BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - Índio cuidando de índio para expulsar coronavírus da floresta


Os índios do Amazonas não estão mais sozinhos na luta contra o coronavírus. A Prefeitura de Manaus irá contratar, pela primeira vez, profissionais indígenas  de saúde, exclusivos, para o atendimento às comunidades indígenas da área urbana da cidade. Agora é Índio cuidado de índio.

O Edital de Chamamento Emergencial nº 003/2020, publicado no Diário Oficial do Município (DOM) desta quarta-feira, 19/8, abre seis vagas para Agente Indígena de Saúde (AIS) em reforço ao enfrentamento do novo coronavírus entre os povos indígenas que vivem nas zonas Norte, Oeste e Leste. A contratação está prevista no Plano Municipal de Enfrentamento à Covid-19.

— Não vamos medir esforços para a proteção dos povos indígenas, com quem temos dívida histórica e que ainda temos muito a aprender sobre a defesa e proteção da Amazônia –, disse o prefeito Arthur Virgílio (PSDB).

Defensor da floresta

O prefeito lembrou que durante o pico da pandemia da Covid-19, Manaus fez o atendimento prioritário aos povos tradicionais e etnias afetadas por esse vírus que ameaça uma herança de séculos de história.

— Enquanto prefeito e defensor da floresta e seus protetores, minha determinação é de que seja contínua toda a assistência necessária a eles –, disse Virgílio.

O único

Plínio Valério (PSDB) foi o único senador da bancada do Amazonas no Senado a votar contra o reajuste de salários dos servidores das áreas de saúde e segurança.

Fechado com Bolsonaro

Quer dizer, o tucano de Eirunepé votou “fechadinho” com o presidente Jair Bolsonaro.

—Se votasse pela derrubada do veto estaria prejudicando outras categorias – disse Valério, argumentando que  a derrubada do veto vai implicar no aumento  de R$ 98 bilhões a R$ 132 bilhões aos cofres do governo – tentou explicar Plínio.

Escafederam-se

Os outros dois senadores– Omar Aziz (PSD) e Eduardo Braga (MDB) –, não deram o are de sua graça à votação. A votação foi mais uma derrota imposta ao presidente Bolsonaro.

Espelho meu, quem é...

O pré-candidato a prefeito de Manaus, coronel Alfredo Menezes (Patriota) e o outro pré-candidato, deputado federal Alberto Neto (Republicanos), estão brigando para provar quem é mais direitista dos dois e que,é quem “idolatra mais o capitão Bolsonaro”.

...Mais direitista do que eu?

Menezes já avisou que não quer nenhum aproximação com Alberto Neto. E explica porque:

— Essa direita não é a minha direita. A direita do Alberto Neto é a direita do Silas Câmara (deputado federal do Republicanos e líder da bancada evangélica) .

Amor à bandeira

Já Alberto Neto já adiantou qual será sua plataforma que, claro não poderia ser mais parecida com a plataforma que elegeu Bolsonaro:

—  Quero resgatar valores na educação, trazer para o município as escolas militares onde o aluno vai respeitar o professor, aprender a amar a sua bandeira e seu país.

Então, tá!

Manaus pode estar precisando de saneamento básico, casas populares, mobilidade urbana, segurança, mas...o capitão Alberto Neto está preocupado mesmo é em resgatar o amor à Pátria e à Bandeira.

Então, tá!

Lei Aldir Blanc

O governo federal regulamentou a Lei nº 14.017 – conhecida como Lei Aldir Blanc -, que dispõe sobre ações emergenciais destinadas ao setor cultural e vai repassar R$ 3 bilhões para estados e municípios.

Para os artistas

O Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa, ficará responsável pela renda emergencial aos trabalhadores da cultura e pela elaboração e publicação de editais, chamadas públicas e outros instrumentos convocatórios.

A renda emergencial terá valor de R$ 600 mensais, em três parcelas sucessivas. O Governo do Estado terá direito a R$ 38.145.611,98 do repasse.

Abusada

No estilo "você sabe com quem está falando?", uma mulher aparece intimidando os funcionários de um quiosque na Zona Sul do Rio e declara:

— Vocês não são nada perto de mim.

O incidente teria acontecido no Leblon, num sábado, mas não há mais detalhes.

Apenas poderosa

Nas imagens, que parecem ter sido feitas por um dos funcionários ofendidos, a mulher parece alterada. Ela aponta para as pessoas do lado de dentro do quiosque e faz ameaças.

— Vocês mexeram com a mulher errada. Eu sou filha de homem poderoso.

“Sou filha de juiz”

Um rapaz, então, responde as ofensas e ela chega a avançar sobre ele, quando é contida por um homem que a acompanhava. Ele a leva em direção a um carro preto, que estava parado na rua, enquanto ela continua gritando:

— Sou filha de juíz, de gente poderosa.

Esqueceram de mim

A revista Carta Capital pública que uma pesquisa conduzida pela Escola Médica da Universidade Harvard (EUA) mostra que crianças podem ser muito mais contagiosas do que adultos, inclusive aqueles em quadro severo da doença.

Os pesquisadores concluíram que o potencial de disseminação do novo coronavírus pelas crianças foi largamente subestimado nos últimos cinco meses da pandemia.

Volta às aulas

Os responsáveis pela pesquisa apontam para o risco de as crianças retornarem às atividades escolares com os resultados. Os pesquisadores questionam se a reabertura de escolas, mesmo com protocolos sanitários rigorosos, vale o risco para alunos, famílias e educadores.

Sabe o que diz

O artigo, submetido ao periódico científico Journal of Pediatrics nesta quinta-feira 20, foi escrito por pesquisadores do Hospital Geral de Massachusetts, que integra a Escola Médica de Harvard.

Ingresso livre

A Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas  aprovou por unanimidade o projeto de lei que proíbe a cobrança de mais de um ingresso para pessoas com deficiência, mobilidade reduzida ou necessidade especial em eventos esportivos, de lazer e entretenimento.

Um direito de todos

A grande sacada é do  deputado estadual João Luiz (Republicanos). Ao defender a proposta, o deputado garantiu que  projeto irá garantir qualquer pessoa com necessidade especial tenha acesso ao entretenimento e cultura o mesmo valor que qualquer outro cidadão.

— Na mesma esteira do Amazonas, outros estados brasileiros, como a Bahia, estão discutindo projetos de lei neste sentido. Nós, como parlamentares, temos a obrigação de assegurar direitos aos cidadãos com necessidades especiais, com vistas a implementar o princípio da igualdade —, advertiu JL.

Dinheiro na mão

R$ 254,4 bilhões. É quanto custou o  auxílio emergencial – medida econômica criada para aliviar os impactos da pandemia do novo coronavírus. Esse total foi entregue para 67 milhões de pessoas em todo Brasil.

Causa e efeito

O valor equivale a quase um terço da população de todo país. Tá explicado, então, porque a índice de aceitação do governo Bolsonaro teve um ligeiro aumento.

Quem sacou

O dinheiro foi sacado em parcelas de R$ 600 reais para trabalhadores informais, desempregados e microempreendedores individuais (MEIs), trabalhadores que mais tiveram prejuízo com a paralisação da atividade econômica e o isolamento social.

ÚLTIMA HORA

Após se esquivar de dar detalhes sobre o caso de sua obra destruída para o "Conversa com o Bial", Romero Britto, através de um comunicado, deu sua versão sobre o acontecimento. O artista afirmou que repudia atitudes similares e que nunca presenciou tamanho desrespeito contra ele em toda sua carreira de artista. Ele confirmou, porém, a versão da dona do restaurante de que ele teria pedido desconto e que havia pedido para abaixar o volume do som do estabelecimento. Contudo, Romero diz que as solicitações foram feitas com educação e em tom de brincadeira.

Na semana passada, um vídeo de 2017 mostrando uma mulher quebrando uma de suas obras viralizou nas redes. Desde então, o artista vem sendo criticado por algumas pessoas e tem recebido o apoio de outras. A obra danificada, uma maçã estilizada, teria custo estimado em R$ 26 mil. No trecho, a venezuelana, dona de um restaurante vizinho à galeria do brasileiro, explica o motivo de ter quebrado o presente que ganhou de aniversário do marido.

ORGULHO

Morador de Belém, no Pará, Alessandro Medeiros, de 25 anos, era auxiliar de cozinha e perdeu o emprego há 5 meses. Com a chegada da pandemia, o restaurante no qual ele trabalha fechou as portas. A história de dificuldade financeira da família ficou conhecida depois que ele postou uma foto com a filha Rayna Vitória de 4 anos. Como a mulher dele trabalha em um supermercado – a única renda fixa da casa – Alessandro não tinha com quem deixar a criança, que teve as aulas suspensas, por isso ele levava a filha enquanto fazia bicos entregando comida. A imagem de pai e filha na bike viralizou e a família vem recebendo doações. A vaquinha bateu R$ 36 mil.

A vaquinha do VooA arrecadou R$ 36, 200 até o fechamento desta matéria – 91% da meta. O dinheiro será usado para manter a família e reformar a casa onde eles moram. Alessandro também tem recebido propostas de emprego.

VERGONHA

Jornalistas de Tv que entram ao vivo em telejornais, estão apavorados com o aumento de casos de “papagaios de pirata” agressivos que interrompem o trabalho com o único objetivo de querer aparecer.

A repórter Sabina Simonato passou por um susto ao vivo no “SPTV” desta quinta-feira (20). Um homem – que usava uma máscara escrito Doria, governador de São Paulo, junto com um emoji de fezes – interrompeu a jornalista que falava sobre os problemas relacionados a reabertura do comércio em São Paulo devido a pandemia do coronavírus. Primeiro, o homem apareceu atrás da jornalista mostrando sua máscara, mas quando ele percebeu que o repórter cinematográfico está o tirando de cena ele começou a gritar: “Doria lixo”. Sabina Simonato tentou falar mais alto, mas acabou se desconcentrando e interrompendo sua participação ao vivo. Do estúdio do “SPTV”, César Tralli lamentou o acontecido.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.