Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Ex-comandante do CMA Dispara críticas ao STF


O ex-comandante na Amazônia e das tropas brasileiras no Haiti, o general da reserva Augusto Heleno, abriu fogo contra a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) de colocar em liberdade  presos condenados pela Lava Jato. De acordo com matéria publicada no Estadão, assinada pela jornalista Eliane Catanhede, o general criticou a decisão dos ministros, afirmando que hoje, transmitem à Nação, alarmada pela criminalidade e corrupção que se alastram, uma lamentável insegurança jurídica e uma frustrante certeza da impunidade. “Passam a sensação de que o Brasil, com esse Tribunal, não tem nenhuma chance de sair do buraco”.

O general Augusto Heleno também foi comandante do Comando Militar da Amazônia (CMA) e muitas vezes surpreendeu o país com declarações polêmicas. Nesse período contestou a política indigenista do governo Lula, que qualificou de “lamentável para não dizer caótica”, durante palestra no Clube Militar, no Rio de Janeiro, à época da demarcação da terra indígena de Raposa/Serra do Sol. Afirmou que os índios “gravitam no entorno dos nossos pelotões porque estão completamente abandonados”.

Em 9 de maio de 2011, numa cerimônia no Quartel General do Exército em Brasília, passou para a reserva e defendeu o movimento militar de 1964, após 45 anos de vida militar.

 

Na íntegra 

 

Veja, na íntegra, o posicionamento do general, sobre as decisões do STF, publicada no estadão.

“Será que os doutos Ministros do STF avaliam o mal que têm causado ao país? Ou o Olimpo em que vivem os afasta totalmente da consciência nacional? Façam uma pesquisa para avaliar o que a população honesta pensa, hoje, da instituição em que militam. Vossas Exas. votam calcados em saber jurídico? Não parece. Para a imensa maioria, fingem fazê-lo. Em votos prolixos e tardios, dão vazão a imensuráveis vaidades, a desavenças pessoais e a discutíveis convicções ideológicas. Hoje, transmitem à Nação , alarmada pela criminalidade e corrupção que se alastram, uma lamentável insegurança jurídica e uma frustrante certeza da impunidade. Passam a sensação de que o Brasil, com esse Tribunal, não tem nenhuma chance de sair do buraco; e colocam em sério risco nossa combalida e vilipendiada “democracia”. Sabemos que são professores de Deus e lhes pedimos,apenas, que desçam do pedestal e coloquem o Brasil acima de tudo.”

Gen Ref Augusto Heleno Pereira

Mário Adolfo Filho

Mário Adolfo Filho

Jornalista, formado pela Universidade Federal do Amazonas. Com passagem por grandes jornais de Manaus, Prefeitura de Manaus, Câmara Municipal de Manaus e Câmara dos Deputados.