Calendário

novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Irmãos venezuelanos exibem placa na rua pedindo emprego em Manaus

Quem trafega pela Alameda Cosme Ferreira, bairro Aleixo,  vai se deparar com uma cena que está virando rotina na vida urbana de Manaus. Dois jovens parados no cruzamento com a avenida Beira Rio (Coroado),  exibindo uma placa de papelão postada sobre o peito onde se lê “Preciso de Trabalho,ten documentação. Uma diária”. A placa é meio confusa e mostra o verbo ter escrito com a grafia errada. E “uma diária” deve ser o valor cobrado por sua mão de obra.

Quem já perdeu a capacidade de se indignar com cenas assim, acelera o carro e segue seu destino. Afinal, como eles, existem centenas na cidade pedindo esmola. Mas este não estão esmolando, são sadios, fortes  e jovens. E só querem uma oportunidade.  O repórter estaciona o carro e segue o faro da notícia e as pegadas da história.

Eles são os irmãos  Eduardo José Mendonza, 21 anos e Frank Jackson Quezada Mendoza, 26.  São venezuelanos. Têm ensino médio completo, abandonaram suas famílias e fugiram de sua pátria por não conseguir  mais  trabalhar, estudar ou  comer. Em Manaus, eles estão dormindo na rua e só se alimentam quando alguém se compadece de sua história de vida e lhe dão algum  trocado para comer.

— Tenho mulher e um filho de um ano. Não podia mais continuar na Venezuela, onde hoje, viver, é uma aventura perigosa – diz  Eduardo, que foi auxiliar de produção na  empresa Granizo; chapeiro na empresa Subway e auxiliar de produção no Consórcio Siderurgia Nacional.  A maioria dessas empresas, segundo ele, fecharam as portas vencidas pela crise instalada no país com a ascensão de Nicolas Maduro à presidência.

Frank Jackson trabalhou como operador de máquina na indústria Macusa C.A. (até ela fechar); auxiliar de deposito e ajudante de caminhão na  empresa Vilcola e ajudante de caminhão na empresa Concreteira ROH CA.

O dois rapazes abrem um saco plástico e mostram que têm toda a documentação e uma algumas cópias de currículos impressas.

— Não estamos pedindo esmolas. Só queremos uma oportunidade, um trabalho e viver dignamente. Escolhemos vir ara Manaus porque temos conhecimento da generosidade de seu povo –, apela Eduardo José.

Em Manaus eles conseguiram ajuda de uma pessoa que cedeu o endereço e o telefone para eles colocarem no currículo, caso surjam oportunidades de trabalho – Rua Álvaro Bandeira de Melo, 155– Bairro Jardim Petrópolis. CEP 69067-210. Telefone (92) 99321-6379.

Deixe uma resposta