BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & feito - ÉRAMOS FELIZES - Houve um tempo em que a Zona Franca era tratada com respeito


Dependendo do protagonista, o curso da história pode mudar em um curto espaço de tempo. Senão vejamos:  Nesta semana, o presidente Jair Bolsonaro (PL) deu outra punhalada pelas costas no Amazonas. Ele recorreu da decisão do ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), que suspendeu os efeitos da redução de até 35% do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) aos itens fabricados no Polo Industrial de Manaus, considerado a par de cal na Zona Franca.  Na primeira semana deste mês, Alexandre de Moraes atendeu a Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI), protocolada pelo partido Solidariedade, em nome da bancada do Amazonas no Congresso Nacional, para suspender a redução da alíquota. A Advocacia-Geral da União (AGU), do governo federal, apresentou recurso no último dia 20 contra a medida no STF. Agora vejam como a história era bem diferente em 2004.  Em setembro daquele ano, em uma visita a Manaus onde abriu a II Feira Internacional da Amazônia, o então presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT) estimulou as lideranças ara reposição da questão do PIS/Confins reparando os prejuízos  que as empresas de Manaus  viessem a ter. Quer dizer, um escudo à Zona Franca de Manaus e uma declaração de respeito ao Amazonas.

Deu na capa

A Capa do Em Tempo de 2004

Naquele dia, o jornal EM TEMPO estampou em sua primeira página a manchete que dizia tudo: “Lula estimula ZFM e bate na burocracia”. O jornal informava ainda que a disposição de  ajudar a Zona Franca de Manaus foi revelada na conversa  com  então governador Eduardo Braga e o então ministro dos Transportes Alfredo Nascimento.

Trairagem

E pois não é  que todos esse políticos  do Amazonas – à exceção da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB) –,   votaram SIM ao impeachment da presidente Dilma Rousseff?

Pau na burocracia

Naquele mesmo encontro em Manaus, numa conversa com o presidente Venezuelano Hugo Chavez (morto em 2013), Lula atacou  a burocracia como o maior obstáculo que dificulta a integração entre os países da Amazônia. Como dissemos, dependendo do protagonista, a história pode mudar de curso.

Outra vez o Guedes

Bem a propósito, o  deputado estadual Serafim Corrêa (PSB) classificou nesta sexta-feira, 27, como “despropositada” as declarações do ministro da Economia, Paulo Guedes, que chamou de “despreparados, ingratos e militantes”, os governadores que criticaram o projeto aprovado na Câmara que reduz alíquotas do ICMS para energia e combustíveis.

Serafim Corrêa

Fala o que não deve

A Câmara aprovou nesta semana o Projeto de Lei que estabelece um limite de 17% no ICMS sobre bens e serviços que passam a ser considerados essenciais. A iniciativa é do governo federal e é defendida como uma maneira de tentar conter preços de combustíveis e energia elétrica.

— Mas na quarta-feira, 25, no Fórum Econômico Mundial, a reação do ministro Paulo Guedes foi completamente despropositada. É  claro que os atuais governadores não querem perder receitas. E aí vem o ministro e diz que eles estão unidos e contrários a esse projeto que reduz – criticou o líder do PSB.

Verba carimbada

Guedes detalhou os repasses e lembrou que foram R$ 260 bilhões via Fundeb, R$ 90 bilhões em deferimento e dívidas, R$ 60 bilhões em recursos livres, como destinado ao transporte urbano, além de R$ 68 bilhões da Lei Kandir e R$ 19 bilhões da cessão onerosa do petróleo.

— Essas são verbas carimbadas. Então, o governo federal não está fazendo nenhuma caridade como quer apresentar Guedes.

Governo guloso

Sarafa vê uma  deterioração da federação, porque o governo federal fica com a maior parte dos recursos e quer ficar cada vez mais.

— E aí estabelece uma política para o ICMS objetivando complicar a vida dos 27 estados e dos 5.700 municípios –, cutucou o parlamentar.

Lá vem Portela

O novo vice-presidente da Câmara dos Deputados, Lincoln Portela (PL-MG), já entrou cutucando. Ele  disse estar sem esperanças em uma reeleição do presidente Jair Bolsonaro (PL).

— Vamos para o 2º turno. Na minha avaliação é muito difícil que Bolsonaro, apesar de eu ser governo, ganhe no segundo turno. Mas, no segundo turno, esses antipetistas voltarão para o Bolsonaro –, disse o vice.

Peso da militância

Apesar de fazer parte do mesmo partido do chefe do Executivo, Portela disse que tantos os eleitores de Bolsonaro quanto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fazem parte de uma “militância aguerrida”.

— Quem é militante de Bolsonaro milita desde que acorda até dormir. Quem milita para Lula, da mesma forma –, completou.

Pernada em Ramos

Portela foi eleito vice-presidente da Câmara na 4ª feira (25.mai.2022). O congressista substituiu Marcelo Ramos (PSD-AM), destituído do cargo na 2ª (23) pelo presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL) a mando de Jair Bolsonaro.

Mutreta bilionária

Elon Musk

Bilionário também faz mutreta. O CEO da Tesla e SpaceX, Elon Musk, por exemplo, foi processado por “manipulação” nas ações do Twitter. A ação judicial foi protocolada em um tribunal de São Francisco, nos EUA, por investidores que o acusam de omitir a compra de 5% da bigtech para evitar um prejuízo de US$ 156 milhões.

O processo menciona uma aquisição de 5% não divulgada em 14 de março. Musk divulgou a compra de 9,2% das ações em 9 de abril.

Manipulador

Segundo os investidores, o objetivo era reduzir o valor da empresa. “Ao adiar a divulgação [de 5%] da participação no Twitter, Musk se envolveu em manipulação de mercado e comprou ações do Twitter a um preço artificialmente baixo”, afirma o processo.

Segundo o site Busniess Insider, o processo aborda as postagens de Musk do início do mês como uma tentativa de manipular as ações no mercado.

Capacete neles

Através do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-AM), o Governo do  Amazonas entregou kits de segurança  – capacete e colete – aos mototaxistas do município de Presidente Figueiredo  com kits de segurança.

Motociclista Legal

Os benefícios fazem parte do projeto "Motociclista Legal", que oferta, de forma gratuita, curso de capacitação e de atualização para os mototaxistas e motofretistas do estado maiores de 21 anos e habilitados há pelo menos dois anos na categoria A.

Amurinê Tomaz, diretor do Detran: Mototaxistas vão trabalhar mais seguros

ÚLTIMA HORA

Atenção caminhoneiros, vai faltar diesel

Diesel pode faltar no País

A escassez global de diesel pode alcançar o mercado brasileiro. Em meio ao baixo nível dos estoques mundiais e a defasagem dos preços nacionais diante dos pares internacionais, a disponibilidade do óleo diesel preocupa importadores e caminhoneiros. A própria Petrobras (PETR4) chegou a enviar, no início da semana, um ofício ao Ministério de Minas e Energia salientando o risco de desabastecimento.  Sem importar, a Petrobras só consegue abastecer metade do mercado de diesel no país. A estatal defende que haverá falta do combustível se os preços não forem alinhados ao mercado internacional.

A possibilidade de escassez também assusta os caminhoneiros, que já reclamavam da alta dos preços.

—  Exigimos transparência com relação ao estoque de diesel para o mercado interno –, cobrou o presidente da Associação Brasileira de Condutores de Veículos Automotores (Abrava), Wallace Landim, conhecido como Chorão, em nota nesta semana.

ORGULHO

Marcelo Ramos no aeroporto de Manaus

Até na política se colhe o que se planta. O deputado Marcelo Ramos (PSD-AM)  foi retirado “a fórceps” do cargo de vice-presidente da Câmara dos Deputados, mas recebeu o carinho de seu povo ao voltar para casa.  Aproximadamente 300pessoas  foram receber o deputado , nesta quinta-feira, 26, no aeroporto Eduardo Gomes (foto), quando ele retornava de Brasília.  Os manifestantes levaram faixas e cartazes  e cantavam palavras de ordem para agradecer o parlamentar que enfrenou de cabeça erguida os ataques do presidente Bolsonaro à Zona Franca de Manaus e por isso perdeu o cargo.

VERGONHA

Na Rússia

O que está acontecendo na Ucrânia não e uma guerra é um genocídio, praticado pela mão de ferro e pelo ódio do presidente russo Wladimir Putin. De acordo com o Escritório de Direitos Humanos da ONU (Organização das Nações Unidas), divulgado nesta 6ª feira (27), 4.031 pessoas morreram até o momento. Do número, 200 eram crianças. A ONU diz que as mortes foram causadas pelo uso de armas explosivas em bombardeios de artilharia pesada e sistema de foguetes de lançamento múltiplo, mísseis e ataques aéreos. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, disse que “precisa enfrentar a realidade” e conversar diretamente com Vladimir Putin para acabar com a guerra que se estende desde fevereiro na Ucrânia. Dmitry Peskov, porta-voz do Kremlin, disse que não há diálogos entre as delegações para um encontro entre os 2 líderes e afirmou que as negociações de paz estão paradas do lado ucraniano.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.