Calendário

novembro 2019
D S T Q Q S S
« out    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Dito & Feito – Bosco Saraiva sai, mas não sai

O vice-governador Bosco, que acumulou o cargo de secretário de Segurança, deixa o cargo hoje, último prazo para desincompatibilização daqueles que ocupam funções públicas e pretendem se candidatar a algum cargo eletivo.

Na verdade, Bosco sai, mas não sai. A pedido do governador Amazonino Mendes (PDT), ele continua, na qualidade de vice, tocando o projeto de segurança, desde que não gerencie despesas nem autorize serviços.

— Na verdade estou atendendo a um pedido do governador Amazonino, para ficar e concluir nosso projeto de segurança, explicou.

O substituto

Bosco disse ao CONTEXTO que deixa em seu lugar o Cel. Paiva, segundo ele um “ burocrata”, que já estava na secretaria, esteve na equipe de transição de governo e conhece todos dados da secretaria.

— É ele que vai continuar tocando executivamente a reestruturação da Secretaria de Segurança, confirmou Saraiva.

Ele e ela 

O vice-governador também resolveu tornar a SSP mais plural. E deixou na secretaria Executiva uma mulher.

— Trata-se da delegada Juliana Tuma, que estava na secretaria da Criança e Adolescente. Assim vai ficar um misto, disse.

Lourenço Braga? Faltou!

DITO & FEITO chegou a dar Aplausos, na edição de ontem, ao secretário de Educação, Lourenço Braga, por sua decisão de cumprir a convocação do poder Legislativo e comparecer à Assembleia Legislativa colocando fim a uma crise Institucional.

Óleo na fogueira

Mas, como já tinha feito na terça-feira (3), o secretário não deu o ar de sua graça.  Essa atitude jogou óleo na fogueira, acirrando ainda mais os ânimos.

Fujão!

Ocupando a Assembleia, os professores ficaram ensandecidos e consideraram a atitude Lourenço uma tremenda falta de respeito para com a categoria.

— Fujão! Fujão! Fujão!, gritavam alguns deles.

Outros preferiam a palavra de ordem “Governador, respeite o professor!”.

Saltou nas tamancas

O presidente da Aleam, David Almeida (PSB), também não perdoou e fez duras críticas ao governo Amazonino Mendes (PDT), diante da ausência do secretário de Educação Lourenço Braga.

Vem me enfrentar!

Almeida relatou que o secretário prometeu “ estar hoje (ontem,) aqui, para trazer soluções para o reajuste da categoria, mas não veio”.

—Governador, não se esconda! Venha aqui me enfrentar!, disparou David.

Quebra-pau

No momento de maior calor, Vicente Lopes (sem partido) e David Almeida trocaram acusações em plenário e por pouco não trocaram agressões físicas.

— Os deputados da base do governo baixam a cabeça, disse David.

Sossega leão!

David chegou a cerrar os punhos e ameaçar ir às vias de fatos. Vicente foi em direção à bancada da presidência, mas foi contido pela turma do “sossega Mariquinha!”. Foi necessária a intervenção de seguranças para evitar possíveis catiripapos.

Oito homens e um destino

Os oito deputados da base aliada do governo foram bastante criticados, alguns por não permanecerem na audiência pública que trataria do reajuste, outros por se omitirem do assunto.

Honrem as calças

David cutucou novamente: “Nenhum dos oito deputados da base aliada está aqui. Honrem suas calças!”.

Impeachment

Os oito deputados da base do governo assinaram um documento pedindo a cassação de David Almeida. Tudo porque, na segunda-feira, parte dos professores foram abrigados no auditório Berlamino Lins durante audiência pública que ocorreu no Plenário Ruy Araújo.

Politicagem, eu?

David foi acusado de usar o poder da presidência para fazer “politicagem”.

— Não vão tirar o meu mandato! Fui escolhido para representar o povo!

Tropa de choque

Os oito deputados da tropa de choque de Amazonino são Dermilson Chagas (sem partido), Belarmino Lins (PP), Mário Bastos( PSD), Vicente Lopes( sem partido), Wanderley Dallas (PMDB), Adjuto Afonso (PDT), Orlando Cidade (Podemos) e Dr. Gomes (PSD).

Quem? Quem? 

Mas eles só foram identificados depois de assinarem o pedindo a cabeça de David.

Efeito dominó

Serafim Corrêa (PSB) lamentou a ausência do secretário e disse que os argumentos do governo caíram um a um.

— Os argumentos do governo foram caindo um a um. Primeiro o governo disse que não tinha recurso, aí depois apresentei números do Fundeb.

EM ALTA 

A generosidade de Cristiano Ronaldo, que adora ostentar seus carros e tudo que o dinheiro lhe proporciona, mas também tem um lado caridoso. Segundo a ONG “Athletes Gone Good”, o craque do Real Madrid é o atleta que mais doa dinheiro para instituições de caridade ou pessoas que necessitam de ajuda.

EM BAIXA

Aqueles que acham que, com a prisão do ex-presidente Lula, acabou a corrupção no Brasil. E os outros, cadê os outros? Eles também têm que ser preso em nome da moralidade.  Ou vão esperar o trânsito em julgado?

Deixe uma resposta