BLOG DO MÁRIO ADOLFO
Você gostaria de receber notificações em tempo real e não perder nenhuma notícia importante?
Cancelar
Aceitar

Bookmarks

You haven't yet saved any bookmarks. To bookmark a post, just click .

Dito & Feito - A demissão de Bonates precisa ser investigada mais a fundo


O secretário de Segurança do Amazonas, coronel Louismar Bonates, pensou que estava tendo um pesadelo na madrugada desta quinta-feira, 22. Ao acordar deu de cara com um pedido de exoneração do cargo. Só que não era pesadelo, era realidade. A trama urdida na madrugada foi atribuída ao vice-governador do Amazonas Carlos Almeida (PSDB) que teria aproveitado uma viagem do governador Wilson Lima (PSC) para Brasília e tentou “armar”  a demissão de Bonates.

O secretário já estava arrumando as gavetas, quando soube que  a manobra foi descoberta pela equipe do governador que impediu a publicação oficial do ato. Bem tempo, porque o pedido de exoneração chegou a ser enviado para o Diário Oficial do estado.

Por meio de nota, o governo do Amazonas informou que Almeida e um funcionário comissionado da Casa Civil, de “ forma ilegal” , criaram um documento de exoneração, mas ele não chegou a ser publicado.

Astúcia do vice

Wilson Lima não contava com a astúcia de Carlos Almeida, que calculou tudo nos seus mínimos detalhes. O vice-governador já tinha até o nome para o lugar de Bonates.  Que, quase vira Secretário de Segurança da noite pro dia era o delegado Mario Jumbo Miranda Aufiero, que já tinha até encomendado paletó da posse.

Ataque ao governo

Ainda segundo o governo, o servidor foi exonerado e teve todas as senhas de acesso ao sistema de governo canceladas e sido proibido de entrar na Casa Civil. O caso será enviado à polícia para responsabilização dos envolvidos.

— O documento não chegou a ser publicado, por isso não tem validade e efeito –, diz a nota do governo.

Ato gravíssimo

O governador considerou o “ato gravíssimo”, que  tem o objetivo de causar instabilidade e danos ao Governo. O caso foi encaminhado à polícia, que tomará todas as providências para responsabilizar os envolvidos nesse ato criminoso.

Impeachment depende...

Agora, além do senador Omar Aziz (PSD-AM), Jair Bolsonaro tem mais uma pedra no sapato no Amazonas – o vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM).

Depois que o presidente  o acusou e ser o responsável pela aprovação do Fundão, Marcelo avisou que a abertura de um processo de impeachment de Bolsonaro é possível.

...Da pressão popular

Mas o deputado observa que isso vai depender do clamor das ruas.

— Desde que exista pressão popular sobre o Congresso Nacional –, observou o deputado.

Mais de 100 pedidos

Ele não descarta a chance de acolher um dos mais de 100 pedidos de impedimento protocolados, caso assuma interinamente a presidência da Câmara por ausência do titular, Arthur Lira (PP-AL).

Eu mesmo não

Marcelo rebateu as críticas feitas a ele por Bolsonaro após o Congresso aprovar  a Lei de Diretrizes Orçamentárias com um ‘fundão’ eleitoral de 5,7 bilhões de reais para 2022.

— Se tem alguém que não teve responsabilidade nenhuma por aquilo ali, sou eu. Eu simplesmente botei para votar –, esquivou-se;

Culpa tua

No domingo, 18, o vice-presidente da Câmara recebeu uma estocada de Bolsonaro, que se dirigiu diretamente a ele sem meias palavras:

— O deputado responsável por aprovar isso aí é o Marcelo Ramos, lá do Amazonas.

Adora cutucar

O presidente disse mais, o que irritou o parlamentar do Amazonas:

—O Marcelo Ramos que fez isso tudo. Se tivesse destacado, talvez o resultado teria sido diferente. Então, cobre em primeiro lugar do Marcelo Ramos.

Na terça-feira 20, Bolsonaro anunciou que vetaria o aumento para o fundão.

Quem é anta?

O presidente da CPI da Covid-19, Omar Aziz (PSD-AM), voltou a comparar o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) a um macaco guariba. No início da semana, o senador foi chamado de “anta amazônica” pelo mandatário do país.

— O senhor não sabe o que é uma anta amazônica, mas quem trabalhou aqui e serviu aqui [no Amazonas], os valorosos militares que serviram na Amazônia, sabe o que a anta significa pro meio ambiente –, observou o senador.

Guerra dos bichos: Bolsonaro de guariba e Omar de onça no traço do cartunista Amarildo

Onça pega guariba

Em resposta aos ataques do presidente, Aziz pediu que Bolsonaro estude a fauna amazônica e defendeu que o chefe do Executivo estude a fauna amazônica.

—  Presidente, na CPI não tem anta, tem onça.  Agora sabe quem é o predador do macaco guariba? É a onça. A onça vai pegar o macaco guariba, tenha certeza.

Torradores do Cotaõ

Antes de sair para o recesso, a  bancada do Amazonas na Câmara dos Deputados detonou os recursos da Cota de Exercício da Atividade Parlamentar (Ceap) neste primeiro semestre. Os oito parlamentares meteram a mão na babita e gastaram 2021, R$ 1.476.925,20 do Cotão.

Em nome e Jesus

O campeão da gastança, segundo o Portal da Transparência da Câmara dos Deputados, foi o evangélico Silas Câmara (Republicanos). Em apenas seis meses, Silas gastou R$ 284.467,82 .

Menos guloso

O deputado Pablo (PSL) é o “lanterninha”. Isto é, foi o que menos usou o recurso. Mesmo sendo o parlamentar com menos gastos do Cotão, Pablo tem empenhado os recursos para serviços de locação ou fretamento de veículos automotores contratados de janeiro a junho deste ano. Os valores variam entre R$ 7.356,16 e R$ 3.750,00.

Marcelo é o segundão

O deputado Marcelo Ramos (PL) ocupa o segundo lugar no ranking do cotão. Em seis meses, o vice-presidente  gastou R$ 244.605,57, sendo abril o mês com maior valor nas despesas, chegando a R$ 62.879,32.

Somente com divulgação da atividade parlamentar Marcelo torrou R$ 86.498,38. O restante foi investido em passagens aéreas e manutenção de escritório de apoio à atividade parlamentar.

Capitão gastador

O deputado Alberto Neto (   ) parece no Portal da Transparência como é o terceiro “ guloso” com mais gastos do Cotão. O “cão de guarda”  de Bolsonaro” gastou R$ 222.692,87. A babita foi aplicada em atividade parlamentar – R$ 89.676, entre outros gastos como passagens áreas e consultorias, pesquisas e trabalhos técnicos que totalizam 126.635,87.

Zé sofre retaliações

E por falar em cotão, o deputado federal Zé Ricardo (PT/AM), único parlamentar do Amazonas na Câmara Federal a votar contra a LDO 2022, que aumentou o Fundo Eleitoral de R$ 2 bilhões para R$ 5,7 bilhões. Por conta disso, o petista vem sofrendo ataques em campanha de outdoor.

Ataques da direita

A bem da verdade, é preciso esclarecer que a informação divulgada pode ter como fundo um site que pontua os congressistas levando em consideração os projetos do Governo Federal e é considerado um veículo de comunicação de direita e de apoio ao Governo Bolsonaro.

Dessa forma, pontua negativamente todos os parlamentares que votam contra os projetos e propostas da União.

Acesse a verdade

Quem quiser saber sobre a verdadeira atuação parlamentar de Zé Ricardo, pode acessar a sua página, no site oficial da Câmara dos Deputados  https://www.camara.leg.br/deputados/204555).

Assim, verá que em 2019 e 2020 foi o parlamentar do Amazonas com uma das maiores produtividades, em pronunciamentos no plenário, nas votações nominais e em presença nas comissões técnicas, como também em número de proposituras.

Incomoda e desagrada

Na recente votação sobre a privatização da Eletrobras, por exemplo, Zé Ricardo votou contra essa privatização e já apareceu nesse site com pontuação negativa.

“Assim, não pode ser parâmetro para elencar quem é o melhor ou o pior parlamentar do país”, diz a assessoria do petista.

República das bananas

O vice-presidente Hamilton Mourão defendeu nesta quinta-feira (22) a realização de eleições em 2022. Ao comentar sobre o assunto na chegada ao Palácio do Planalto, Mourão afirmou que o pleito deve realizado mesmo que não seja aprovada a proposta do voto impresso.

— É lógico que vai ter eleição. Quem é que vai proibir eleição no Brasil? Por favor, gente, isso aí... Nós não somos república de banana –, disse o vice-presidente, ao descartar qualquer ameaça de não haver eleições.

“Recado” golpista

A manifestação do general Mourão foi uma resposta  ao  "recado" do ministro da Defesa, Walter Braga Netto, de que as eleições 2022 estariam condicionadas ao voto impresso auditável.

Decolagem

O governador Wilson Lima anunciou parceria com a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) para modernizar 13 aeródromos no interior do Amazonas.

Saiu do papel

O Protocolo de Intenções do Projeto Aero Amazonas foi assinado pelo governador do Amazonas e o presidente da Infraero, brigadeiro Paes de Barros, nesta quinta-feira (22/07), em Brasília (DF).

— A construção de melhores infraestruturas aeroportuárias é uma necessidade no interior, destacou Wilson Lima. Não é apenas para garantir a questão do desenvolvimento econômico, mas o desenvolvimento social – disse o governador.

CNH mais fácil

O Detran do Amazonas concluiu a entrega física da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) no sistema drive-thru. A baixa procura pelo serviço motivou a decisão.

Encalhadas

A entrega da CNH por meio do drive-trhu começou em março deste ano, para dar vazão a mais de 19 mil habilitações represadas no órgão por causa da suspensão das atividades presenciais devido à pandemia de Covid-19.

ÚLTIMA HORA

General diz que não ameaçou as eleições de 2022

O Ministro da Defesa, Walter Braga Netto, negou neta quinta-feira,22, ter feito ameaças ao Congresso e condicionado a realização das eleições de 2022 à aprovação do voto impresso auditável, proposta defendida pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O general leu uma nota emitida pela pasta negando informações publicadas hoje pelo jornal "O Estado de S. Paulo".

De acordo com a publicação, Braga Netto deu o aviso no dia 8 de julho e pediu para comunicar a quem interessasse que não haveria eleições em 2022 sem voto impresso, sendo que no momento da fala estava acompanhado dos chefes militares do Exército, da Marinha e da Aeronáutica.

O vice-presidente da Câmara, Marcelo Ramos (PL-AM), atacou o ministro da Defesa após a revelação de que o general teria ameaçado o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL).

O vice da Câmara, que nesta semana se declarou oposição a Bolsonaro, afirmou que, "numa democracia, quem decide se tem ou não eleição não são os militares e sim a Constituição, que eles juraram defender e cumprir".

ORGULHO

Camisa 10 e grande craque da Seleção, a jogadora Marta, que já entrou em campo para  disputar mais uma Olimpíada, anunciou um novo patrocínio. A brasileira será a nova Líder Global de Diversidade e Inclusão da companhia aérea Latam Brasil. O anúncio foi publicado nas redes sociais pela própria empresa. Na postagem, a Latam Brasil disse: "Que orgulho poder dizer para o mundo que agora Marta Vieira da Silva, a melhor jogadora de futebol do mundo, voa junto com a LATAM. Uma parceria que vai muito além de uma campanha publicitária. Marta é nossa nova Líder Global de Diversidade e Inclusão e nos apoiará no fortalecimento destes pilares para construirmos, juntos, uma companhia cada vez mais plural. Ter um ícone a bordo. É isso que nos faz voar".

VERGONHA

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) foi eleito com a promessa de acabar com o que chama de “velha política”, moldada no chamado toma lá dá cá. Ou seja, a entrega de cargos aos partidos em troca de apoio em votações no Congresso. Antes mesmo da campanha eleitoral, o então deputado federal chegou a afirmar que não existe outra maneira de se governar, a não ser a que seja sem acordos. "Se é só essa [a maneira], eu tô fora!”, afirmou há três anos, em entrevista à Band. Mas ontem, Bolsonaro assumiu. "Eu sou do Centrão, eu fui do PP metade do meu tempo, fui do PTB, fui do então PFL". O presidente disse isso ao anunciar também que o senador Ciro Nogueira (PP-PI) comandará a Casa Civil. Com o movimento o presidente deve também concorrer a reeleição em 2022 pela legenda chave do Centrão. Agora quem está com a chave do governo é o centrão, isto é, a “velha política” .

Mário Adolfo

Mário Adolfo

Jornalista formado pela UA, com mais de 40 anos de experiência. Dois prêmios Esso e criador do personagem Curumim, o Último herói da Amazônia.