BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - Parlamento faz justiça a Marcus Barros


A Assembleia Legislativa concedeu, nesta terça-feira, 16, uma de sua mais justas homenagens ao um profissional do Amazonas. O médico  infectologista e pesquisador Marcus Barros recebeu a  Medalha Ruy Araújo, através da proposta do deputado Serafim Corrêa (PSB).

Marcus tem uma longa lista de serviços prestado ao Amazonas. Foi reitor da Universidade do Amazonas;  diretor do Instituto de Pesquisa da Amazônia (Inpa); diretor e presidente do Ibama; secretário de governo da prefeitura de Manaus.

— Marcus é o orgulho da nossa geração. Somos da mesma idade, estudamos no mesmo grupo escolar, Barão do Rio Branco, depois ele estudou no Colégio Estadual e depois no Colégio Dom Bosco –, comentou Serafim.

Nome na política

Além de se tornar  nacional e internacionalmente uma referência ao tratamento e pesquisa de doenças tropicais, Barros também atuou na política, sedo um dos nomes históricos que ajudaram a  fundar o PT no Amazonas, na década de 1980.

Disputou algumas eleições importantes, como o Senado Federal, governo do Estado e Prefeitura de Manaus.

Ética profissional

No início da pandemia do novo coronavírus, em 2020, foi um dos primeiros profissionais de saúde do país a sem manifestar, através deste blog, contra o tratamento precoce com hidróxido de Cloroquina.

Valeu a pena

Ao agradecer a homenagem, Marcus disse que recebia a Medalha Ruy Araújo com alegria e emoção.

— A Medalha homenageia a quem se destaca pelo serviço prestado ao Amazonas nos vários segmentos. Assim, procurei contribuir nas áreas de saúde, educação e meio ambiente. Hoje, estou ciente de que valeu a pena –, disse o médico.

Pau no TCE

E por falar em Serafim, O líder do PSB torpedeou a condução do pregão presencial do Tribunal de Contas do Estado (TCE) para o pregão presencial do TCE para construção de um muro por R$ 7,7 milhões.

De acordo com o líder do PSB, o pregão ocorreu à portas fechadas e sem transparência mínima, contradizendo o que prevê a Constituição.

Mordaça

Sarafa advertiu que até hoje ninguém sabe o resultado do pregão porque o tribunal não permitiu o acesso da imprensa.

— O pregão deve ter sido realizado na sexta-feira. O TCE tribunal de Contas não permitiu acesso à imprensa. Logo ele que deveria ser um exemplo de transparência, nega a transparência – cacetou o deputado.

Desculpa infantil

A desculpa do TCE chega a ser esfarrapada. Para Serafim, na verdade, a justificativa chegou a ser “a mais infantil possível”.

—A sala é muito pequena. Um pregão como esse deve ser feito em um auditório para que todos vejam. Para que qualquer um que queira ter acesso, possa ter acesso –, criticou.

Audiência veloz

A Band registrou recorde de audiência no último domingo (14/11), com a exibição do Grande Prêmio de São Paulo de Fórmula 1. Durante a transmissão da 19ª etapa do mundial, a Band ocupou a liderança por 33 minutos e chegou a alcançar a diferença de 1,5 ponto no confronto com a Globo, sua principal concorrente, às 15h20.

Olho na telinha

No ar das 14h02 às 15h36, a corrida, que foi vencida por Lewis Hamilton, da Mercedes, obteve média de 6,9 pontos, share de 15,3% e pico de 8 pontos.

Após 41 anos, a Fórmula 1 voltou a ser transmitida com exclusividade na Band em 28 de março deste ano, com o GP do Bahrein.

Piramideiros na cadeia

O senador Eduardo Braga (MDB-AM) apresentou um Projeto de Lei que pede a punição para todos os que aplicarem golpes e esquemas de pirâmide financeira.

Pelo texto, tanto a pirâmide, quanto a negociação de criptoativos, com o objetivo de praticar crimes serão punidos com a pena de quatro a oito anos de reclusão, além de multa.

Milhares lesados

Como exemplo desse tipo de fraude, Braga cita “o grande desarranjo econômico” promovido pela G.A.S Consultoria Bitcoin.

A empresa movimentou quantidade expressiva de recursos na comercialização de moedas virtuais e é suspeita de lesar milhares de investidores no estado do Rio de Janeiro.

Cifras bilionárias

O autor ainda cita que, segundo a Polícia Federal, nos últimos seis anos, a movimentação financeira de empresas supostamente envolvidas em pirâmides financeiras apresentou cifras bilionárias – cerca de R$ 2 bilhões – causando o prejuízo de muitos consumidores.

A culpa é das ONGs

Plínio Valério (PSDB)-AM) continua acusando as ONGs por todos os males da Amazônia. Na cabeça do senador, o governo federal não tem culpa de nada.

Em pronunciamento nesta terça-feira (16), o Valério (PSDB-AM) defendeu a instalação, no início de 2022, da Comissão Parlamentar de Inquérito destinada à investigação das Organizações Não-Gocvernamentais.

Demonização

Autor do requerimento de criação da CPI, Plínio Valério afirmou que o objetivo das apurações não é 'demonizar' todas as ONGs, mas as que estariam causando mal ao país.

— Nós, do Amazonas, não toleramos mais essa intervenção que se faz. Não se respeita o governo brasileiro, o governo local.

Isto é, o senador fiz que não tem a intenção de “demonizar” as ONGs, mas, ao questionar a honestidade, já está demonizando. E há bastante tempo.

Cadê a babita?

O tucano de Eirunepé insinua que as ONGs praticam até   “desvio de dinheiro”. Segundo ele, os doadores  passam o dinheiro diretamente para as ONGs.  E...

— Essas ONGs, acredite, com algumas exceções, nos causam muito mal. E há suficiente material para que a gente inicie uma CPI — declarou.

Nós quem, cara pálida?

O problema é que na contramão do politicamente correto,  Plínio fala sempre em nome de “nós da Amazônia”. Acontece que nem todo mundo pensa como ele. Logo cabe o bordão da anedota: “nós quem, cara pálida?”

ÚLTIMA HORA

Bolsonaro mente em Dubai. “A floresta é úmida e não pega fogo”

Bolsonaro: a floresta Amazônica não queima e está intacta, desde 1500

Durante a abertura do Invest in Brazil Forum (evento com investidores), em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou nesta segunda-feira (15) que os ataques sofridos pelo Brasil sobre o desmatamento na Amazônia “não são justos”.

— Nós queremos que os senhores conheçam o Brasil de fato. Uma viagem, um passeio pela Amazônia é algo fantástico…. Até para que os senhores vejam que a nossa Amazônia, por ser uma floresta úmida, não pega fogo, que os senhores vejam, realmente, o que ela tem –, disse Bolsonaro em Dubai.

— Os ataques que o Brasil sofre quando se fala em Amazônia não são justos. Lá mais de 90% daquela área está preservada. Está exatamente igual de quando foi descoberto no ano de 1500. A Amazônia é fantástica –, destacou o presidente.

ORGULHO

Dezenas de milhares de pinturas históricas foram encontradas em cavernas intocadas da Amazônia, na região da Colômbia. As artes foram encontradas em um trecho de rocha de 13 quilômetros e acredita-se que tenham mais de 12.500 anos. A pintura é extremamente detalhada e tem impressões de mãos e representações da megafauna da Idade do Gelo, como o mastodonte, um parente do mamute, cavalos da Idade do Gelo e preguiças gigantes.

VERGONHA

O cantor paraibano Chico César foi alvo de comentários racistas feitos pelo apresentador de uma rádio da Paraíba no último domingo (14) durante o programa “Fala Conde”. Em vídeo que circula nas redes sociais, o apresentador Byra de Jacuman se refere ao artista como “praga” e “neguinho”.

— Acabaram com nosso carnaval, que era nosso cartão postal. Fizeram um carnaval para eles. Era aquele neguinho tocando violão nu, como era o nome dele, de Catolé do Rocha? Esqueci o nome daquela praga, ninguém se lembra mais dele. Deixa para lá –, dispara Jacuman.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.