Calendário

outubro 2019
D S T Q Q S S
« set    
 12345
6789101112
13141516171819
20212223242526
2728293031  

Dito & Feito – A reconstrução do MDB

Com discursos sobre união e renovação, emedebistas de todo o Brasil elegeram – com 97% de aprovação –, em Brasília, durante a Convenção 2019, a nova composição da Executiva Nacional do MDB, que comandará o partido no biênio 2019-2021. Com maior votação proporcional do partido, o MDB será presidido pelo deputado Baleia Rossi (SP). O senador pelo estado do Amazonas Eduardo Braga destacou que o MDB é um partido dos brasileiros e garantiu que o partido está começando uma renovação com responsabilidade.

— Precisamos de uma política que faça o Brasil voltar a crescer, temos que fazer os ajustes para que o povo brasileiro possa voltar a ter emprego, renda e uma vida melhor. Nosso partido se reconstrói pelo Brasil e pelos brasileiros –, disse Braga.

Defesa da democracia

O novo presidente eleito o deputado Baleia Rossi (SP), defendeu a valorização da militância emedebista, do fortalecimento de cada um dos núcleos do partido e reconexão com os anseios da sociedade.

— Temos bandeiras caras, a defesa de democracia é inegociável, mas também queremos buscar mais resultados- disse o novo presidente do MDB.

Encarando os erros

Baleia Rossi também chamou a atenção para a gravidade do momento.

— Hoje temos 13 milhões de desempregados e 7 milhões que não estudam e não buscam trabalho. Temos grandes desafios, precisamos reinventar, encarar nossos erros, fazer diferente”, pontuou.

Molho japonês

Durante cobertura da apresentação de Alejandro Valeiko, envolvido no assassinato do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, um radialista da Band,  por descuido rebatizou o nome do presidente da OAB-AM, Marco Aurélio Choy. Durante todo o noticiário o repórter chamou o presidente da Ordem, que é advogado de  Alejandro, de Choyu, o molho de soja japonês.

Vingança

Aliás, alguns veículos parecem estar fazendo da cobertura do caso policial uma vingança pessoal contra Arthur Neto, em virtude de alguma diferença pessoal. Não é bem assim que funciona. A isenção jornalística é primordial. Não cabe juízo de valor, como fazem alguns.

Mauro Campbell

O amazonense Mauro Campbell, ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ)  é o coordenador da comissão especial que analisa proposta de revisão da Lei de Improbidade Administrativa (PL 10887/18). O projeto, apresentado pelo deputado Roberto de Lucena (Pode-SP), resultou do trabalho de uma comissão de juristas criada pelo presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e coordenada por Campbell.

Maracutaia

O ato de improbidade administrativa é aquele que implica enriquecimento ilícito ou vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo público. Varia desde frustrar licitações ou concursos até o recebimento de vantagens indevidas.

Punições

A Lei de Improbidade Administrativa (8.429/92) prevê sanções a agentes com mandato , cargo, emprego ou função que cometa  ações contra a administração pública, com fraudes em licitações e recebimento de propina

Maria & Raimundo

A dupla Raimundo & Maria, personagens humorísticos que marcaram o horário eleitoral de Manaus com o bordão “tu é leso?”, está de volta dessa vez com spot publicitário. Com lançamento oficial, iniciado nesta segunda-feira (7), a campanha publicitária da Dubom Alimentos Naturais, traz como garotos-propaganda Kid Mahall e Rosa Malagueta, o casal mais popular da terrinha baré.

 Virou global

O mais recente trabalho da atriz Rosa Malagueta foi como a Neide, na novela das 21h da Globo, “A Força do Querer”, obra, escrita por Glória Perez. 

Exoneração por assédio sexual

De autoria do deputado estadual Ricardo Nicolau (PSD), dois projetos em tramitação na Assembleia Legislativa pretendem criar medidas de combate a práticas de assédio sexual, contra mulheres e homens, cometidas no local de trabalho tanto por servidores de órgãos do Estado como da Casa Legislativa.

12 exemplos

 Nicolau se baseou em legislações internacionais recentes sobre o tema para formatar as propostas, que trazem como principal inovação uma lista com 12 exemplos de atos de assédio.

Vítimas

O parlamentar afirma ter sido motivado por diversos relatos de vítimas de assédio sexual e pelo fato de ainda não existirem normas regulamentadoras dessa prática na esfera pública. O deputado espera que as novas regras tragam à tona casos que antes não costumavam ser denunciados.

Respeito aos índios

Durante a abertura dos trabalhos da Assembleia Especial do Sínodo dos Bispos para a Região Pan-Amazônica, o papa Francisco reagiu contra as “palavras ofensivas” direcionadas aos povos originais e rechaçou as “colonizações ideológicas”, que classificou como destrutivas ou redutoras.

— Os povos amazônicos possuem entidade própria, sabedoria própria, consciência de si. Eles têm uma maneira de ver a realidade e tendem a ser protagonistas da própria história – declarou Francisco.

Preconceito

Francisco foi aplaudido pelos cerca de 250 participantes ao fazer a analogia entre o adereço indígena e os elementos católicos e se disse motivado por um comentário dentro do próprio evento.

— Me entristeceu ouvir, aqui mesmo, um comentário sarcástico sobre um homem devoto que carregava oferendas com plumas na cabeça.

Plumas na cabeça

Dito isso, o pontífice questionou:

 — Me digam: qual é a diferença entre ter plumas na cabeça e o chapéu de três pontas utilizado por certas hierarquias em nossos dicastérios? – questionou Francisco.

Crise no BNDES

A venda da carteira de ações do BNDES, uma das prioridades do presidente Gustavo Montezano, desencadeia a primeira grande crise entre a direção do banco e seu corpo técnico.

A queda de Tito

A associação de funcionários do BNDES, a AFBNDES, organiza assembleia nesta segunda-feira para cobrar esclarecimentos sobre a demissão de Luciana Tito, que era superintendente da Área Jurídica Operacional.

Tito e teria sido desligada por discordar da condução da estratégia de venda de ações pelo BNDES.

E o Queiroz?

Sabe quem é o ciclista que fez a pergunta ao presidente Bolsonaro “E o Queiroz?” e recebeu como resposta “com a sua mãe”?

Ele não é nenhum petista ou comunista como os bolsonaristas gostam de chamar quem contesta o presidente da República.

… Com  sua mãe!

Trata-se do empreendedor Lemuel Simis é um dos fundadores de uma fintech, a Firgun, que promove a captação de crédito para pessoas de baixa renda que querem fazer seus pequenos negócios prosperarem.

Ele estava em Brasília para dar uma palestra em uma conferência de inovação quando resolveu dar uma volta com seu sócio para conhecer a capital federal.

Picadinho

Antes de voltar para o hotel, Lemuel ficou sabendo da repercussão de sua pergunta sobre Queiroz, ele ainda foi ameaçado por um apoiador do presidente, que não gostou da pergunta:

— Eu tenho um filho de 30 anos que se te pega, te corta em cinco.

Tira o laranja

Quando as suspeitas de que o ministro do Turismo, Álvaro Antonio, estava por trás de um esquema de candidaturas laranjas vieram à tona, o presidente Jair Bolsonaro indicou que demitiria o ministro caso a irregularidade fosse confirmada pela Polícia Federal (PF).

 Com o indiciamento de Álvaro Antonio nesta sexta-feira (4), a oposição começou, então, a cobrar que Bolsonaro tire o ministro dos quadros do Executivo.

Chamado na responsa

Também já há articulações para que o ministro seja convocado para prestar esclarecimentos das candidaturas laranjas no Congresso.

O pedido de convocação deve ser apresentado já na próxima terça-feira (8).

EM ALTA

O jogador Cristiano Ronaldo, de 34 anos, quer encontrar a pessoa que pagou seus lanches na infância, quando ele não tinha o que comer, para agradecer e retribuir. Pequeno e muito pobre, o craque da Juventus e da Seleção de Portugal, conta que aos 12 anos pedia comida para funcionários do McDonald’s na Ilha da Madeira. Eles davam hambúrgueres ao futuro craque. Durante uma entrevista para o jornalista britânico Piers Morgan, Cristiano Ronaldo revelou que quer localizar a mulher, chamada Edna e duas outras pessoas que trabalhavam na rede de fast food na época.

 EM BAIXA

O discurso agressivo do do ministro da Educação, Abraham Weintraubdurante a abertura do Fórum Nacional do Ensino Superior.

“O que o governo vai fazer por vocês? Nada, o governo não vai fazer nada. Vocês têm que se virar.” A resposta foi direcionada ao presidente do Semesp, entidade que representa os donos de faculdades particulares, que o questionou minutos antes sobre qual é a política do governo para recuperar o Financiamento Estudantil (Fies).

Deixe uma resposta