BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - Olho gordo no ouro das terras indígenas



Para felicidade geral dos índios do Xingu, o  Tribunal Regional Federal de Brasília manteve suspenso o projeto da maior mina de ouro na Amazônia, que a empresa canadense a Belo Sun Mining Corp.  estava implantando na região.

Numa votação unânime, os três juízes asseguraram o veredicto de 2017, que considerou que a consulta aos povos indígenas e o estudo sobre o impacto socioambiental do projeto não satisfazem os critérios exigidos pela Fundação Nacional do Índio.

— Esta é mais uma vitória para os indígenas e ribeirinhos da Volta Grande do Xingu –, disse o procurador federal Felício de Araújo Pontes Jr, numa mensagem enviada à Associated Press.

O Projeto Volta Grande de mineração, da mineradora canadense Belo Sun Mining Ltda., tem como objetivo tornar-se a maior mina de exploração de ouro a céu aberto do país. Entre as diversas questões problemáticas do projeto, a magnitude dos seus impactos ocorrerá na mesma região recém-impactada pela construção da Usina Hidrelétrica (UHE) de Belo Monte,  a terceira maior barragem hidroelétrica do mundo.

Impactos Socioambientais

O Projeto de Mineração Volta Grande do Xingu prevê o uso de cianeto no manejo dos minérios - substância extremamente tóxica para o solo e para os corpos hídricos - e os estudos ambientais do empreendimento prevêem o risco de rompimento da barragem durante as fases de operação e fechamento como Risco Alto.

A  mineradora canadense alegou que já tinha consultado os povos indígenas e a que a comunidade mais próxima fica a mais de 10 quilómetros de distância do projeto Volta Grande.

O Ministério Público Federal reforçou que a empresa considerou apenas as áreas oficialmente demarcadas e defendeu que as comunidades indígenas fora dessas localidades também deveriam ter sido levadas em conta.

Barulho alto

Segundo os estudos da mineradora, o projeto de extração e beneficiamento de minério de ouro contará com investimento de aproximadamente US$ 1.076.724.000,00.

Já para a instalação do empreendimento, os custos são de US$ 380.077.000,00.

Morde  e assopra

Os vereadores de Manaus continuam adotando o velho estilo de fazer política: o desgastado “morde e assopra”.

Criticam o que Bolsonaro vem fazendo com a Zona  Franca de Manaus, defendem os empregos mas... na hora de  tomar uma posição recuam covardemente, com a desculpa de que “votei nele, continuo acreditando nele e vou apoia-lo na eleição”.

Vereadores de Manaus aplaudem Bolsonaro

Ah, que fofo!

Veja o que disse o vereador Caio André (PSC) depois de dizer que o governo Bolsonaro prejudica o Amazonas:

— Fui eleitor  de Bolsonaro e  ainda apoio o presidente, tenho muitas afinidades políticas com ele.

Fogo e paixão

E o vereador Peixoto (PROS) que está vendo 30 empregos da Zona Franca sendo extinguidos e acha que a reação de alguns em defesa do amazonas a é “discurso de paixão”.

— É necessário um discurso com menos paixão para que possamos trazer um debate ponderado sobre o impacto do último decreto.

Acorda, Peixoto!

Vereador, acorde! Que “debate ponderado” coisa nenhuma. O Polo de Concentrados  acabou. Bolsonaro e Guedes ou Guedes e Bolsonaro zeraram o IPI e nenhuma fábrica de refrigerantes é maluca de continuar aqui.

Política não é futebol

E o vereador Mitoso (PTB), hein? Falou besteira. Pode entender de futebol, mas de política e memória histórica está longe. O parlamentar chegou a dizer que a culpa pelo situação da Zona Franca é de governos passados.

Eles quem, cara pálida?

Ao que se sabe, vereador Mitoso, nenhum governo passado, entre eles o de Lula, Dilma e até do  vampiresco Michel Temer,  reduziram ou zeraram o IPI para acabar com a ZFM.

Quem está ferrando com o economia do Estado, vereador, chama-se Jair  Bolsonaro, o ex-capitão expulso do Exército que o senhor apoia.

Memória curta

Mas à frente,  em seu discurso, Mitoso perguntou:

— Qual o legado que esses governos passados deixaram, para nós amazônidas?

Quanta falta de informação, hein seu Mitoso?  Aqui vai parte desse legado, Mitoso, para refrescar a sua memória. Existe muito mais.

Lula, Dilma e Omar, quando era governador

Falta memória: os presidentes  Lula e Dilma deixaram, sim, um legado ao Estado do Amazonas

Legado Lula

Prorrogação da Zona Franca por mais 50 anos (Lula), Gasoduto Coarí-Manaus (Lula), Luz para Todos,  (Lula).

Legado Dilma

Ponte sobre o Rio Negro (Dilma), Arena da Amazônia (Dilma),   50 mil casas do Residencial Viver Melhor, considerado o maior conjunto habitacional do rasil (Dilma).

Perguntar não ofende

O governo Jair Bolsonaro está acabando. E nesses quatro anos, qual o legado que ele deixa para  nós os amazônidas?

Mortes por fata de oxigênio, morte do Polo de Concentrados e morte da competitividade da Zona Franca de Manaus.

Paradóxo

O deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ) foi eleito vice-presidente da comissão de Segurança Pública e Combate ao Crime Organizado e será membro titular da CCJ (comissão de Constituição e Justiça), a mais importante da Casa. Por aí, dá para avaliar o nível dos parlamentares da Câmara dos deputados.

Até o Di Caprio

Leo nardo Di Caprio

Enquanto existem brasileiros que não estão nem aí para o futuro de seu país, estrangeiros famosos como o mundialmente conhecido ator Leonardo Di Caprio se preocupam com a democracia.

Heróis da democracia

Di Caprio usou sua conta no Twitter para mandar um recado para os jovens brasileiros tirarem seus títulos de eleitor. Prazo final é nesta quarta -feira (4).

— Obrigado aos heróis da democracia no Brasil que estão ajudando os jovens a se registrarem para votar. Saiba mais sobre como tirar o seu título online até o dia 4 de maio –, escreveu o astro de Hollywood sobre o registro online do Título de eleitor – escreveu o ator.

Mete a mãe no samba

"Elas cantam Samba" : quarteto homenageia as mães no Bar do Arnando

O Bar do Armando, no Largo de São Sebastião, promete sacudir a programação pelo Dia das Mães. Nesta quinta-feira, 05 de maio, coloca no palco o quarteto “Elas Cantam Samba”.

O show reúne as divas do samba baré, Márcia Siqueira Luciene Castro, Fátima Silva, Márcia Siqueira e Cláudia Trindade.

Estarrecedor

O candidato ao senado federal, Arthur Virgílio (PSDB-AM) qualificou como “estarrecedor” o governo Jair  Bolsonaro ter zerado o IPI para a indústria de concentrados. O tucano lembrou que o segmento fatura por ano, aproximadamente, R$ 9,5 bilhões e gera 7,3 mil empregos.

Arrumem as malas

Virgílio teme que  grandes empresas  como a Coca-Cola e Ambev podem arrumar suas malas e deixar a Z FM.

— A exemplo do que já ocorreu com a Pepsi, quando houve redução do IPI em anos

ÚLTIMA HORA

Lula destaca trabalho de Omar na CPI do Covid

Reconhecimento aconteceu durante evento de apoio formal do Solidariedade à sua candidatura a presidente, na sede da Força Sindical

Em evento na sede da Força Sindical, Lula enalteceu o trabalho de Omar Aziz na CPI da Covid

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que será lançado pré-candidato do PT à Presidência da República, recebeu nesta terça-feira (3/5) o apoio formal do Solidariedade, partido comandando pelo sindicalista e deputado federal Paulinho da Força (SP). A formalização ocorreu em um encontro no Palácio do Trabalhador, no bairro da Liberdade, em São Paulo. Além do o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin, candidato a vice.

Além de Lula e Alckmin, o evento reuniu políticos como os senadores Omar Aziz (PSD-AM) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP), o vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos, e Marília Arraes, que deixou o PT, se filiou ao partido e é a candidata do Solidariedade ao governo de Pernambuco.

Ao cumprimentar o senador do Amazonas,  o x-presidente disse que queria “saudar o companheiro Omar Aziz que fez um trabalho extraordinário na CPI da Covid desmoralizando o pessoal da área de Saúde do governo federal”.

ORGULHO

Quanto orgulho para nós da Amazônia

A artista plástica rondoniense Edina Costa (foto) foi convidada para participar do Salão Internacional de Arte Contemporânea do Museu do Louvre, em Paris, que acontecerá em outubro deste ano. Por meio da técnica artística realismo, as obras da Edina retratam a vida e as belezas da Amazônia. Cada obra leva em média 15 a 20 dias para ficarem prontas. São coloridas e lindas retratando olhares e expressões dos índios, além da fauna e da flora. Edina é de Guajará-Mirim, município que faz fronteira com a Bolívia, mas desde a infância vive em Nova-Mamoré.

VERGONHA

Mais uma decisão contrária

A deputada federal Carla Zambelli (armada) teve R$ 22.249,99 bloqueados de sua conta pela Justiça de São Paulo para indenizar Tom Zé e José Miguel Wisnik em uma ação por danos morais.  Em 2020 Zambelli  (PL-SP) usou a música Xiquexique, de Tom Zé e Wisnik, para fazer propaganda para o presidente Jair Bolsonaro (PL) em suas redes sociais. Ela já havia sido condenada em julho de 2021 pelo uso da música sem autorização. Na época do julgamento, Zambelli se defendeu dizendo que usou a música com intuito informativo e não como propaganda política. O desembargador Miguel Brandi rebateu os argumentos da deputada dizendo que a peça era uma série de cenas de aglomerações  e imagens de outdoor em apoio ao presidente e que contou com edição e produção profissionais.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.