Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito – Tropas Federais na aldeia do AM


Todo mundo sabe que essa história de liberar garimpo em terras indígenas não pode acabar bem.

Em algumas aldeias, os ânimos já andam exaltados. Afinal, o que o homem branco faria ao presenciar um estranho invadindo seu quintal para chafurdar em busca de riquezas?

A chapa anda tão quente que o  ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, determinou que a Força Nacional seja enviada à terra indígena Vale do Javari, no Amazonas. Alí, em setembro, um funcionário da Fundação Nacional do Índio (Funai) foi morto após a base de apoio ser atacada.

A portaria foi publicada nesta quarta-feira (04/12/2019) no Diário Oficial da União (DOU).

Ainda bem

Moro escreveu que a medida se dá em “apoio à Funai”.

— Mas serve para garantir a integridade física e moral dos povos indígenas e dos servidores da Funai –, concertou o ministro.

Ainda bem que, nesta história, também tem quer levada em conta o lado dos índios, as maiores vítimas dessa decisão (mineração em suas terras)  estapafúrdia.

Cannabis liberada

A Anvisa (Agência Nacional de Vigiliância Sanitária) aprovou a regulamentação do registro e venda de produtos à base de Cannabis em farmácias brasileiras.‌

Não é remédio

Apesar de determinar que as embalagens desses produtos evitem as palavras “remédio” e “medicamento”, eles visam ao bem-estar de milhares de pacientes brasileiros para os quais o uso de CBD e THC (componentes da Cannabis) combate sintomas de doenças como epilepsias refratárias e crises convulsivas.‌

Só com receita

A decisão, aprovada por unanimidade na Anvisa, deve começar a valer em até 3 meses.

Os remédios só serão vendidos com prescrição médica.

A bronca do general

Um dos nomes mais respeitados pelos oficiais superiores das Forças Armadas, general da reserva Maynard Santa Rosa – que demitiu-se da Secretaria de Assuntos Estratégicos do governo Bolsonaro no início de novembro –, fez duras críticas ao presidente.

De acordo com o general, em entrevista ao UOL, Bolsonaro é um presidente inacessível a seus colaboradores mais qualificados, por causa da intervenção de jovens que filtram o acesso a ele.

Coleciona inimigos

O general Santa Rosa  disse ainda que  o planejamento estratégico do país foi deixado de lado por falta de apoio do Ministério da Economia.

Para ele, a  principal autoridade da República está cada vez mais isolada pela coleção de amigos que se tornaram inimigos.

— Torço para que o governo dê certo, mas se acontecer vai ser por acaso –, prevê.

Descaso

Santa Rosa expôs o descaso com que o ministro-chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Jorge Oliveira, tratou o planejamento que traçou.

Assinou sem entender

O plano de sete prioridades que apresentou em janeiro ao presidente acabou não indo a frente, apesar do “ok” de Bolsonaro no documento.

— Ele assinou sem entender bem o que estava assinando –, deduziu Santa Rosa.

Boa bola

O Governador do Estado do Amazonas, Wilson Lima, decidiu que vai bancar as passagens aéreas da delegação do sub-19 do Nacional Futebol Clube.

O time vai representar o Amazonas na Copa São Paulo de Futebol Junior, que inicia no dia 2 de janeiro.

Entra em campo

O Naça estreia no dia 3, diante do Paraná Clube-PR.

O Leão da Vila conquistou a vaga para disputar o torneio, após sagrar-se campeão do estadual em 2019.

Motosserras

O Imazon (Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia) divulgou na manhã desta terça-feira (03) os dados do desmatamento em outubro e não há surpresas, o ritmo de derrubada de floresta contínua alto.

Foram 583 quilômetros quadrados (km²) derrubados em 31 dias. Em outubro de 2018, o desmatamento alcançou 187 km².

Ranking dos estados

Pará liderou em outubro o ranking de estado que mais desmatou. Mais da metade (59%) da derrubada de florestas ocorreu no estado, seguido de Mato Grosso (14%), Rondônia (10%), Amazonas (8%), Acre (6%), Roraima (2%) e Amapá (1%).

Olho no trânsito

Mais uma vez o trânsito será alterado no trecho entre as ruas Pará e João Valério, a partir da próxima segunda-feira, 9/12.

O fluxo de veículos será  direcionado para a pista do sentido bairro/Centro.

Viaduto toma forma

A inversão do trânsito é necessária para o início da segunda etapa da construção do complexo viário.

Agora, as frentes de obras agora estão concentradas na rua Pará, que já recebeu 543 estacas de sustentação da passagem subterrânea.

Concreto armado

Com a mudança no fluxo será possível executar a escavação da trincheira e a confecção da laje do tabuleiro do cruzamento da avenida Constantino Nery com a Pará e João Valério.

Vai virar sapato

O deputado estadual João Luiz (Republicanos) adorou o  primeiro abatedouro de jacaré do Amazonas, que foi certificado pelo governo.

Quem não gostou nada foram os ecologistas. E o jacaré, claro.

Cadeia produtiva

Para o Republicano, esse é o pontapé inicial para o fortalecimento da cadeia produtiva do beneficiamento e manejo do jacaré no Estado.  

Abate

A Empresa Plantar é o primeiro estabelecimento de abate e entreposto de jacaré com autorização da Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf) para a comercialização estadual. 

EM ALTA

Saiu o ranking de países mais generosos, medido pelo World Giving Index. Os Estados Unidos aparecem em primeiro lugar como o país mais generoso do mundo na última década. O índice, da organização sem fins lucrativos Charities Aid Foundation, sediada no Reino Unido, baseia-se nas pesquisas da Gallup na World Poll, feita com 1,3 milhão de pessoas em 128 nações. Veja o ranking: EUA, Myanmar, Nova Zelândia, Austrália, Irlanda, Canadá, Reino Unido, Holanda, Sri Lanka, Indonésia. O Brasil não aparece nem entre os 10 mais nem entre os 10 menos.

EM BAIXA

De janeiro até agora, foram 50 óbitos, contra 35 no mesmo período de 2018. Os dados são de um levantamento feito com dados da plataforma Fogo Cruzado. Parentes e especialistas afirmam que a política de segurança do governador Wilson Witzel é responsável pelo aumento. Esse ano, o número de crianças mortas por bala perdida dobrou. Dezessete foram atingidas e quatro morreram. A mais recente, Ketellen Gomes, tinha apenas 5 anos. O número de vítimas cresceu 40% em relação ao ano passado, na Região Metropolitana do Rio. Um levantamento feito pela plataforma Fogo Cruzado a pedido da CBN mostra que, de janeiro até esta quinta-feira, foram 50 óbitos. No ano passado, foram 35 mortes no mesmo período. 

Redação BMA

Redação BMA

As principais notícias do Amazonas, do Brasil e do mundo. Mais de 40 anos de jornalismo com credibilidade.