BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - Bolsonaro ferra a Zona Franca para ter “Omar Aziz nas mãos”


O governo de Jair Bolsonaro (sem partido) está ferindo de morte a Zona Franca de Manaus para pressionar o presidente da CPI, senador Omar Aziz (PSD-AM).

O Senado aprovou na noite de terça-feira, 22, uma alteração na medida provisória sobre impostos que “deixou o senador Omar Aziz (PSD-AM) nas mãos do presidente Jair Bolsonaro”, publicou a Veja.  Os senadores aprovaram uma alteração no texto original da MP 1034 e que tira benefício fiscal na Zona Franca de Manaus. Uma derrota política para Omar Aziz, que chegou a deixar CPI, quarta-feira, 24,  dizendo justamente que precisava se dedicar à votação da MP que mudaria a Zona Franca.

Se Bolsonaro sancionar o texto como aprovado, a venda de petróleo, lubrificantes ou combustíveis derivados para a região, proveniente de outros estados, não terá isenção de impostos.

E se não vetar?

O líder do governo no Senado, senador Fernando Bezerra (MDB-PE) garantiu que este trecho será vetado. Está confirmada para terça-feira (29), às 9h, a participação do deputado estadual.

Bolsonaro ataca  Aziz

Nesta segunda-feira, o  presidente da CPI da Covid Omar Aziz (PSD-AM) rebateu criticas feitas pelo  presidente Jair Bolsonaro (sem partido) sobre os trabalhos da Comissão.

Em conversa com apoiadores no ‘cercadinho’ do Palácio da Alvorada, Bolsonaro disse que Randolfe Rodrigues, Aziz e Renan Calheiros “querem o Brasil de antigamente e viver na impunidade”.

Presidente, me erre!

Omar Aziz deu o troco pela redes sociais.

“Presidente, me erre! Quem lhe chamou de prevaricador por esconder corrupção foi o deputado Luís Miranda. Mire seu ódio no deputado  Ricardo Barros (PP-SP), que deve explicações sobre essa compra  superfaturada no Ministério da saúde por seu governo.

Delação do Faustão

Chegou o dia D e a hora H para o deputado estadual Fausto Jr. (MDB). Ele fica cara a cara nesta terça-feira com os senadores membros da CPI da Covid.

Fausto vai levar o relatório da CPI do Amazonas à CPI da Covid

Boca no trombone

Para quem não lembra, Fausto foi o relator da CPI da Saúde na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), no ano passado. Ele jura de pés juntos que descobriu irregularidades na Secretaria Estadual de Saúde (antiga Susam) e hoje promete botar a boca no trombone.

Rezam na cartilha

Fausto, que é  bolsonarista desde pequenininho, foi convidado à CPI pelo senador Marcos Rogério (DEM-RO), o mais feroz cão de guarda de Bolsonaro.

Casa de caba

O parlamentar confirmou que levará ao senado o relatório final da CPI da Saúde. O  documento que foi entregue ao Ministério Público Federal (MPF), à Polícia Federal (PF) e ao TCE e ao TCU.

Derruba a  pauta

Enquanto isso, no STJ, o  julgamento da denúncia da Procuradoria-Geral da República contra o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), o vice-governador Carlos Almeida Filho e mais 16 envolvidos na compra de respiradores  foi retirado da pauta. Esta é a segunda vez que a  denúncia é retirada da pauta do STJ.

Arranca rabo

A deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) e o presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, senador Omar Aziz (PSD-AM), protagonizaram o maior arranca rabo no fim de semana.

Durante a sessão no Senado, Aziz disse que a deputada "bajula" o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) devido ao cargo de seu marido na Força Nacional.

Bunda no meio

Zambelli respondeu de forma grosseira, chamando o senador de ‘bunda gorda’.

— O dedinho mindinho do meu marido vale mais que o senhor, tá bom, seu inútil e imbecil? –, disse a deputada, em vídeo publicado nas redes sociais.

A história da "Espanhola" saiu de um racha entre Zambelli e Joice

Te amo espanhola

O senador rebateu o ataque da deputada bolsonarista dedicando a música “Espanhola”, cantada pela banda 14 Bis.

— Acabei de ser ofendido por uma deputada. Como sou diferente do chefe dela e não ofendo ou agrido mulheres, vou apenas oferecer uma música –, disse Omar durante a CPI.

Trilha sonora

A escolha da música "Espanhola" por Aziz tem motivo. Segundo relato da deputada federal Joice Hasselmann à CPI das Fake News, na Câmara, o presidente Bolsonaro teria perguntado a ela, logo após a posse, se Zambelli teria sido prostituta na Espanha.

Risco de genocídio

Brasil de Jair Bolsonaro foi citado, pela primeira vez, no Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) como um país onde há “risco de genocídio” contra os povos indígenas.

Quem avisa...

A conselheira especial para prevenção de genocídios da ONU, Alice Wairimu Nderitu, mostrou preocupação, em relatório apresentado na 47ª sessão regular do órgão.

— Na região das Américas, estou particularmente preocupada com a situação dos povos indígenas. No Brasil, Equador e outros países, peço aos governos que protejam as comunidades em risco e garantam a responsabilização pelos crimes cometidos – , disse.

Práticas desumanas

O fato de o país ser mencionado pela conselheira faz que o governo brasileiro fique “oficialmente ciente” de que comete práticas desumanas, que necessitam ser tratadas.

Rádio para sempre

O rádio continua sendo o veículo de comunicação mais importante mais. Chega com rapidez e qualidade a lugares remotos do mundo, de uma forma que a televisão e a internet não fazem. Além disso, a rádio é o meio de comunicação mais rápido que temos atualmente.

A informação só é mostrada na televisão e na net,  alguns segundos depois de chegar à rádio.

Doeu no ouvido

Por isso, com todo respeito aos nossos profissionais de Manaus, é preciso mais cuidado com o que falam. Dias atrás, na atualização do noticiário sobre a caçada ao criminoso Lázaro, um conhecido radialista de uma rádio de Manaus disparou a pérola:

— Lázaro está sendo caçado por terra, ar e mar!

Faltou à aula onde a professora de geografia explicou que Goiás fica no Planalto, mas precisamente na região Centro-Oeste do país. E lá (os!) não tem mar.

Genocídio, onde?

Outro dia, dois âncoras de um programa local criticaram o uso  do terno “genocídio”. Para eles, o termo  é “muito forte” para usar em uma notícia sobre meio milhão de mortos na pandemia.

Se isso não é genocídio...

Um deles chegou a comentar:

— Isso é opinião de esquerdista. A gente respeita, mas esse termo é muito forte, não condiz com a realidade –, comentou um deles.

... É o  quê, hein?

Vai ver que eles acharam pouco. E, graças a Deus, não tiveram ninguém próximo morto na pandemia, que já ceifou 500 mil vidas.

Evangélicos são Lula

Luís Inácio Lula da Silva (PT) é o candidato que, neste momento, conta com o apoio majoritário dos evangélicos para as eleições presidenciais do próximo ano

Lula já tem apoio dos evangélicos.

Entre os religiosos católicos, a vantagem do petista cresce ainda mais. Segundo pesquisa Ipec,  41% dos entrevistados apoiam a candidatura do ex-presidente contra 32% que preferem Jair Bolsonaro (sem partido).

Com as bençãos do Papa

Entre os religiosos católicos, a vantagem do petista cresce ainda mais. Hoje, são 52% dos eleitores cristãos que apoiam o ex-presidente contra 20% do capitão do Exército.

ÚLTIMA HORA

Senadores apresentam notícia-crime contra Bolsonaro

Renan, Aziz e Randolfe assinaram e protocolaram notícia crime contra o presidente Bolsonaro

O senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) protocolou nesta segunda-feira (28) notícia-crime, assinada por outros senadores, por prevaricação contra o presidente Jair Bolsonaro em função das denúncias de corrupção nos contratos para compra da Covaxin. Para o senador, o presidente deveria ter tomado providências diante das denúncias.

Randolfe disse que protocolou notícia-crime no STF por conta da grave denúncia envolvendo o presidente da República de que não tomou nenhuma providência após ter sido noticiado da existência de um gigantesco esquema de corrupção no Ministério da Saúde.

— A prevaricação é crime e é por isso que compreendemos a necessidade do Supremo e da Procuradoria Geral da República instaurarem um procedimento de investigação –,  explicou o senador.

ORGULHO

Para a história que o jornalista Artur Xexéo escreveu na imprensa brasileira. Era um dos  mais queridos, respeitados e talentosos profissionais de comunicação do país.   Além de jornalista, era escritor, cronista, autor teatral e comentarista. Ao longo de sua carreira passou por redações de importantes veículos, como Jornal do Brasil e O Globo, onde foi editor do Segundo Caderno. Xexéo publicou, ao longo de sua trajetória, obras como Janete Clair: A Usineira de Sonhos e Hebe, A Biografia, além do livro de crônicas O Torcedor Acidental. Amigos, artistas, políticos e jornalistas lamentaram a morte de Xexéo e prestaram homenagens ao profissional nas redes sociais. O escritor Paulo Coelho postou, no Twitter: "Artur Xexéo, gente como você não morre nunca. Descansa um pouquinho e volta logo! Muitas saudades, grande amigo".

VERGONHA

O deputado federal Luís Miranda (DEM/DF) afirmou, no domingo (27/6), que seu irmão, o servidor do Ministério da Saúde Luís Ricardo Miranda, foi bloqueado do sistema da pasta depois que depôs à CPI da Covid. Pelas redes sociais, o parlamentar afirmou que o irmão está sendo vítima de perseguição.  "Vale ressaltar que ele é funcionário de carreira! Isso é ilegal, perseguição e só comprova que eles tem muito para esconder", disse.  Luís Ricardo é chefe de importação do Departamento de Logística em Saúde do Ministério da Saúde. Ele e o irmão,  foram escutados pela CPI da Covid, no Senado, na sexta-feira (25/6). No depoimento, Luís Ricardo disse que sofreu pressão para liberação da vacina indiana Covaxin e que muitos dados no contrato apontavam irregularidades.O parlamentar já tinha dito, no sábado, que os dois têm recebido ameaças de simpatizantes do governo e que seguem  "sem proteção nenhuma". Também no sábado, Luís Miranda ensinou que tem provas de que levou ao conhecimento do presidente Jair Bolsonaro as possíveis irregularidades.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.