BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - Semana na ALE foi marcada por debates estranhos sobre ‘macheza’


Quem apostou no avanço do chamado (erroneamente) “sexo frágil” no Legislativo amazonense está redondamente enganado. Cinco dia depois do Dia Internacional da Nlgeres,8,  deputados tiveram um “ataque de machismo” em sessões da assembleia Legislativa, de fazer Alexandre Frota corar de vergonha. O primeiro confronto hetero aconteceu na sessão de quarta-feira, 11, entre os deputados Wilker Barreto (Avante e Josué)  e Josué Neto (Patriota). Quando, de forma debochada,  disse que Josué  não conhecia  o Regimento e foi cobrado pra concluir seu pronunciamento, Wilker ironizou mais uma vez:

— Se o deputado “regimentalista” Josué deixar em concluo...

Foi o suficiente para Josué subir nas tamancas e rodar a baiana:

— Deputado Wilker Barreto,  eu sou macho! Eu sou homem. Eu não gosto de pessoas do mesmo sexo! V.Ex.a pode me esquecer um pouco por favor?

Sessão felina e ferina

O dia  seguinte ficou conhecido com a “sessão dos felinos”. Novamente estava na tribuna o deputado Wilker Barreto que cutucou a onça com vara curta. No caso, a onça era o deputado Sinésio Campos (PT), talvez por isso a vara não precisa ser tão comprida.

— Deputado Sinésio, V.Ex.a contra  o governo federal é um leão. Contra o governo estadual  é um gatinho.

— Gatinho não! Eu sou muito macho! – retrucou o petista.

Bichano suspeito

A partir daí o tempo fechou.

Sinésio não gostou nadica de nada de ser comparado a um bichano suspeito. E como é “muito macho”, deu o maior piti. Apontou as garras pra Wilker e cacetou:

— Se V.Ex.a gosta de chamar de gatinho, chame de gatinho as suas negas. As suas panterinhas. Me trate aqui como deputado!

Gatinho ou leoa?

Wilker ficou na maior saia justa e tentou argumentar:

— Mas o tra-ta-tra-tratamento... – gaguejou. E Sinésio ajumentou:

— Aqui comigo o buraco é mais embaixo. Não chamo V. Ex.a de leoa. Agora, dizer que um leão, outro é gatinho....

Alô Sucupira!

Para serenar os ânimos e acabar com a “sessão felina”, o presidente Roberto Cidade resolveu tomar um atitude:

— Peço que retire dos anais da casa as palavra “gatinho” e “leoa”.

Sucupira, do imortal prefeito Odorico Paraguaçu, não seria mais hilária!

Éramos Cinco

Como se já não bastasse o excesso de machos man na Assembleia, a Casa sofreu mais uma baixa na já tão reduzida bancada feminina.

A deputado Alessandra Campello (MDB), está  abandonando o Parlamento para assumir o cargo de Secretaria de Estado de Assistência Social (SAS).

Cartão vermelho

E nessa decisão de La Campello vai rolar um quiproquó dentro do MDB. O cacique do partido, senador Eduardo Braga disse que filiado seu integrar o governo de Wilson Lima. E promete levantar o cartão vermelho para a ex-líder do partido.

Malas prontas

Fontes ligadas a Alessandra Campello garantem que, enquanto Braga procura no bolso o cartão vermelho, Alessandra tira o time de campo antes da expulsão. Está de malas prontas para entrar no PP, o partido dos Lins.

Quem te viu

A pensar que um dia, cabelos ao vento, Alessandra desfraldou a bandeira vermelha do PCdoB, ao lado dos camaradas Eron Bezerra e Vanessa Grazziotin, naqueles anos rebeldes.

Ameaça populista

Há pouca margem para “aventuras” fiscais na Câmara dos Deputados, mesmo com a aproximação das eleições e diante da possibilidade de uma guinada populista do presidente Jair Bolsonaro. A avaliação, nesta sexta-feira (12) é do  vice-presidente da Casa, Marcelo Ramos (PL-AM).

Imunização em massa

Ramos acredita que o Congresso está convicto da necessidade urgente de imunização em massa da população como um instrumento não apenas de saúde pública mas também de retomada da economia. Segundo ele, haverá cobranças pelo cumprimento de compromissos relacionados à vacinação.

Efeito Lula

O vice-presidente da Câmara dos Deputados, Marcelo Ramos (PL-AM) , a entrada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no jogo eleitoral também pode influenciar as tomadas de decisão do presidente Jair Bolsonaro e suas iniciativas de olho na popularidade.

— Eu acho que o presidente Bolsonaro passa a ter uma sombra que ele não tinha. A força do presidente Lula com essas camadas mais pobres da sociedade, ela é inegável. E o fato de ele estar elegível, certamente do ponto de vista político, muda um pouco o tabuleiro do jogo.

Sombra petista

Isso, segundo Marcelo, deve pressionar um pouco Bolsonaro e obviamente pode exigir do presidente da República movimentos pensando mais na sua popularidade do que na questão do fiscal do país.

Greve de novo...

Entra prefeito e sai prefeito e o sistema de transportes coletivos de Manaus continua no caos. Nesta sexta-feira, uma greve deixou a cidade de pernas para o ar e muito trabalhador chegou no emprego atrasado.

... Quem se ferra é o povo!

Fiscais de Transportes e agentes de trânsito do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (IMMU),  foram às ruas para auxiliar no ordenamento dos terminais e avaliar o prejuízo aos usuários.

Empresários, resolvam!

“O órgão espera que empresários do setor e trabalhadores cheguem a um acordo quanto às reivindicações e retornem à operação normal do sistema de transporte, para que a população não seja ainda mais prejudicada neste momento difícil que vivemos”, disse a Prefeitura em nota.

Tem dinheiro...

O Projeto de Lei  que autoriza a comprar vacinas contra a Covid-19, pelo Executivo, já está tramitando na Assembleia Legislativa. De acordo com o texto, o Poder Executivo fica autorizado a adquirir imunizantes contra a Covid-19 quando não ofertados de maneira suficiente pelo “Plano Nacional de Imunização”.

...dá pra fazer!

O autor do projeto, o deputado Saullo Vianna (PTB) apresentou contas sobre as vacinas, afirmando que sete milhões de doses produzida pela Pfizer custariam R$ 727 milhões. Entretanto, as do Instituto Butantan sairiam pelo valor de sete milhões de reais.

Não falem de papai

O youtuber Felipe Neto reagiu, nesta quinta-feira, à publicação do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos-RJ), em que o parlamentar afirma ter entrado com uma queixa-crime contra ele (Neto)  e a atriz Bruna Marquezine por calúnias contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Felipe Neto disse estar pronto para "todo tipo de covardia"

Não me amedronta

O influenciador afirma que enfrenta essa “articulação de ódio” há muito tempo e destaca: “Você não me amedronta”.

— Vocês podem botar medo em quem não tem como se defender, mas aqui não tem essa.

Devem temer o povo

Neto disse ainda que está pronto para todo tipo de covardia do lado dos Bolsonaro e que “não vamos nos calar em função dessas tentativas nojentas de silenciamento”.

— Os governantes devem temer seu povo, NUNCA o contrário. Nós vamos vencer — afirmou Felipe Neto.

Expondo Marquezine

Na publicação feita na tarde de quinta-feira no Twitter, o vereador cita o Art. 138 do Código Penal, que especifica o crime de calúnia, juntamente com uma foto em que anuncia o encaminhamento da queixa-crime. Para a arte, entretanto, foi escolhida uma foto em que Bruna Marquezine está seminua, com os seios de fora, um registro de um de seus trabalhos como atriz. Neto afirmou que a “conotação sexual” conferida a ela foi feita de maneira “rasteira” e vergonhosa”.

ÚLTIMA HORA

Em 2018, Toffoli prometeu ao general que manteria Lula preso

Dias Tofolli prometeu ao general e cumpriu: ignorou habeas corpus em 2018 e deixou Lula preso

A ameaça do então comandante do Exército, Eduardo Villas Bôas, sobre o Supremo Tribunal Federal (STF) diante da votação sobre habeas corpus que poderia colocar o ex-presidente Lula em liberdade fez com que o futuro presidente da corte, Dias Toffoli, se reunisse com o militar e prometesse manter Lula detido até depois das eleições.

Segundo reportagem de Monica Gugliano e Tânia Monteiro, na Revista Piauí, Toffoli foi até o gabinete do general cerca de cinco meses após o tuíte golpista, que voltou ao debate público com a publicação de livro “General Villas Bôas: conversa com o comandante”, onde ele admite que a mensagem foi discutida com o Alto Comando do Exército.

ORGULHO

Mirem-se no exemplo! A Comgás, Companhia de Gás de São Paulo, anunciou que plantará uma árvore para cada cliente que optar pela fatura digital. Eles firmaram a parceria com a Fundação SOS Mata Atlântica, na intenção de reduzir a circulação de papel e contribuir com a restauração das florestas nativas. De acordo com a SOS Mata Atlântica, para cada seis árvores plantadas, uma tonelada de CO2 é reduzida na atmosfera. Esse dado é o maior motivador da Fundação, para buscar transformar valores e atitudes em benefício para esse bioma.

VERGONHA

Em menos de duas horas após publicar, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) apagou o post onde ele dizia que a "arma" do governo era a vacina. Na imagem, o Zé Gotinha, personagem símbolo da vacinação do Brasil, carregava um fuzil em forma de vacina. crítica feita por internautas aponta que a postagem foi feita dois dias depois de o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmar que o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tinha mandando o personagem embora “porque achou que era petista”.

— Na minha época, nós vacinamos 80 milhões de pessoas em três meses. Cadê o Zé Gotinha? Bolsonaro mandou embora, porque achou que era petista –, afirmou o ex-presidente.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.