BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - NADA COMO UM DIA ATRÁS DO OUTRO - Políticos do Amazonas esquecem a “punhalada do impeachment” e voltam a abraçar Lula



Ao perceber que Lula pode ganhar a eleição, muito político do Amazonas está entrando na fila do “beija mão” para se reaproximar do ex-presidente Lula, passando uma borracha no passado, quando eles pagaram com a ingratidão a quem sempre lhe deu a mão (desculpe, Beth Carvalho!).

Todos eles que foram bem tratados no governo Lula e Dilma, traíram o PT e votaram ao favor do impeachment da presidente, em 2016. Entre esse políticos que chegaram inclusive a ser ministros nos governos petistas mandaram Dilma pra Guilhotina, entre eles o senador Eduardo Braga (MDB-AM), que foi ministro das Minas e Energia: e  Alfredo Nascimento, que assumiu a pasta dos Transportes nos dois governos.

O senador Omar Aziz (PSD-AM)recebeu tratamento vip de Dilma quando foi governador do Amazonas. Na transição do governo de Eduardo para o dele, Dilma concluiu a Arena do Amazônia, a Ponte sobre o Rio Negro (Phellippe Daou), o gasoduto Coari/Manaus e milhares de casas do programa Minha Casa Minha Vida. Para se ter uma ideia da prioridade que a presidente dava ao Amazonas, em 2013, Omar Aziz já tinha entregue quase 8 mil moradias às famílias de baixa renda, beneficiando mais de 30 mil. Até o fim de sua gestão, Omar entregaria 25 mil casas, contemplando mais de 90 mil pessoas.

Bons tempos

Em 2014, a própria   Dilma Rousseff veio a Manaus entregar 5.384 unidades habitacionais do conjunto habitacional 'Viver Melhor', do programa 'Minha Casa, Minha Vida', localizado na Zona Norte de Manaus.

Durante a cerimônia, a presidente anunciou ainda investimentos na ordem de R$ 419,6 milhões em mobilidade urbana na capital, de verbas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) 2.

Sorriso amarelo

De nada adiantou tudo que os governos do PT direcionaram ao Amazonas. Tanto Eduardo Braga, quanto Alfredo Nascimento e Omar Aziz, além da toda a bancada na Câmara dos deputados votaram a favor do impeachment de Dilma. Agora, estão abraçando Lula com um sorriso, digamos assim, “meio que amarelo”, não é não?

Lembra de mim?

Como o mundo é redondo e dá muitas votas e o vento sempre muda de direção tanto Omar já anunciou que é Lula “desde pequenininho” e Eduardo Braga, que fez bilu-bilu para Bolsonaro até poucos dias, já foi lá dizer ao ex-presidente que “Lula é meu amigo, mexeu com ele, mexeu comigo!”

Caiu a máscara

Alfredo, que já foi cabo da Aeronáutica, se reencontrou na vida. Lembrou que é de extrema direita, aplaudia a ditadura militar, detesta o pessoa da esquerda e, por isso mesmo nada tinha a ver com o PT. É Bolsonaro roxo. Digo, verde e amarelo.

Perguntar não ofende

E que foi mesmo que Jair Bolsonaro, que é quase unanimidade em nosso estado,  deu ao Amazonas, hein?

Solução para ZFM

A Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) e Procuradoria Geral do Estado (PGE-AM) se reuniram com técnicos do Governo de São Paulo, nesta quarta-feira (14/03).

Na pauta a elaboração de propostas para resolver o impasse quanto à validade dos créditos do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) que as empresas paulistas usufruem quando adquirem produtos da Zona Franca de Manaus (ZFM).

Pressão paulista

No mês passado, o Governo de São Paulo, através da Câmara Superior do Tribunal de Impostos e Taxas (TIT), decidiu em esfera administrativa que o Estado não irá reconhecer os créditos de ICMS que as empresas obtêm ao adquirir da ZFM.

Ingratidão: Dilma tratou o governo de Omar com dignidade e um certo "carinho"

Golpe fatal

A medida, que poderá resultar na cobrança do imposto pelo fisco paulista, contraria a legislação que beneficia a Zona Franca de Manaus.

O artigo 15 da Lei Complementar n⁰ 24, de 1975, excetua o modelo da necessidade de autorização de concessão de crédito de ICMS pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz).

Bancada das macumba

No Amazonas, as religiões de matriz africana não têm uma bancada representativa na Assembleia Legislativa (Aleam) nem na Câmara Municipal de Manaus (CMM). A cobrança é do representante de terreiros no Amazonas, Alberto Jorge.

Pai Alberto quer debater a possibilidade de uma "bancada da macumba" 

Isolados da política

Coordenador geral da Articulação Amazônica dos Povos e Comunidades Tradicionais de Terreiro de Matriz Africana (Aratrama), Alberto Jorge, afirma que a falta de uma “bancada da macumba” dificulta o acesso do segmento a políticas públicas.

— Há uma falta de consciência, de participação e até de pertencimento. Isso é muito ruim para nós, porque na realidade nós ficamos fora do parlamento.

Voto não falta

Para ele, religiões de matriz africana têm força para eleger dois vereadores ou um deputado estadual.
— Seguramente, pelos estudos de pesquisadores da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), o nosso segmento teria condições de ter pelo menos dois vereadores ou de eleger um deputado estadual –, pontuou.

Candidatos dos terreiros

Já que existe tanta segurança por parte da Aratrama, por que, então, não metem a cara e lançam candidatos formados nos terreiros de macumba?

Combustível verde

A Vibra Energia expandiu sua parceria com a Brasil BioFuels (BBF) em um projeto de biocombustíveis avançados no Norte do Brasil, que agora terá a palma plantada em Roraima como matéria-prima para a produção de combustível sustentável de aviação, além do chamado diesel verde.

Palma de Roraima

A cidade de São João da Baliza (RR), de clima equatorial e ideal para o cultivo da palma, foi a escolhida para este novo passo da Vibra, maior distribuidora de combustíveis do Brasil, na construção de uma plataforma múltipla de energia que incluiu fontes renováveis.

Produção em Manaus

Roraima fornecerá o óleo de palma diretamente para a biorrefinaria da BBF em Manaus, com operação prevista para 2025.

Menos poluente

O  CEO da Vibra, Wilson Ferreira Júnior, ressaltou a importância de a companhia ofertar diferentes combustíveis em meio à transição energética, que demanda produtos menos poluentes.

Morando com o perigo

O deputado Dermilson Chagas (Republicanos) cobrou da tribuna da Assembleia Legislativa, que o Governo do Estado pague o auxílio-aluguel aos moradores das dez comunidades localizadas nas proximidades da usina hidrelétrica de Balbina, no município de Presidente Figueiredo, que estão vivendo perigosamente.

Foto: Márcio James

Tragédia anunciada

A barragem está com risco de ser rompida, devido à pressão das águas represadas causadas pela elevação do rio Uatumã.

— Para evitar essa tragédia, a empresa que administra a hidrelétrica quer liberar comportas extras, o que causará o alagamento de dez comunidades, dentre elas a do Ramal da Morena – relatou o deputado..

Agora vai

A Companhia de Gás do Amazonas (Cigás) investirá mais de R$ 34 milhões na expansão da Rede de Distribuição de Gás Natural (RDGN) no estado, em 2022.

A medida representa um novo passo no sentido de fortalecer o ambiente de negócios para o gás natural no Amazonas.

Gasoduto

Concessionária de distribuição e comercialização de gás natural, a Cigás planeja, com os investimentos, a construção de 38,6 quilômetros de malha de gasodutos em Manaus.

As obras estão previstas para acontecer em bairros de diferentes zonas da cidade, em especial das zonas leste e norte, as duas mais populosas da capital amazonense.

Investimentos

Desde o início de sua operação (em 2010) até o ano passado, a Companhia totaliza R$ 642 milhões de investimentos, em valores corrigidos, no mercado de gás natural no Amazonas. A rede de distribuição de gás natural conta hoje com 182 quilômetros de extensão.

ÚLTIMA HORA

HIPERTENSÃO OU HIPERTESÃO? — Bolsonaro minimiza a compra de Viagra pelas Forças Armadas. “Isso é nada!”

A compra de Viagra pelas Forças Armadas foi tema de almoço do presidente Jair Bolsonaro com pastores das igrejas evangélicas, ocorrido nesta quarta-feira, no Palácio do Planalto.

Durante o encontro, o presidente tratou de minimizar a aquisição do medicamento, autorizada pelo Ministério da Defesa.

— As Forças Armadas compram Viagra para combater a hipertensão arterial e, também, as doenças reumatológicas. Foram trinta e poucos mil comprimidos para o Exército, 10 mil para a Marinha e eu não peguei da Aeronáutica, mas deve perfazer o valor de 50 mil comprimidos. Com todo o respeito, isso é nada…Obviamente, muito mais usado pelos inativos e pensionistas – afirmoui Jair.

A compra de Viagra pelas Forças Armadas entrou na pauta de um almoço entre o presidente Jair Bolsonaro e pastores das igrejas evangélicas, nesta quarta-feira, no Palácio do Planalto. Durante o encontr...

ORGULHO

Com uma vitória de 5 a 1 contra a Argentina, a seleção brasileira conquistou o bicampeonato mundial de futsal Down neste domingo em Lima, no Peru. O título foi muito comemorado pelo time, comandado pelo técnico Cleiton Monteiro, que se mostrou bastante motivado para as próximas disputas.

—Estou bastante contente, trabalhamos muito para conquistar os dois Mundiais –, disse. O título invicto veio após cinco vitórias em cinco jogos. Julio Silva acabou a competição como artilheiro, com 21 gols. O Brasil teve o melhor ataque (51 gols feitos) e a melhor defesa (4 gols sofridos). Neste Mundial, o Brasil venceu Uruguai, Chile e Turquia, na fase de grupos, Portugal, na semi, e a Argentina, na final.

VERGONHA

Ovos de Páscoa a preço de “ouro”. O produto está até 40% mais caro em São Paulo em relação aos preços de 2021, de acordo com pesquisa feita pela Associação Paulista de Supermercados (Apas). O aumento dos preços é um reflexo da inflação, no caso do chocolate, a elevação do valor do cacau fez crescer os custos operacionais do produto que tem o fruto como matéria-prima, sendo essa uma consequência do reajuste dos combustíveis. Diante do cenário, quem ganha destaque são as opções menores e mais baratas como os ovos de 250 gramas e as barras de chocolate e bombons.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.