Calendário

novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Dito & Feito – Marcelo Ramos volta ao protagonismo

O deputado federal Marcelo Ramos (PR-AM) assinou a redação final do PDL que aprovou o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas para utilização da Base de Alcântara.

Ramos foi relator de plenário da matéria a pedido da bancada de deputados do Maranhão.

—  Agradeço a confiança dos meus colegas e a chance de escrever mais essa página da história do país –, destacou o parlamentar amazonense.

A Câmara dos Deputados aprovou no final na noite de terça-feira (22), por 329 a 86 votos, o acordo que entrega aos Estados Unidos a base estratégica de lançamentos de foguete de Alcântara, no Maranhão, mediante pagamento de aluguel de US$ 10 bilhões anuais, o equivalente a R$ 40 bilhões. O texto do acordo, imposto pelos EUA e aceito pelo governo Jair Bolsonaro (PSL) e agora também pela Câmara, interfere na soberania nacional e traz várias restrições ao Brasil.

Quem manda aqui

Entre elas, a  proibição de o país lançar seus próprios satélites a partir da base e a de usar o dinheiro do aluguel para compra, pesquisa ou produção de foguetes de longo alcance, necessários para colocar os satélites em órbita.

Anos rebeldes

Num passado não muito distante, quando se assumia como um político de esquerda,  Marcelo Ramos estaria protestando  contra a entrega de uma patrimônio brasileiro ao Tio Sam.

Se aliançou

E com certeza o “velho” Marcelo que se aliançou, iria denunciar a quebra da soberania brasileira e ataque a comunidades quilombolas.

É o que vem fazendo a  oposição ao governo de Jair Bolsonaro,  denunciando que o acordo de salvaguardas agride a soberania nacional e ignora o direito de comunidades quilombolas estabelecidas no local. 

Já vimos esse filme

Isto porque, para  construir o Centro de Lançamento de Alcântara, o regime militar removeu centenas de quilombolas de seus territórios.

— Essa violência pode se repetir se o Acordo de Salvaguardas Tecnológicas entre Brasil e EUA que está sendo votado hoje for aprovado –, alertou o deputado Marcelo Ferixo (PSOL) sobre o assunto. 

Escolhi Manaus…

O governador do Amazonas, Wilson Lima, parabenizou Manaus pelos 350 anos, comemorados nesta quinta-feira (24/10), e destacou os investimentos, da ordem de R$ 500 milhões, que estão sendo feitos em obras que vão facilitar a mobilidade urbana na capital.

…e Manaus me escolheu!

Wilson disse que escolheu Manaus para viver e Manaus também o escolheu para governar esse estado.

— Nós estamos trabalhando para construir um Amazonas melhor e isso, claro, inclui a capital –, afirmou o governador.

É Flu ou Fla?

Quem conhece o senador Eduardo Braga (MDB) sabe que ele é torcedor do Fluminense, embora seu pai seja botafoguense roxo.

No entanto, o senador pegou carona no massacre do Flamengo sobre o Grêmio (5X0) elogiando o rubro negro em suas redes sociais.

—  Merece nossas felicitações. Agora o Flamengo é o Brasil na liberta – disse Braga.

Milagre dos peixes

Quem estará em Manaus nesta sexta-feira, 25, é o deputado federal Silas Câmara (PRB).

Ele participará do primeiro encontro de pescadores do Amazonas, que deve reunir 300 pessoas ligadas ao setor pesqueiro.

Seguro defeso

De acordo com o líder da bancada evangélica, o encontro com esses profissionais é a oportunidade para esclarecer pontos importantes como o seguro defeso e outros benefícios.

— Por isso fiz questão de convidar o secretário para vir à Manaus conversar com os nossos pescadores – afirmou Silas.

BR-319, uma novela

O deputado federal Sidney Leite (PSD) disparou farpas à falta de compromisso do governo federal em relação à revitalização da BR-319.

— O governo federal precisa entender que a BR-319 é estratégica para o país, pois interliga o Pacífico ao Atlântico, tornando-se uma importante via de expansão econômica para o desenvolvimento regional. E sua pavimentação é urgente –, afirmou.

Tem dinheiro…

O parlamentar aprovou emenda na Comissão de Integração Nacional para ser inserida na Lei Orçamentária 2020, em que disponibiliza recursos para que a recuperação desta estrada federal saia do papel.

Boca na botija

O ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro, o policial Fabrício Queiroz, anda desaparecido, mas continua tendo influência na política nacional.

 Em áudio obtido pelo jornal O Globo, o “laranja” sugere a um interlocutor como proceder para fazer indicações políticas em gabinetes de parlamentares.

500 cargos

Queiroz garante na gravação que “Tem mais de 500 cargos, cara, lá na Câmara e no Senado”.

— Pode indicar para qualquer comissão ou, alguma coisa, sem vincular a eles (família Bolsonaro) em nada –, diz Queiroz.

Pra cacete!

Em determinado momento do áudio que vazou, Queiroz complementa quanto pretende ganhar com a indicação:

—  20 continho aí para gente caía bem pra c**.

No gabinete faz fila

Na conversa, Queiroz descreve o gabinete de Flávio no Senado como um lugar muito demandado por parlamentares.

— O gabinete do Flávio faz fila de deputados e senadores, pessoal para conversar com ele, faz fila. Só chegar lá e nomeia fulano aí para trabalhar contigo aí, salariozinho bom desse aí para a gente que é pai de família, cai como uma uva — diz o ex-assessor.

Desconversou

Em Pequim, o presidente Jair Bolsonaro declarou, após jantar com empresários brasileiros, que não ouviu o áudio em que Fabrício Queiróz,  aparece discutindo cargos no Congresso.

— Eu não sei dessa informação. Por favor, por favor. O (Fabrício) Queiroz cuida da vida dele, eu cuido da minha –, se limitou a dizer o presidente a jornalistas. Pressionado pela imprensa, depois questionou:

— Ele falou que está negociando cargo, é isso”.

EM  ALTA

Uma tradição antiga está de volta à Grã-Bretanha: deixar garrafas de vidro vazias na porta de casa para  reutilizadas e trocadas por outras com leite. O descontentamento da população em relação à poluição, causada pelo plástico, fez com que disparassem as inscrições para receber o leite em garrafas de vidro, como no passado. A onda começou desde que os britânicos assistiram à série Blue Planet II da BBC, cujo último episódio trata da poluição dos oceanos.

Várias empresas que comercializam leite em garrafas de vidro, como a Milk&More, ganharam mais clientes.

EM BAIXA

Líder do PSL na Câmara e filho do presidente Jair Bolsonaro, o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) chamou a CPMI da Fake News de “esculhambação” em postagem de ontgem em seu Twitter. Muito bom! Essa CPMI é uma esculhambação. Então o que devemos fazer? Memes!”, escreveu Eduardo, referindo-se ao vídeo em que Hang, que é dono da rede Havan, ironiza a sua convocação para a CPMI e mostra dois bonecos dizendo que levará também os “robôs que ajudaram a disseminar as fake news”,

Deixe uma resposta