BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - Não aprendemos nada com a Copa 2014


Quem foi ao jogo Manaus F.C, X Curitiba, pela Copa do Brasil, sentiu na pele e no estresse que não aprendemos  nada com a Copa do Mundo de 2014, quando a capital do Amazonas sediou quatro jogos.

Com um público de quase 20 mil torcedores, a administração da Arena da Amazônia teve o desplante de abrir apenas um portão, provocando o maior empurra-empurra na entrada. Passando a grade, era a vez de entrar num fila quilométrica para comprar os ingresso e,  passo seguinte, enfrentar uma maior ainda para entrar no estádio.

A saída foi por ainda, porque ao contrário da entrada, todos querem sair de uma só vez. E aí a saída – com apenas um estreito vão aberto, virou um verdadeiro funil. Lamentável, vergonhoso.

Padrão Fifa

A pensar que, na Copa do Mundo de  2014, a própria Fifa, através de sua revista  “The Fifa Werkley” elogiou o caráter organizacional de Manaus, quando os quatro jogos contaram com um grande aparato montado pelos órgãos de segurança. A Operação Copa  2014 foi organizado e dividida em quatro em quatro ciclos: Planejamento, Estratégico, Tático e Operacional.

Foi um esquema impecável e nunca foi tão fácil, seguro e rápido ter acesso às arquibancadas, cadeiras e camarotes.

Não bate

Outra coisa que não bateu foram os números de público e renda.

Com uma ocupação da Arena considerada ótima,  o sistema o painel do placar eletrônico indicou que  17 mil torcedores estiveram na arena, mas contabilizou apenas 12 mil pagantes, com renda de R$ 280 mil.

O povo quer saber

Então, quer dizer, que 5 mil pessoas entraram de graça?

Respostas para a redação.

Penumbra

Outra coisa estranha: em determinado momento do jogo alguns refletores se apagaram, deixando manchas de sombras escuras  no chão.

Durante o restante da partida, os torcedores passaram a manter um olho na bola e outro na iluminação. Mas as luzes não acenderam mais.

Cadê a carteirinha?

Enquanto isso, as bilheterias da Arena decidiram  vender ingresso no sistema de meia entrada, sem exigir a carteirinha de estudante ou de idoso.

E aí, no acesso a moça da catraca cobrava:

— Cadê a carteirinha? Sem carteirinha tem que pagar inteira. Ou não entra!

Quem não tinha iniciava um bate boca e forçava a barra para entrar, travando a movimentação da fila e criando um gargalo na entrada.

O bicho vai pegar

A deputada Joana Darc (PL)  soltou os cachorros contra quem explora animais em espetáculos.

Criou o  Projeto de Lei n.° 388/2019  proibindo a manutenção de animais domésticos, silvestres, selvagens, exóticos e nativos em circos ou espetáculos similares.

Luta antiga

Na verdade, La Darc não é a primeira.

Projeto de Lei semelhante, aprovado na Assembleia Legislativa do estado do Rio de Janeiro em 2005, de  autoria da então deputada Angela Guadagnin, proíbe a utilização de animais em espetáculos circenses ou de qualquer natureza.

Aliás, a Lei de Guadagnin, vai mais além.

Proíbe a entrada no Brasil de companhia circense ou similar estrangeira, caso tenha animais incluídos em suas apresentações.

Crueldade

Mas, como o que é bom não abunda,  a “defensora dos animais” está certa em acabar com os maus tratos desses animais.

Existe um sem número de registros de maus tratos, abusos e crueldades praticadas, tanto na manutenção dos animais de circo.

Principalmente no próprio processo de treinamento, para forçá-los a posturas, movimentos e manifestações absolutamente antinaturais, dolorosas e de risco.

Para com isso!

De acordo com a deputada amazonense, esta é uma tendência mundial e já existe uma discussão no Congresso Nacional para que seja proibido em todo o país.

— Temos vários Estados com essa lei e precisávamos disso no Amazonas, para que parem de explorar e usar de uma vez por todas os animais em circos –,  dispara La Darc.

Liga da Justiça

A exemplo da Liga da Justiça, no fantasioso mundo das HQs, o deputado Saullo Vianna, aprovou na Aleam o Projeto de Resolução Legislativa que cria a Frente Parlamentar em Defesa da Zona Franca de Manaus (ZFM).

O projeto, que recebeu o n.º 45/2019, foi aprovado pela Assembleia Legislativa durante votação nesta quarta-feira (12).

Para o alto e avante

De acordo com Saullo, a proposta surgiu da necessidade de unir forças junto aos deputados federais e senadores do Amazonas para ampliar ações que blindem a Zona Franca de Manaus dos constantes ataques feitos pela equipe econômica do Governo Federal.

—  Desde o ano passado o ministro Paulo Guedes tenta inviabilizar por meio de diversas manobras a manutenção dos incentivos fiscais do PIM –, reclama o deputado.

Heróis da resistência

Aliás, há 42 anos nossos heróis do parlamento e do governo não fazem outra coisa a não ser “salvar a Zona Franca”.

Vamos em frente

'Pra Frente, Manaus'  é um projeto do deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD) que visa montar um  planejamento com soluções viáveis para a cidade em temas como saúde, educação, trânsito, mobilidade urbana e segurança pública.

A ideia de Nicolau é  envolver a população, técnicos de diferentes áreas e a classe política numa ampla discussão participativa.

Pé no chão

Ao apresentar o projeto, Nicolau alfinetou que os políticos tradicionais costumam iniciar o ano eleitoral com acordos partidários e esquecem de, primeiramente, discutir um projeto viável e ‘pé no chão’ com a população.

— Por isso, quero contribuir para esse processo eleitoral que se avizinha”, declarou –, advertiu.

EM ALTA

Para a façanha da classificação do Manaus F.C. na Copa do  Brasil.  Mesmo com limitações técnicas e físicas, o time amazonense ganhou o jogo contra o Curitiba com muita na raça e força de vontade. Pela classificação,  faturou   R$ 1,2 milhão. A torcida também está de parabéns, por fazer a sua parte.

EM BAIXA

Hyalina Lins Farias, de 21 anos, é ex-miss Acre e está no meio de uma polêmica nas redes sociais. A moça foi aprovada na segunda chamada do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) para o curso de medicina na Universidade Federal do Acre (Ufac). O problema é que Hyalina teria passado em uma vaga destinada a deficiente, cujos critérios são ter renda familiar igual ou inferior a 1,5 salário mínimo e ter cursado o ensino médio em escolas públicas. Porém, os internautas ressaltam que, como mostram fotos nas redes sociais, a ex-miss não tem deficiência e possui uma vida de luxo.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.