Calendário

outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Dito & Feito – O pau que dá em Chico. Dá em Francisco!

O líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), foi um dos articuladores para impor a derrota ao governo na véspera, durante a votação do item que retirou da reforma da Previdência as mudanças no abono salarial.

 Ontem, Eduardo apostava todas as fichas que a votação de primeiro turno da reforma da Previdência seria concluída ainda na  quarta-feira, 2. Braga não descarta que a equipe econômica deve refazer as contas do projeto do novo pacto federativo após o Senado tirar mais R$ 74,6 bilhões da economia da reforma.

A ordem do ministro da Economia, Paulo Guedes, é compensar cada bilhão perdido na Previdência por meio do projeto que refaz a divisão dos recursos arrecadados entre União, Estados e municípios.

— Retaliação? Pau que dá em Chico dá em Francisco –, cutucou o líder do MDB.

Desidratação

Além disso, ele defendeu que os demais destaques, que podem desidratar ainda mais a economia fiscal da proposta, seriam rejeitados.

— Eu acho que o Brasil precisa terminar hoje a votação . Com as mudanças que foram feitas até agora, nós melhoramos muito o texto. Portanto, eu defendo que os atuais destaques sejam rejeitados –, disse Braga.

Mudança de humor

O líder do MDB, a maior bancada do Senado, Eduardo Braga não descartou mais surpresas.

— A mudança de humor está muito grande no plenário. O plenário não ia votar os destaques (ontem), resolveram votar. Quando perceberam que estava ficando tenso, suspenderam a sessão –, afirmou.

Usurparção de mandato

O deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) decidiu não assinar a  proposta de Lei Delegada apresentada pelo Governo do Estado à Assembleia Legislativa, porque ela representa  uma “usurpação do mandato dos deputados estaduais”.

Renunciar, jamais!

A Lei concede ao Executivo plenos poderes de legislar sobre a reforma administrativa.

— O meu voto eu não dou em favor de Lei Delegada, porque votar favorável à Lei Delegada significa dizer que eu estaria renunciando ao meu mandato e entregando-o ao Poder Executivo –  detonou Sarafa.

Babita do pré-sal

O líder do PSB na Casa Legislativa declarou que o governo estadual precisar ficar alerta para que essa estratégia de administração do estado não vire contra o Executivo.

— Todos os governadores e todos os prefeitos estão esperando a cessão onerosa do pré-sal. Serão cerca de R$ 30 bilhões divididos entre governadores e prefeitos, ou seja, R$ 15 bilhões para cada um.

Bancada no poder

Serafim explicou que os recursos do pré-sal, quando forem liberados, terão que ser aplicados por meio de emendas dos deputados federais.

—  No caso do Amazonas, os deputados são: Alberto Neto, Átila Lins, Bosco Saraiva, Delegado Pablo, José Ricardo, Marcelo Ramos, Sidney Leite e Silas Câmara.

Outro lado da moeda

Ele alertou que o governador Wilson Lima tem que ficar alerta.

Se ele não acordar, isto que ele está propondo fazer com os deputados estaduais,  amanhã os deputados federais farão com ele.

— Quer dizer, de repente, ele que está querendo nos fazer de subdeputados estaduais, vai ser transformado em um subgovernador subordinado a oito deputados federais –, concluiu Serafim.

“A porra da árvore”

O presidente Jair Bolsonaro não consegue ficar 24 horas sem soltar uma cobra ou um lagarto.

Esta semana, falando  com garimpeiros, na portaria do Palácio do Planalto, o presidente soltou mais uma. Uma, não, duas.

— O interesse na Amazônia não é no índio nem na porra da árvore. É no minério!

Raoní toma champagne

Logo após, o presidente teceu, novamente, críticas ao líder indígena Raoni Metuktire.

— O Raoni fala pela aldeia dele, fala como cidadão. Não fala por todos os índios, não. É outro que vive tomando champagne em outros países por aí, esse tal de Raoni aí –, declarou.

Durante quatro anos em que foi a única deputada, entre 24 marmanjos, a deputada estadual Alessandra Campelo (MDB) clamou pela ampliação das Delegacias Especializadas da Mulher no Amazonas.

Ontem, La Campelo festejou a inauguração duas novas unidades na capital.

Mimo

E aproveitou para fazer um mimo no governador Wilson Lima.

— Foi preciso o “novo”, representado pelo governador Wilson Lima (PSC), enxergar essa necessidade e inaugurar duas novas unidades na capital e avançar, também, na rede de proteção à mulher no interior.

BR-319, uma novela

 Ainda nem tem data para o reinicio da obras de recuperação da BR-319 e já começou a grita.

De acordo com a revista Exame, pesquisadores da Amazônia disseram que a estrada recapeada desencadearia uma explosão de desmatamento no Amazonas.

Atualmente, somos  o Estado com a floresta tropical mais bem preservada do país justamente por ter poucas estradas boas.

Para o ecologista norte-americano do Inpa, Philip Fearnside, uma rodovia até Manaus permitiria que agricultores de subsistência, especuladores agrários e madeireiros penetrassem nos confins da selva.

Fearnside  tem examinado o vínculo entre as estradas e o desmatamento.

Previsão para 2030

A pressão vem de todo lado.

Um estudo liderado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) estima que o projeto resultaria em um aumento de cinco vezes no desmatamento até 2030.

Coração de mãe

A torcedora do Nacional FC, Loslene Nogueira Cardoso, 50, está promovendo uma feijoada cuja renda será revertida para a compra de uma cadeira de roxas ara o filho,  Agenor Vieira Neto, 27.

Agenor teve complicações no seu nascimento e convive com graves dificuldades, principalmente para andar e falar.

Faça a sua parte

 A cadeira custa em torno de R$ 3 mil e a família não dispõe deste valor.

Quem se dispor a ajudar a essa boa causa é só participar da feijoada, sábado,  06, a partir das 12h, na Cidade Nova.

EM ALTA

Um artesão vem fazendo centenas de casinhas para abrigar cães abandonados, na garagem de sua casa, no Distrito Federal. Ubiratan Coelho, de 53 anos, é aposentado e mora no Recanto das Emas, cidade a 40 km do centro de Brasília. Ele conta que o projeto Amigos dos Animais começou em 2014. “Nesse tempo, Ubiratan já fez mais de mil casinhas.

EM BAIXA

Para uma prática pouco recomendável – para não dizer abominável –, da distribuidora Águas de Manaus que tem aparecido em algumas residências para trocar o contador de água, quebra a calçada, faz uma instalação mal feita ( boa parte delas com vazamento), e vai embora deixando a cratera aberta na calcada. Se usuário ligar para reclamar é informado que “no momento todas as equipes estão na rua”. Depois prometem mandar “alguém ai, hoje”. Mas ninguém aparece.

Deixe uma resposta