BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Hospital Francisca Mendes realiza cirurgia em recém-nascida com cardiopatia rara


O Hospital Universitário Francisca Mendes (HUFM) realizou, na manhã de segunda-feira (08/03), uma cirurgia cardíaca em uma criança recém-nascida com anomalia rara no coração. O bebê, uma menina de 36 semanas de gestação, nasceu com ectopia cordis, uma má-formação congênita rara caracterizada pela localização do coração fora da cavidade torácica.

O atendimento à mãe e à recém-nascida envolveu cerca de 30 profissionais de saúde, entre obstetras, pediatras, cirurgiões cardíacos, anestesistas, enfermeiros e técnicos de enfermagem, conforme alinhamento entre o hospital e a maternidade Nazira Daou. O parto e o procedimento cirúrgico na recém-nascida aconteceram no centro cirúrgico do Hospital Francisca Mendes.

Desde o início da gravidez, mãe e bebê foram acompanhados pela equipe do ambulatório de alto risco da maternidade Nazira Daou e pela equipe de cardiopediatria do Hospital Francisca Mendes. As unidades  funcionam num mesmo complexo hospitalar no bairro Cidade Nova, zona norte.

“A maternidade dispõe de pré-natal de alto risco, onde essa paciente fazia acompanhamento, e tão logo foi detectado a anomalia cardíaca do feto, ela foi direcionada para a cardiopediatria do Francisca Mendes. Posteriormente, as equipes médicas das unidades se reuniram para estudo do caso e definição da logística necessária para a realização dos procedimentos”.

Após o parto, a bebê passou por um procedimento para implantação de uma membrana de proteção em torno do coração, com a finalidade  de evitar infecções, principal fator de risco para a vida de bebês que nascem com cardiopatia.

“Logo que essa criança nasceu, ela foi levada para uma outra sala de cirurgia para a realização do procedimento. Por ser uma doença muito rara e desafiadora para a medicina, nesse primeiro procedimento cirúrgico nós usamos uma membrana para recobrir o coração e outros órgãos para evitar contágios, e assim fazer o processo de avaliação para programar as novas fases do tratamento”, declarou o cirurgião cardíaco, Fausto Pina.

Acompanhamento

Após o nascimento, a bebê vai permanecer internada na UTI infantil, sendo acompanhada pela equipe de cardiologia pediátrica do HUFM para realizar exames.

“Estamos estabilizando esse bebê que já passou por um procedimento e agora vai passar por uma série de exames. Vamos fazer angiotomografia para que a gente possa conhecer a parte pulmonar, a parte abdominal, para fechar o processo e decidir com a equipe multiprofissional os próximos passos de intervenção cardíaca”, destaca a cardiologista pediátrica, Suely Telles.

A médica destaca ainda que o fato do processo de parto e primeiro atendimento da recém-nascida terem acontecido no mesmo hospital, foi de fundamental importância para a tomada de decisão quanto aos próximos passos do tratamento.

“Ela vai passar por novos exames para que possamos saber quais são os outros defeitos no coração, e em 48 horas já vamos ter a decisão de qual caminho seguir em relação ao futuro dessa criança”.

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.