BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - Bolsonaro declara apoio a Menezes, mas diz não ter tempo para vir a Manaus


O presidente Jair Bolsonaro fez, na noite desta terça-feira (10), mais uma transmissão em redes sociais para indicar apoio a candidatos nas eleições municipais.

Desta vez, o convidado para a live foi o Coronel Menezes (Patriota), que concorre à prefeitura de Manaus. Ao manifestar apoio, Bolsonaro deu a palavra para que o candidato relatasse o impacto da implementação  do auxílio emergencial na cidade de Manaus durante a pandemia.

— Foram cinco meses de R$ 600 para mais de  60 milhões de pessoas – disse Bolsonaro levantando a bola para o coronel Menezes cortar.

— É verdade, presidente. Isso ajudou muito a população  da cidade, do estado –, confirmou o coronel ao capitão..

É dando que se recebe

Ao lado do parceiro de caserna e abrindo um sorriso que ia de ponta a ponta da orelha, Menezes disse que  tem visitado sempre as comunidade nos último 120 dias de campanha.

— Principalmente  as regiões mais carentes.  E as pessoas agradecem muito  o fato de ter recebido essa ajuda do Governo  Federal –, completou o coronel.

Sem tempo, irmão

Bolsonaro ainda disse que não vem a Manaus para dar apoio a Menezes porque não tem recursos e muito menos tempo. "Então discretamente eu estou aqui dando uma força para uns candidatos ou outros. E aqueles que porventura eu não estou citando o nome me desculpem”, afirmou.

O único

O deputado Serafim Corrêa (PDSB) parece mesmo ser o único parlamentar estadual a criticar a postura grotesca do presidente Jair Bolsonaro,

Os demais – com todo o respeito – silenciam e, quem silencia concorda.

Suicídio

Nesta quarta-feira, 11, ele repudiou mais uma vez o comportamento do presidente em comemorar a suspensão dos estudos da vacina Coronavac pela Anvisa. O motivação, segundo a agência, foi a morte de um dos voluntários dos testes. Acontece que horas mais tarde a  perícia constatou que a causa do óbito foi suicídio.

Festejo macabro

O presidente disse que a vacina jamais poderia ser obrigatória.

“Morte, invalidez, anomalia. Esta é a vacina que o Dória queria obrigar a todos os paulistanos tomá-la. Mais uma que Jair Bolsonaro ganha” –, escreveu o presidente.

— Para minha tristeza, enquanto brasileiro, o presidente da República comemorou e mandou  a Anvisa interditar a pesquisa –, lamentou Sarafa.

Politização da vacina

O líder do PSB disse que Bolsonaro comemorou o suposto insucesso da vacina por uma disputa política com o presidente de São Paulo João Doria.

Deputado repudiou postura do presidente 

—  É irracional que o futuro do país esteja sendo colocado na mão de dois homens que estão em busca de votos e vaidade, o que não vai levar à cura da Covid-19. Cura da Covid-19 depende de vacina.

Vote Bagaço

O humorista José Simão, da Band News, soltou mais uma “buemba, buemba!” com o nome de um candidato a vereador pelo PT, no município de Nhamundã, no Amazonas.

Trata-se de Manoel Eneas da Costa,  33, que se registrou no TER-AM com o nome de “Bagaço”.

— Se o cara já está um bagaço na campanha, imagina quando for eleito! – cutucou o macaco Simão.

Para vereadora...

Aliás, já não se fazem mais políticos sérios como antigamente. A pequena cidade de Sagrada Família, no interior gaúcho, também ganhou notoriedade nacional nestes dias por conta do nome de uma candidata a vereadora pelo Partido dos Trabalhadores (PT).

... “Pica do PT”

Na verdade o nome da candidata é Josiane Brizolla, mas na urna eletrônica ela vai aparecer como “Pica do PT”. Um sucesso absoluto de marketing eleitoral.

Todos querem a “Pica”!

Josiane, a “Pica do PT” promete trabalhar duro e seu apelido viralizou nas redes sociais, programas de rádios de todo o país e motivou uma onda de memes.

— Todos queremos a “Pica”, bradou o humorista José Simão na Band.

Não desperdicem votos

Em live em suas redes sociais,  candidato a prefeito David Almeida (Avante) aconselhou o eleitor manauara a não desperdiçar o seu poder de escolha, ao votar em branco no dia 15 de novembro.

— Quem não luta pelo futuro que quer tem que aceitar o futuro que vier –, observou o candidato.

Consciência no voto

David fez um apelo ao voto consciente. E reforçou o pedido de apoio para ele e Marcos Rotta, que têm apresentado propostas voltadas para as pessoas e possíveis de serem realizadas.

— O eleitor não deve desperdiçar a oportunidade do processo democrático, para começar a transformação de Manaus numa cidade moderna –, conclamou o ex-governador.

Hospital do Nicolau

A maquete e os detalhes técnicos sobre o novo Hospital Municipal para Cirurgias Eletivas apresentada pelo candidato Ricardo Nicolau (PSD) causou grande impacto em sua campanha à prefeitura e repercutiu entre os médicos, enfermeiros e outros profissionais da saúde.

1.500 cirurgias

O novo hospital terá 150 leitos e capacidade para realizar até 1.500 cirurgias por mês. A expectativa é que funcione num terreno entre a Avenida das Torres e a Avenida das Flores, contemplando o fluxo de pessoas na zona norte e leste de Manaus, duas das zonas mais populosas da cidade.

Nicolau apresentou o projeto para profissionais da saúde 

Saúde tem presa

A previsão é de 180 dias para a unidade ter suas obras concluídas e começar a funcionar.

— Os adversários dizem que 180 dias é pouco tempo para construir um hospital. Mas pra quem está na fila há anos esperando por uma cirurgia, 180 dias é muito tempo –, rebateu Nicolau.

Primeiro emprego

Quando chegar à Prefeitura de Manaus, o candidato Zé Ricardo (PT) promete contribuir para a geração de emprego e renda, investindo no turismo, no fortalecimento de cadeias produtivas, incentivando o Primeiro Emprego.

Ranking do desemprego

Zé 13 pretende buscar recursos e investimentos nacionais e internacionais, por meio da Agência Municipal de Desenvolvimento.

—  Manaus está nas primeiras colocações do ranking nacional de desocupação entre as capitais, com taxa em torno de 18,5%, registrado no primeiro trimestre deste ano, de acordo com o IBGE- disse o petista.

Meu dever

Zé Ricardo relata que das cerca de 1 milhão de pessoas ocupadas no Estado, 668 mil estão trabalhando na informalidade
— A Prefeitura tem o dever de ajudar a criar mais empregos e renda à população da cidade –, garantiu.

Candidato quer contribuir com geração de emprego e renda 

Diplomata não é bobo

A viagem promovida pelo vice-presidente Hamilton Mourão, chefe do Conselho Nacional da Amazônia, não mudou a percepção de alguns diplomatas convidados para o tour, em relação à Amazônia.

A comitiva não levou os diplomatas estrangeiros, por exemplo, a áreas com focos de incêndio, por exemplo. Mas isso não impediu que o governo brasileiro fosse alvo de críticas.

Brasil subestima

Embaixadores e diplomatas da África do Sul, Alemanha, Canadá, Colômbia, Espanha, França, Suécia, Peru, Reino Unido e Portugal saíram dizendo que, além da falta de um planejamento estrutural para o enfrentamento dos problemas na região, o Brasil subestima o conhecimento de outros países sobre a região amazônica.

Sabem onde tem fogo

Alguns deles chegaram a reagir, lembrando que acreditam que “ entendem bem sobre a Amazônia”.

— Respeitamos a decisão de o governo nos mostrar, entre outras coisas, que não tem fogo em todos os lugares e, também, como atua na proteção de áreas intactas –, disse um embaixador.

—  Mas essa é uma parte da história. Nós sabemos onde os focos de fogo estão –, afirmou outro.

De volta à realidade

Além disso, embaixadores e diplomatas cobraram do governo novas visitas e sobrevoos que incluam alguns dos municípios mais impactados pelos problemas da Amazônia. Citam como exemplo Apuí (AM), Lábrea (AM), Boca do Acre (AM) e algumas áreas do Pará.

ÚLTIMA HORA

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou que o Brasil pode “ir para uma hiperinflação muito rápido se não rolar a dívida pública satisfatoriamente”. A afirmação, feita em evento organizado pela Corregedoria-Geral da União (CGU), provocou surpresa e estranhamento no mercado, entre outros motivos, por ocorrer logo após o Senado ter aprovado projeto que confere autonomia ao Banco Central. A proposta, que ainda precisa ser ratificada pelos deputados, havia sido elogiada por Guedes.

Após a repercussão, o ministro mudou o tom esta manhã. Em entrevista à CNN, Guedes disse que o comentário foi um alerta para acelerar as privatizações e, com isso, derrubar a relação dívida-PIB, que saltou esse ano por causa dos gastos com a pandemia.

ORGULHO

O Ivan tem apenas 11 anos e já aprendeu como melhorar o astral durante a pandemia. Ele contou numa autoavaliação, pedida pela professora, que lê o portal  SóNotíciaBoa.  O tema do trabalho escolar era “O que você aprendeu com a Covid” e ele escreveu que, chateado com tanta notícia ruim durante a pandemia, conheceu o @sonoticiaboa e, de lá pra cá, tem se alimentado de informação positiva pra ficar feliz. “Descobri que o mundo não é um paraíso e sim um lugar que tem vezes que tem coisas boas e ruins, que as pessoas choram muito fácil. Inclusive o Google me recomenda algumas notícias ruins e as vezes eu lia e às vezes não, então eu descobri um site que alegrou meu dia o Só Noticia Boa… O site está aí se alguém quiser”, recomendou Ivan Franco na autoavaliação.

VERGONHA

Em  postagem de uma brasileira que perdeu o marido para a pandemia de coronavírus tem repercutido muito nesta quarta-feira (11) no Twitter. Vanda Célia Oliveira revoltou-se com o discurso de Jair Bolsonaro: "maricas é a PQP". "Há quase um mês, meu marido Alberto Coura morreu de sequelas da Covid 19. Enfrentou a doença com valentia durante 84 dias na UTI. Desde então, sofro que nem cachorro e luto pra ver se também não morro. Não gosto de ser rude, mas hoje, peço licença para dizer que 'maricas' é a PQP", postou Vanda, com uma foto do marido e do filho.  Em discurso no Palácio do Planalto nesta terça, Bolsonaro disse que o Brasil não pode ser um "país de maricas", ao falar de mortes para a Covid-19. “Tudo agora é pandemia. Lamento os mortos, lamento. Todos nós vamos morrer um dia, aqui todo mundo vai morrer um dia... Não adianta fugir disso, da realidade. Tem que deixar de ser um país de maricas, pô”, disse.

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.