BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - Governo Bolsonaro volta atrás e Zona Franca escapa mais uma vez


O governo federal votou atrás e poucas horas depois de sancionar a Lei 14.183/2021, que eliminaria a isenção fiscal para combustíveis importados destinados à Zona Franca de Manaus, a Presidência da República “reeditou” a publicação no Diário Oficial da União, com veto a um dos artigos. A confusão se deu nesta quinta (15) na sanção da MP 1034. O recuo foi resultado da pressão da bancada do Amazonas no Senado Federal. O líder do governo, senador Fernando Bezerra (MDB/PE), havia se comprometido com o veto, que inicialmente não saiu, provocando indignação nos parlamentares.  A inclusão do artigo, agora vetado, foi uma iniciativa da Receita Federal e do Ministério da Economia. Em linhas gerais, o dispositivo vetado retirava a isenção tributária da venda de petróleo, lubrificantes ou combustíveis líquidos ou gasosos derivados de petróleo para o Amazonas.

Braga pressionou

Na votação da MP 1034, em 22 de junho, o senador Eduardo Braga (MDB/AM), com apoio da bancada do Amazonas, articulava uma tentativa de impugnação do fim da isenção para a Zona Franca de Manaus. Braga  recuou com a informação de Bezerra que não haveria necessidade de discutir o tema e o artigo seria vetado.

Fruto de luta

De acordo com o líder do MDB, isso significa dizer que a indústria não terá aumento de custo em função da perda dos benefícios fiscais da Zona Franca para esses derivados de petróleo.

— Portanto, amigos, uma vitória. Fruto de uma luta, de uma dedicação e do compromisso que o governo assumiu conosco de não quebrar os direitos da ZFM –, festejou Eduardo.

Dá um tempo, Jair

Nem doente o presidente Jair Bolsonaro consegue ficar quieto. Ou esquecer o PT.

Assim que foi internado no hospital  Vila Nova Star, em São Paulo, para tratar uma obstrução intestinal com obstrução intestinal, o presidente  usou o problema para tentar lucrar politicamente.

Ele tuitou que o novo "desafio" é “consequência da tentativa de assassinato promovida por antigo filiado ao PSOL, braço esquerdo do PT, para impedir a vitória de milhões de brasileiros que queriam mudanças para o Brasil”.

Presidente publicou foto caminhando pelo hospital 

O presidente da CPI da Covid-19, Omar Aziz (PSD-AM), também foi alvo de Bolsonaro. Nesta quinta (15), algumas mensagens foram publicadas na conta do Twitter do presidente, uma delas com críticas aos senadores da CPI da Covid.

“O que frustra o G-7 é não encontrar um só indício de corrupção em meu Governo. No caso atual querem nos acusar de corrupção onde nada foi comprado, ou um só real foi pago. – No circo da CPI Renan, Omar e Saltitante (como ele trata o senador Randolfe)  estão mais para três otários que três patetas” – escreveu Jair.

Coisa de “moleque”

Mas Aziz rebateu as críticas publicadas no perfil do Twitter do presidente. Para o senador, não se trata de Bolsonaro, mas de “um moleque, que não tem coragem de mostrar o que é de verdade, que fica assacando quem o contraria”.

A vida vai ensinar

O presidente da CPI disse que se ele tivesse tido uma boa criação, talvez hoje “tivesse a coragem esperada de um homem”.

— Mas ainda vai crescer muito e levar uns cascudo da vida. Presidente, quero o senhor com saúde para enfrentá-lo no bom debate, com dignidade, sem apelação. É como fazem grandes homens.

O parlamentar ainda desejou saúde ao mandatário “para enfrentá-lo no bom debate, com dignidade, sem apelação.

Acredite se quiser

Existe mais mistério na cultura indígena do que possa imaginar nossa vã filosofia. No dia 24 de junho deste ano, em um protestos contra a destruição ambiental sem precedentes na história do Brasil provocada pelo governo Bolsonaro  a legislação destruidora de terras indígenas, índios fizeram uma pajelança  onde pediram ‘Bolsonaro amarrado no cipó’.

As manifestações  indígenas contra o governo Bolsonaro foram realizado em Campinas (SP).

Pajelança

A pajelança é um ritual de cura realizado pelos índios. Quem realiza este ritual é o pajé (curandeiro e líder espiritual da aldeia). Usando cânticos, ervas e plantas, o ritual pede orientação no processo de cura do paciente. Mas também pode ser feito para “afastar os maus espíritos”.

Lei do retorno

Aliás, sobre o mal que acometeu o presidente, o jurista Luís Carlos Valois escreve em seu Twitter:

“Ninguém pode  desejar o mal aos outros, debochar de mortes, fazer casso com a vida das pessoas e ainda ter uma boa saúde, sem nenhum retorno. Iria contra todas as leis do Universo” .

“Sommelier de vacina”

Ao menos cinco idades – São Paulo, Brasíia, Goiânia e  Belo Horizonte – adotaram uma lei pra punir aqueles que tentam escolher a vacina contra a Covid, os chamados “sommelier de vacina”.

Aquele que chegar aos postos de vacinação com essa “marra” vai ser encaminhado para o final da fila. Afinal, Vacina boa é a vacina que está no braço!

Geladeira neles

Em Guarapari, cidade turística do Espírito Santo, a prefeitura jogou mais pesado. O "sommelier de vacinas" precisa assinar uma declaração  negativa e fica bloqueado por 30 dias no sistema on-line de agendamento do município.

A moda pegou

Levantamento da Confederação Nacional de Municípios (CMN) atesta que 70,1% dos municípios brasileiros – entre eles Manaus –, registraram casos de pessoas que querem escolher a marca da vacina contra a Covid-19 antes de receber a dose do imunizante.

Lava Manaus

Depois da tempestade a bonança. A Prefeitura de Manaus, por meio da Defesa Civil, iniciou esta semana a uma ação de limpeza sanitária nas avenidas Eduardo Ribeiro e Floriano Peixoto, Centro. O trabalho vem sendo feito em parceria com a concessionária Águas de Manaus.

Boa notícia

Pela primeira vez no ano, nenhum estado no país tem mais de 90% de suas UTIs para covid-19 ocupadas no SUS.

Segundo edição extraordinária do boletim Observatório Covid-19 Fiocruz, faz três semanas que tanto os casos como os óbitos no país estão em declínio, caindo cerca de 2% ao dia.

Aeroporto de Tefé

Câmara dos Deputados aprovou nesta terça-feira (13) o Projeto de Lei 1933/19, do deputado Sidney Leite (PSD-AM), que denomina o Aeroporto de Tefé (AM) de Aeroporto Prefeito Orlando Marinho. A matéria será enviada ao Senado.

Orlando Marinho nasceu na cidade de Atalaia (AL) e foi fiscal concursado da Receita Federal desde 1949, tendo sido alocado no Amazonas.

Deixe disso, ministro!

De Marcelo Ramos (PL-AM) , o vice-presidente da Câmara dos Deputados, sobre a perseguição que o ministro da Economia, Paulo Guedes, move contra a Zona Franca de Manaus:

Ministro, seu já famoso desconhecimento de Brasil está reprimindo investimentos, retirando empresas e desempregando amazonenses, por falta de segurança jurídica. O povo do Amazonas e nós, da bancada do Congresso, não permitiremos que Paulo Guedes siga atacando nosso polo exitoso.

Tesouro amazônico

A vasta superfície da Amazônia mostra potencial mineral comparado às principais regiões produtoras de bens minerais do mundo. A afirmação é do geólogo e conselheiro da Brasil Mineral, Elmer Prata Salomão.

Hoje, encontram-se na Amazônia as maiores jazidas brasileiras de ferro, de alumínio, de manganês, de estanho, de níquel, de cobre, de potássio.

— São jazidas maiores do que todas as outras encontradas em  no território brasileiro –, garantiu o geólogo ao portal Brasil 61.  

Fogo cruzado

A Taurus – fabricante de armas de fogo brasileira sediada na cidade de em São Leopoldo, no estado do Rio Grande do Sul –,vendeu 4 mil pistolas TS9 calibre 9mm para a Internal Security Forces (ISF) que é a Polícia Nacional e Força de Segurança do Líbano. A ISF possui um efetivo de mais de 40 mil policiais.

Fogo cruzado 2

A empresa foi escolhida para o fornecimento do armamento em licitação aberta, em meio a importantes concorrentes mundiais, informou. A previsão de entrega dos produtos é de até 9 meses a partir da assinatura do contrato.

ÚLTIMA HORA

10 milhões de dólares por informações que podem identificar ou localizar hackers

Os Estados Unidos ofereceram nesta quinta-feira até 10 milhões de dólares por informações que podem identificar ou localizar hackers que estejam trabalhando sob o comando de um governo estrangeiro com o objetivo de atingir a infraestrutura crítica norte-americana.

O Departamento de Estado dos EUA disse em comunicado que “certas operações cibernéticas maliciosas que visam a infraestrutura crítica dos EUA podem violar a CFAA (Lei de Fraude e Abuso de Computadores)” e que “criou um canal de denúncias na Dark Web (baseado em Tor) para proteger a segurança de fontes potenciais”.

ORGULHO

A Associação Bom Sucesso, da comunidade Capivara – entre os municípios de Porto Grande e Ferreira Gomes, no Amapá –, encontraram uma forma inteligente e ousada de gerar renda. Ela trabalham na  extração de óleo de copaíba e andiroba para produção de sabonetes naturais. A comunidade se localiza no alto do Rio Araguari, entre a Floresta Nacional do Amapá (Flona) e a Floresta Estadual do Amapá, que são unidades de conservação de uso sustentável. Além das trabalhadoras, quatro homens auxiliam na produção de quase 1 mil sabonetes por mês. Os produtos são escoados aos municípios de Oiapoque e Macapá, e também são vendidos pela internet.

VERGONHA

Algumas notícias do cenário político brasileiro envergonha, o Brasil lá fora. Esta semana o  cineasta norte-americano Oliver Stone fez declarações polêmicas em Cannes. Segundo Stone, a prisão do ex-presidente Lula durante a Operação Lava Jato foi motivada por interesses do governo dos Estados Unidos, que teve como intuito desestabilizar os líderes de esquerda da América Latina.  Em Cannes para a estreia do seu novo documentário JFK revisited: through the looking glass, sobre o assassinato do presidente americano John Kennedy, Stone afirmou que a prisão do petista foi “selvagem” e uma “história suja”.

— É duro, é uma guerra em curso o que está acontecendo”, afirmou Stone, que acredita que a condenação do ex-presidente brasileiro é produto do projeto americano de patrulhar o mundo.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.