura deixa de comprar essa areia e, por sua vez, a empresas reduzem a extração de areia em outras fontes.

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.